Você está na página 1de 7

Questionário para prova oral direito do trabalho

1. Como o trabalho era concebido na antiguidade, na idade média e na


modernidade? Ao longo da história a palavra trabalho foi alterando o seu
significado com a evolução cultural de cada tempo. Na antiguidade e
idade média o trabalho: era denominado castigo dos Deuses. Na idade
moderna o trabalho torna se ao mesmo tempo, um direito e um dever.

2. Qual a importância social do trabalho na modernidade? A importância é


que por meio dele é conferido ao indivíduo sua subsistência garantindo
assim o seu sustento e de toda sociedade.

3. A doméstica possui alguma estabilidade provisória? Sim, há extensão a


empregada doméstica da garantia de emprego de até cinco meses após
o parto, instituída pelo art. 10, II, “b” Dos Atos das Disposições
Constitucionais Transitórias.

4. Quais são os direitos dos empregados doméstico? Cite um direito que


todos os outros trabalhadores possuem e a doméstica não: salário
mínimo, descanso semanal remunerado: preferencialmente aos
domingos, aposentadoria (INSS), férias + 1/3, 13° salário, licença a
maternidade 120 dias de licença a paternidade 5 dias, aviso prévio,
FGTS (facultativo), estabilidade provisória, feriados. FGTS de doméstica
é facultativo, seguro desemprego.

5. O que é um contrato de trabalho promiscuo? Contrato promiscuo é


aquele celebrado entre um empregador e empregado de modo em que
este assuma uma função determinada, contudo, presta serviços aquele
com mais de uma finalidade. Em outras palavras, há uma cumulação de
função não prevista no contrato.

6. Explique a expressão “patamar civilizatório mínimo? Expressão utilizada


por Mauricio Godinho Delgado, sugerindo a existência de direitos que
representam um patamar mínimo civilizatório, ou seja, direitos mínimos
que devem ser garantidos ao trabalhador.

7. O que é sucessão trabalhista? Conhece-se a figura também por outros


capítulos, como sucessões de empregador e alteração subjetiva do
contrato. Consiste no instituto jus trabalhista em virtude do qual se
opera, no contexto da transferência de titularidade de empresa ou
estabelecimento, uma completa transmissão de créditos e a assunção
de dívidas trabalhista entre alienantes. Em outras palavras, na cessão
de uma empresa, em regra, o sucessor responde por todas as dívidas
presente, passado e futuro.
8. Cite e explique 03 princípios juslaborais: Princípio da inalterabilidade
contratual lesiva: decorre do princípio da condição mais benéfica. De
modo que a vontade das partes não poderá ser alterada em prejuízo do
trabalhador, mesmo se este concordar. Princípio da primazia da
realidade sobre a forma: o operador jurídico, no exame das declarações
voluntarias, deve atentar mais a intenção dos agentes do que ao
envoltório formal através de que transpareceu a vontade. Para o DT,
importa a realidade objetiva, as condições reais, não sua forma.
Principio da continuidade da relação de emprego: o contrato de trabalho
em regra deve ser estabelecido por prazo indeterminado salvo contrato
a termo. Principio da condição mais benéfica: este princípio impetra na
garantia de preservação ao longo do contrato, da cláusula contratual
mais vantajosa ao trabalhador.

9. Cite 02 fontes formais do direito do trabalho? Podem ser classificadas


em heterônomas e autônomas. Constituição (heterônoma). Convenção
coletiva de trabalho (autônoma).

10. O que é um acordo coletivo de trabalho? Ajuste celebrado entre uma


categoria profissional e uma empresa ou empresas, isoladamente, de
modo que não envolve toda a categoria. Regula matéria + especifica
que a convenção. Prazo: 2 anos, §3° art. 614 CLT.

11. Qual foi a primeira norma flexibilizadora no Brasil? A primeira


manifestação deste instituto encontra-se no art. 7°, VI da CF, que prevê
redução do salário do empregado em virtude da falência de uma
empresa mediante acordo ou convenção coletiva.

12. Conceitue empregado e empregador? Empregado: toda pessoa física


que prestar serviços de natureza não eventual a empregador, sob
dependência deste mediante salário art. 3º da CLT. Empregador: a
empresa,individual ou coletiva, que, assumindo os riscos da atividade
econômica, admite, assalaria e dirige a prestação pessoal de serviço art.
2º da CLT.

