Você está na página 1de 4

Dinâmicas de Grupo

Critérios para a escolha de uma dinâmica

Quando escolhemos uma dinâmica devemos fazer, pelo menos, quatro perguntas:

 Que objetivos pretendemos alcançar no grupo?

 Quantas pessoas participarão na dinâmica?

 Quais os recursos materiais e de infra estrutura que disponibilizamos?

 Qual é o tema sobre o qual girará a dinâmica?

Em função das respostas a estas perguntas é que devemos escolher a dinâmica e


com que objetivo. Lembrando que:

 Nem todas as dinâmicas servem para todos os objetivos.

 Nem todas as dinâmicas podem se realizar com todo o tipo de pessoas.

 As dinâmicas não podem acontecer sem material adequado.

Algumas notas importantes

 Não se pode esquecer que as dinâmicas não são um fim em si mesmas,


mas um meio para conseguir um objetivo. Portanto, devemos estar mais
preocupados com o objetivo do que com a dinâmica em si. Embora, uma
dinâmica má utilizada pode trazer danos significativos.

 Utilizar dinâmicas variadas, que requeiram, de fato, a participação dos


integrantes do grupo.

 Há um perigo de cair na "mecanicidade": usar as dinâmicas por


automatismo, sem adaptações…

 Algumas dinâmicas não foram pensadas para a reflexão. Com algumas


adaptações poderão ser utilizadas para esse fim.

 O coordenador/professor deve cultivar a sua criatividade e procurar


"criar" dinâmicas adaptadas à realidade do seu grupo. Deve procurar
também bibliografia adequada.
Dinâmica: Eu e o outro - Eu e o meio
Objetivo: Promover reflexão sobre as formas como nos tratamos uns aos outros e
como tratamos nosso ambiente (respeito e tolerância).

Público alvo: Qualquer grupo que já esteja alfabetizado.

Material necessário: Uma folha de papel de desenho para cada participante,


canetinhas ou lápis de cor, uma tira de papel com a frase abaixo impressa.

Procedimento

- Iniciar uma conversa com o grupo sobre formas de tratamento entre as pessoas,
pedindo que falem sobre o que os outros fazem que mais os incomoda.

- Após a fala, distribuir a seguinte frase para todos os integrantes do grupo:

"A maioria das pessoas fala e faz coisas sem consciência de como isso pode estar
atingindo aos outros. Não por egocentrismo, mas porque vivemos num mundo em
que cada um tem que cuidar de si mesmo, nossa sociedade impõe essa forma de
sobrevivência". Léa Waider

- Pedir que falem livremente sobre a frase, se concordam ou não.

- Em seguida, distribuir uma folha em branco e solicitar que escrevam diversas


palavras que refletem harmonia nos relacionamentos humanos.

- Ao findar a escrita das palavras, pedir que cada um fale sobre o que mais o
incomoda nos outros, e mostre suas palavras aos colegas.

- Pedir que desenhem, no verso da folha com palavras escritas, uma imagem
representando o respeito por si próprio, pelos outros e pelo meio ambiente.

- Finalizado o desenho, todos mostram para o grande grupo e falam sobre o que
ilustraram. O fechamento da atividade pode ser um debate a respeito da
tolerância, da diferença, do respeito a todas as formas de vida.

Outra possibilidade de aplicação da dinâmica

- Iniciar uma conversa com o grupo sobre formas de tratamento entre as pessoas,
pedindo que falem sobre o que os outros fazem que mais os incomoda.

- Após a fala, distribuir meia folha de sulfite para cada participante pedindo para
que escrevam como dizer aos outros o que os incomoda.
- Em seguida, distribuir uma folha em branco e solicitar que escrevam diversas
palavras que refletem harmonia nos relacionamentos humanos.

- O fechamento da atividade pode ser um debate sobre a tolerância, a diferença, o


diálogo e o respeito enquanto condições essenciais para o bom desenvolvimento
de um trabalho em grupo.

Dinâmica: Teia de Aranha

Objetivo: Mostrar que em um trabalho em grupo, todos devem permanecer


unidos.

Material: Um rolo de barbante.

Procedimento:

 Peça que a turma que fique em círculo.


 Segure a ponta do barbante e jogue o rolo para outra pessoa que esteja
no lado oposto ao seu.
 Esta pessoa deve segurar uma parte do barbante de modo que não fique
frouxo, e jogar para outro colega distante, e assim sucessivamente, até o
último participante.
 Depois peça que um ou dois deles solte(m) o barbante. A teia se
desmancha, ou fica frouxa.
 Então explique que em um trabalho em grupo acontece a mesma coisa.
Se um do grupo abandona o trabalho ou o faz de maneira desinteressada,
isso implicará na realização de todo o trabalho. Portanto, devemos
cooperar e ter responsabilidade diante dos nossos compromissos,
principalmente quando envolve outras pessoas.

Outra possibilidade de aplicação da dinâmica

Procedimento:

 Peça que a turma que fique em círculo.


 Peça para que uma pessoa segure a ponta do barbante e jogue o rolo para
uma pessoa com quem gostaria de trabalhar em grupo e nunca trabalhou,
explicando o motivo de sua escolha.
 Esta pessoa deve segurar uma parte do barbante de modo que não fique
frouxo, e jogar para outro colega seguindo as mesmas orientações e,
 assim sucessivamente, até se formar algo parecido com uma “teia de
aranha”.
 Pedir para o grupo observar se alguém não recebeu o barbante ou se
alguém o recebeu duas vezes e comentar os motivos pelos quais ocorreu
esse fenômeno.
 Destacar que as diferenças individuais devem servir para o
enriquecimento do grupo e não para a desunião, porém para isso é
importante que haja, acima de tudo, tolerância e reconhecimento das
potencialidades de cada um.
 Logo em seguida explique que no trabalho em grupo é necessário haver
tolerância, harmonia e definição de papéis, pois somente assim se obterá
um resultado eficaz. Portanto, devemos cooperar e ter responsabilidade
diante dos nossos compromissos, principalmente quando envolve outras
pessoas.

Interesses relacionados