Você está na página 1de 4

E-actividade Final

1) Falsa
2) Verdadeira
3) Falsa
4) Verdaeira
5) Falsa
6) Verdaeira
7) Verdadeira
8) Falsa
9) Verdadeira
10) Falsa
11) Verdadeira
12) Verdadeira
13) Falsa
14) Falsa
15) Falsa

2) Conhecida comumente como estudo científico da relação entre o homem e os seus ambientes de
trabalho, a ergonomia tem como objetivos básicos, que são:
- possibilitar o conforto ao indivíduo;
- proporcionar a prevenção de acidentes e do aparecimento de patologias específicas para
determinado tipo de trabalho.
São constantes os estudos feitos a respeito da relação entre homem e o ambiente de trabalho, o
conforto ou mesmo horas de descanso. Ambos são de grande importância, mas, poucas pessoas têm
em atenção estes detalhes. A ergonomia vem estudar precisamente estas medidas de conforto, com o
objectivo de produzir um melhor rendimento no trabalho, prevenir acidentes e proporcionar uma
maior satisfação ao trabalhador.
A ergonomia preocupa-se com as condições gerais de trabalho, tais como, a iluminação, os ruídos e
a temperatura, que geralmente são conhecidas como agentes causadores de doenças na área de
saúde física e mental, mas que o estudo tenta traçar os caminhos para a correção. O seu objetivo é
aumentar a eficiência humana, através de dados que permitam que se tomem decisões lógicas.
O custo individual é minimizado através da ergonomia, que remove aspectos do trabalho, que a
longo prazo, possam vir a provocar ineficiências ou os mais variados tipos de incapacidades físicas.
Por sua vez, a Higiene e seguraçã no trabalho é um conjunto de normas e procedimentos que visam
à proteção da integridade física e mental do trabalhador, preservando-o dos riscos de saúde
inerentes às tarefas do cargo e ao ambiente físico onde são executadas.

A higiene e segurança no trabalho tem caráter eminentemente preventivo, pois tem como propósito
a saúde e o conforto do trabalhador, fazendo com que a doença desapareça definitivamente no local
de trabalho.

Os principais objetivos são da hiegiene e segurança no trabalho são a eliminação das causas das
doenças profissionais e a redução dos efeitos prejudiciais provocados pelo trabalho em pessoas
doentes ou portadoras de deficiencia física.
A consciencialização e a formação dos trabalhadores no local de trabalho são a melhor forma de
prevenir acidentes, a que acresce a aplicação de todas as medidas de segurança colectiva e
individual inerentes à actividade desenvolvida. Os custos dos acidentes de trabalho, para os
trabalhadores acidentados e para as empresas, são elevados.
Prevenir, quer na perspectiva do trabalhador quer na do empregador, é a melhor forma de evitar que
os acidentes aconteçam. As acções e medidas destinadas a evitar acidentes de trabalho estão
directamente dependentes do tipo de actividade exercida, do ambiente de trabalho e das tecnologias
e técnicas utilizadas.
Em suma, podemos dizer que o técnico de higiene e segurança no trabalho precisa de ter vastos
conhecimentos de ergonomia. Para assim, poder avaliar de forma mais correcta possivel todos os
postos e locais de trabalho da forma mais corrcta possil, com o objectivo de diminiuir ou se possivel
evitar ao maximo todos os acidentes de trabalho ou doenças profissionais.

3) Quando se fala em acidente de trabalho, a grande maioria dos trabalhadores pensa que os
acidentes de trabalho são aqueles que só lesionam o corpo, mas outros aspectos devem ser
considerados, inclusive no aspecto emocional, ou seja, ansiedade, stress e depressão entram nesta
lista imensa também.
Em primeiro lugar, acontecem os acidentes de trabalho que acabam por ocasionar diversos tipos de
ferimentos, luxações, fraturas e tantos outros tipos de lesões que acabam afastando muitos
trabalhadores de suas funções por um tempo.