13. Quem é o hipossuficiente na relação laboral? Empregado.

14. Conceitue convenção coletiva de trabalho? Trata-se de um acordo entre


sindicato de empregados e sindicatos de empregador. Destinado a
resolver problema na categoria regula-se , assim, matéria mais geral.
Possui prazo de dois anos. A convenção resulta, pois, de negociações
entabuladas por entidades sindicais evolvendo o âmbito da categoria.
Seu caráter coletivo e genérico e assim manifesta.
15. Qual é a jornada de trabalho padrão, coforme preceito celetista? Oito
horas diárias, desde que não seja fixado expressamente outro limite. Art.
58 CLT.

16. Cite 05 direitos trabalhistas fundamentais (Cf/88)? Art. 7° CF. 1- seguro


desemprego em caso de desemprego involuntário. 2- fundo de garantia
do tempo de serviço. 3 irredutibilidade do salário. 4- aposentadoria. 5-
remuneração do trabalho noturno superior a do diurno.

17. Para que surgiu o direito do trabalho? Para regulamentar a relação


empregatícia.

18. Porque não é exigido o critério pessoalidade do empregador na relação


juslaboral? Por que assim se faz necessário para alcançar certos efeitos
práticos relevantes, tais como: permitir a razoabilidade concreta do
principio da continuidade da relação empregatícia, impedindo que ela se
rompa em função da simples substituição do titular do empreendimento
empresarial em que se encontra inserido o empregado. Ao como se
opera na sucessão trabalhista. Bem como harmonizar a rigidez com que
o direito individual do trabalho trata as alterações objetivas do contrato
empregatício.

19. Explique a diferença entre intervalo intrajornada e interjornada? Intervalo


intrajornada é o intervalo que ocorre dentro da jornada de trabalho do
empregado. Já o intervalo interjornada, é aquele que ocorre entre as
duas jornadas de trabalho do empregado art. 66 CLT).

20. Na relação de emprego é exigido pessoalidade do empregador? Não


idem ao 18 somente do empregado. Para manter assim a segurança
jurídica do emprego, a exemplo, do fenômeno: sucessão trabalhista.

21. Na relação de emprego é exigido pessoalidade do empregado? Se sim,


por que? Sim. Porque a prestação laborativa há de se realizar pela
pessoa física, pessoalmente como garante a CLT. Posto que, o
empregador contrata uma pessoa determinada a prestação de serviços
uma vez que não pode ser substituída por outro no exercício de suas
atividades. Até porque, a pessoalidade é o fator pelo qual o empregador
escolhe seus empregados. Deste modo, possui um caráter infungível
intuito personal, de forma que com a morte elas abrevia, não é passado
a relação empregatícia aos seus sucessores e herdeiros, visto que é
personalíssima. E dissolve-se o contrato (junto com a morte ao
empregado).

22. Para que serve um regulamento de empresa? O regulamento de


empresa, assegurado pela CLT (art. 444 CLT), é o instrumento pelo qual
o empregador pode se valer para estabelecer regras (direitos e
obrigações) aos empregados que a ele presta serviços, sem contudo
serem contrarias a lei as convenções e acordos coletivos e as decisões
das autoridades competentes.

23. Explique o principio da inalterabilidade contratual lesiva? Decorre do


principio da condição mais benéfica. Assim, tem-se que a vontade das
partes não poderá ser alterada em prejuízo do trabalhador, mesmo se
este concordar (art. 468 CLT).

24. Explique o princípio da imperatividade das normas trabalhistas? As


normas de direito do trabalho são imperativas, sobrepondo se a vontade
das partes, estabelecendo direitos indisponíveis, portanto irrenunciáveis.

25. Explique o principio da intangibilidade salarial? Este princípio assegura a


irredutibilidade salarial, revelando-se como espécie do gênero
inalterabilidade contratual lesiva busca-se assim a estabilidade
econômica do trabalhador.

26. Explique o principio da indisponibilidade? Tal regra visa proteger o


trabalhador de atos de coação. Assim mesmo que o trabalhador consinta
a renuncia a certos direitos protegidos pelas normas trabalhista, seu
consentimento será viciado. Mauricio Godinho distingue.

27. Indisponibilidade absoluta: respeita aos direitos protegidos por uma


tutela de interesse público, por traduzir um patamar civilizatório mínimo
relacionado a dignidade da pessoa humana, ou quando se tratar de
direito protegido por norma de interesse abstrato da categoria.
Indisponibilidade relativa: o direito que traduz interesse individual ou
bilateral simples, que não caracteriza um padrão civilizatório mínimo.
Aqui permite-se a transação (não renuncia).

28. Explique o principio da proteção? Informa este principio que DT estrutura


em seu interior; com suas regras, institutos, principio e presunções
próprias,uma via de produção a parte hipossuficiente na relação
empregatícia (empregado), visando retificar (ou atenuar), no plano
jurídico, o desequilíbrio inerente no plano futuro do contrato de trabalho.

29. Explique o principio da primazia da realidade? A relação objetiva


evidenciada pelos fatos define a verdadeira relação jurídica estipulada
pelos contratantes, ainda que sob capa simulada não correspondente a
realidade. Para o DT, importa a realidade objetiva, as condições reais,
não a sua forma.

30. O que significa o principio da alteridade? Esse principio consiste em


considerar que o resultado do trabalho do empregado pertence ao
empregador que assume os riscos do negócio. Portanto em caso de
insucesso de empreendimento, o dono é quem assume os prejuízos
advindos. (empregador que assume os riscos advindos das atividades
econômicas).

31. Explique o que é trabalho em tempo parcial? Considera-se trabalho em


regime de tempo parcial aquele cuja duração não exceda a 25 horas
semanais. O salário é proporcional a sua jornada semanal, calculado em
horas, adotando como parâmetro os empregados que cumprem, nas
mesmas funções jornada de tempo integral, de 44 horas semanais. Os
empregados submetidos ao regime de tempo parcial não poderão
prestar horas extras.

32. Qual a possibilidade de um trabalhador receber salário inferior ao


mínimo legal? Quando trabalhar em tempo parcial.

33. Cite os 5 elementos fáticos jurídicos que determinam a existência de


relação de emprego? 1 trabalho por pessoa física, 2 pessoalidade. 3 não
eventualidade, 4 onerosidade, 5 subordinação.

34. Cite um exemplo de sucessão trabalhista? Incorporação de uma


empresa.

35. Existe sucessão trabalhista no trabalho doméstico? Não, tal fenômeno é


limitado as relações de emprego ligada a empresa. Já que, o trabalho
doméstico é estabelecido mediante relação de confiança, revelando-se
assim como personalíssimo.

36. O que é mais-valia? O mesmo que lucro.

37. O princípio da autonomia da vontade é aplicado no direito do trabalho?


Não. Uma vez que as relações estabelecidas são de pessoas desiguais,
ou seja, uma das partes é hipossuficiente em relação à outra. Portando
como não há paridade entre os envolvidos tal princípio não pode ser
aplicado.

38. Existe paridade de armas na relação empregatícia? Não. Pois, o


empregado é considerado hipossuficiente em relação do empregador.

39. Quantas horas extraordinárias o trabalhador pode fazer por dia? E qual
o percentual ele receberá sobre a hora normal? Art. 59 CLT, até 10
horas, ou seja, 2 horas acrescidas da extraordinária, §1° do art. 59.
Receberá, pelo menos 20% superior a da hora normal.

40. O obreiro para fazer jus ao recebimento de adicional noturno terá que
laborar em qual horário? E qual é o percentual do adicional noturno?
Conforme dispõe o § 2° do art. 73, terá o obreiro que operar entre as 22
horas de um dia e às 05 horas do dia seguinte. O acréscimo será de
pelo menos 20% sobre a hora diurna. (Art. 73, caput CLT).
41. Explique esta assertiva: os direitos trabalhistas são sempre disponíveis?
Esta assertiva esta incorreta. Uma vez que, a regra é: os direitos
trabalhistas são sempre indisponíveis, pois um dos polos da relação
empregatícia é hipossuficiente um relação a outra.

42. Existe controle de jornada de trabalho no trabalho doméstico? Não. Pois


esta categoria, esteja ou não submetida a fiscalização e controle de
horáiro, não recebe a incidência de normas jurídicas relativas a duração
de trabalho. Sua jornada não é pois legalmente tipificada.