Muitos tipos de trabalho podem ocasionar problemas como lesões por esforço repetitivo, como no
caso de alguns tipos de serviços em que se faz somente um tipo de esforço por muitas horas
seguidas e por conseqüência acaba acontecendo a LER, em que alguns casos pode até ocasionar
aposentadoria por invalidez e a LER é a segunda causa de acidentes de trabalho em todo o Brasil.

Diversos ambientes de trabalho ou muitos tipos de trabalho não causam acidentes que lesionam o
corpo, mas que devido à pressão constante causam problemas de ordem psicológica, como stress,
depressão, ansiedades e tantos outros problemas e que acabam afastando o profissional do seu
ambiente de trabalho.

Um dos aspectos que mais podem causar acidentes de trabalho são as más condições de trabalho,
como máquinas velhas, equipamentos que podem ocasionar riscos de acidentes, falta de iluminação
correta ou falta de conscientização de mal uso de equipamentos do ambiente de trabalho, ou seja,
estas são causas de acidentes de trabalho que são causadas no local de trabalho.
Outro aspecto que pode contribuir para o acontecimento de acidentes de trabalho podem ser
causadas pelo profissional, como no caso de funcionários que estão cansados e que acabam
dormindo durante o trabalho ou o uso de remédios e drogas que podem alterar o comportamento
humano, isto sem se falar nas horas extras em excesso que podem causar cansaço ao trabalhador.

Este profissional tem como objetivo avaliar todos os riscos de acidentes em um ambiente de
trabalho e minimizar estes potenciais riscos, que podem ser tanto no maquinário quanto causado
pelo homem.

A este tipo de riscos estão subjacentes as condições de segurança e conforto nas quais o trabalhador
executa as suas tarefas, bem como a interacção que este exerce com as máquinas ou os
equipamentos de trabalho (podendo apresentar os mesmos riscos referentes aos equipamentos de
trabalho, expostos no ponto seguinte). Desta forma, os factores de risco mais vulgarmente
relacionados com esta temática prendem-se com a estabilidade e solidez dos edifícios, com a
qualidade das instalações eléctricas, com a qualidade das vias de passagem normais e de
emergência, com a qualidade dos sistemas de detecção e combate a incêndios, com a qualidade da
ventilação e isolamento térmico, com a iluminação, qualidade dos vestiários, balneários e
instalações sanitárias, ou seja, com o ambiente externo ou interno de toda a organização face ao
trabalhador, bem com os meios que este necessita para executar as suas tarefas. As lesões mais
vulgares que resultam das situações acima mencionadas são: • Quedas e entorses; • Queimaduras; •
Electrocussões; • Esmagamento por objectos ou pessoas; • Asfixia e Sufocação; • Perda de visão; •
Perda de líquidos; • Doenças variadas provocadas por falta de higiene, etc. As medidas a
empreender pelas organizações para a eliminação ou redução do risco, passam pela: • Manutenção
técnica dos locais de trabalho, das instalações e dispositivos, e eliminação, o mais rapidamente
possível, de defeitos verificados que possam prejudicar as condições de segurança dos
trabalhadores; • Limpeza periódica dos locais de trabalho, das instalações e dispositivos de
segurança; • Manutenção regular e controlo de funcionamento das instalações e dispositivos de
segurança; • Informação e formação dos trabalhadores e/ou representantes no que respeita à
segurança; • Construção de edifícios que possuam as condições de estabilidade, resistência e
salubridade compatíveis com as características e riscos das actividades a empreender; •
Desobstrução das vias normais, de emergência e de circulação; • Ventilação do espaço de trabalho
em quantidade suficiente de forma a permitir a boa execução das tarefas, atendendo ao esforço
físico exigido e métodos de trabalho; • Adequação da iluminação ao local de trabalho, de forma a
permitir ao trabalhador executar as suas tarefas de uma forma segura; • Existência de meios de
detecção e combate a incêndios adequados às instalações, ao local de trabalho e às características
inerentes à execução do próprio trabalho (ex.: utilização de matérias – primas inflamáveis); •
Adequação da temperatura e humidade dos locais de trabalho, ao organismo humano, tendo em
conta os métodos de trabalho e o esforço físico dispendido pelo trabalhador; • Manutenção e
limpeza periódica dos balneários e instalações sanitárias, entre outros.