43. O que é flexibilização? E o abrandamento das normas laborais.


Tornando as menos rígidas, permitindo, diante de cada situação, mais
dispositividade das partes na relação de emprego para alterar ou reduzir
seus comandos.

44. O que é desregulamentação juslaboral? Desregulamentação pressupõe


a ausência do estado (estado mínimo) revogação de direitos pela lei,
retira total proteção legislativa, permitindo a livre manifestação de
vontade, a autonomia privada para regular a relação de trabalho seja de
forma individual ou coletiva.

45. O que é intervalo intrajornada? É o intervalo que exerce dentro da


jornada do empregado. Assim em que trabalho continuo, cuja duração
exceda de 6 horas, é obrigatória a concessão de um intervalo para
repouso ou alimentação, o qual será no mínimo, de uma hora e, salvo
acordo escrito ou contrato coletivo em contrario, não poderá exceder de
2 horas. Como prevê o art. 71 caput da CLT.

46. O que é trabalho em domicilio? E aquele realizado por empregado


doméstico, mediante relação de fidúcia. Em outras palavras, é aquele
prestado em favor do empregador, com subordinação, sob a
dependência deste, mediante salário, mas fora do ambiente da empresa,
ou seja, na casa do próprio empregado.

47. O que é salário condição? Conjunto de parcelas salariais pagas ao


empregado em virtude do exercício contratual em circunstâncias
específicas, cuja permanência seja incerta ao longo do contrato.

48. De um exemplo de contrato de trabalho promiscuo? Contrato celebrado


para prestação de serviço domésticos, que no entanto ao longo do
tempo se estendeu para vendedor. Contrato para ser secretaria e se
estende para instrumentista. Vale lembrar que para a atualização na
carteira de trabalho vai ser sempre pela função mais benéfica ao obreiro.

49. Quem responde pelas verbas trabalhistas na sucessão de empresa? O


novo proprietário, sucessor da empresa.
50. Cite 2 fontes heterônomas? Constituição, tratados e convenções
internacionais.

51. A doméstica faz jus ao FGTS? Não, tal benefício é facultativo.

52. O principio da autonomia da vontade é aplicado no direito laboral? Por


que? Não, porque um dos polos do DT e hipossuficiente em relação ao
outro, de modo que, uma vez aplicado a autonomia da vontade, tenderia
a existir um desequilíbrio visto que as parte não dispõe.

53. A arbitragem é utilizada no direito coletivo do trabalho? Por que? Sim,


mas é de caráter facultativo. Porque, funciona como veículo para
resolução de disputas coletivas no mercado de trabalho, buscando-se
assim uma negociação coletiva. Já que o sindicato representa o
trabalhador. Retira a desigualdade existente entre as partes.

54. A arbitragem é utilizada no direito individual do trabalho? Por que? Não.


Visto que o direito do trabalho versa sobre direitos indisponíveis, pois
não há paridade entre as partes envolvidas.

55. O que é desregulamentação? Ausência de influência estatal nas normas


trabalhistas.

56. Cite 5 direitos do trabalhador expresso na CF/88? Seguro desemprego;


irredutibilidade do salário, ressalvadas as hipóteses de acordo ou
convenções; Adicional de remuneração para atividades perigosas,
insalubridade ou perigosas, na forma da lei; Repouso semanal
remunerado, preferencialmente aos domingos; gozo de férias anuais
remuneradas com pelo menos, 1/3 a mais que o salário normal.

57. A alteração na estrutura jurídica da empresa interfere nos contratos de


trabalho vigentes? Não, devido à segurança jurídica conferida aos
trabalhadores.

58. De quem é a responsabilidade pelo recolhimento do FGTS? Qual o


percentual? A responsabilidade é do empregador Art. 15 da lei 8.036/99
o percentual e de 8% da remuneração paga ou devida.

59. Qual o prazo dado a empresa para assinar a CTPS do obreiro?


CTPS=carteira de trabalho e previdência social. O prazo é de 48 horas.
(art. 29, caput CLT)

60. Porque o princípio da autonomia da vontade não é aplicado no direito do


trabalho? Porque as partes envolvidas são diferentes uma relacionada a
outra. Deste modo ao admitir a aplicação deste princípio, poderá haver
um desequilíbrio nesta relação, causando, assim, um prejuízo ao polo
hipossuficiente.