Você está na página 1de 4

Nome de descente: Lucas Timóteo Cuambe.

Ano: 2°ano de Direito Constitucional Moçambicano.


Curso: Pós-laboral.
Antropologia Cultural

Exercício Prático I

1_R: Antropologia é um estudo científico do homem, ou seja, é estudo das culturas das
diversas sociedades.

Tem como objectivo de estudo o ser humano de maneira totalizante, ou seja, abrange
todas as suas dimensões.

Quanto a área de estudo a antropologia divide-se, principalmente, em duas áreas:


Antropologia Física e antropologia cultural. Nestas esferas, campos de estudo diverso,
se tornaram independentes, sendo que a primeira é geralmente classificada como ciência
natural e a segunda como ciência social.

Como ciência natural procura conhecer o homem nas suas origens e evolução, sua
estrutura anatómica, seus processos fisiológicos e as diferentes características racionais
das populações humanas, antigas e modernas.

Como ciência social estuda os processos culturais e a estrutura social, levando-se


encontra as diferenças existentes entre grupos humanos, preocupando-se em conhecer as
relações sociais que as regem.

2_R: Etnocentrismo é o acto de você colocar a sua cultura no centro e considerar que é
amais importante que qualquer outra cultura, ou seja, considerar que ele está mais
correcta do que as culturas que você vem em volta de ti, portanto, etnocentrismo ele é
muito prejudicial, porque nos não procuramos compreender uma cultura diferente da
nossa, e é por isso que cautas tanto estranhamento quando nós nos deparamos com uma
cultura que nós não estamos habituados .

Portanto Relativismo cultural veio responder os problemas de ponto de vista de


etnocentrismo , afirmando que tudo deve ser visto e entendido duma forma diferenciado
para cada cultura ou então é uma questão de você tentar se colocar dentro de cultura
daquele individuo que você está observando e isso se faz através de método de
antropologia chamado etnografia , que é você tentar observar uma cultura com o
máximo de atenção aos nativos dessa cultura e com mínima de intervenção da sua
própria cultura.

Exemplo de tudo isto, temos exemplo do acto dos indianos de não comerem a carne de
vaca por considerar um animal sagrado , e agente estranha por isto não fazer aparte da
nossa cultura , mas é preciso exercício de se colocar como uma pessoa que quer
compreender a outra cultura que tem um olhar um pouco diferente, se colocar no lugar
de tentar intender o ponto de vista de cultura que não é familiar, é muito interessante e
ajuda a gente não cair nas armadilhas de etnocentrismo que está mais ligado ao
preconceito das outras culturas das outras sociedades .

3_R: Primeiro devo ressaltar que a Escola evolucionista tem como o seu campo de
interesse, ou seja o seu objectivo é os ’’selvagens’’, o homem primitivo e suas
preocupações e seus métodos de investigação .Esta escola procurava leis de evolução
das culturas e leis de funcionamento das sociedades através de método indutivo(ver,
ouvir , falar , escrever) e intensivo de campo , enquanto que a escola funcionalista
funda-se na aprovação dizendo que a estrutura dos mitos são idêntica em qualquer
canto da terra, confirmando assim que a estrutura mental da humanidade é a mesma,
independentemente da raça, clima ou religião adotada ou praticada .

4_R: No ponto de vista antropologia olha uma sociedade primitiva e bárbaro, assim
considerando-se como civilizador e transformador das mesmas sociedades que ele
olhava como atrasados. Os antropólogos contribuíram para treinamento de agentes e
funcionários coloniais, mas certamente os colonos e os nativos.

Ainda que todos estes povos dominados, distribuídos pela Ásia, África e Oceânia,
relevam de culturas ditas “atrasadas” ou “não mecanizadas” eram eles que compunham
o campo de pesquisa no interior do qual operaram os antropólogos.
Afirmavam ainda também deque o conhecimento de carácter científico advindos dos
povos colonizados deve-se, em grande medida, aos estudos por eles realizados.

5_R: A relação existente entre Direito e antropologia funda-se na medida em que


demostra a sociedade deque temos diversos direitos diversificados, através das normas
culturais, as nossas culturas mostram o que devemos fazer e oque não podemos, dessa
feita criando-se uma ordem social que são Normas que regula certas sociedades dentro
de um território.

Os antropólogos estudam e analisam as culturas e costumes das sociedades para facilitar


enquadramento do Direito, isto é, o Direito deve respeita os hábitos e costumes destas
sociedades , dai que os antropólogos devem conhecer estes costumes, culturas para
puder se enquadrar o direito que respeite esta sociedade evitando a violação.

6_R: Etimologicamente a palavra ‘’CULTURA’’ vem de Latim, que significa ‘’ação de


tratar’’.

O conceito de cultura primeiro devo ressaltar que tem vários significados, mas
antropologicamente a cultura significa todo aquele complexo que inclui o
conhecimento, as crenças, a arte, amoral, a lei, os costumes e todos os outros hábitos e
capacidade adquirido pelo o homem. Tem como a sua origem acultura da Europa,
através dos navegadores vindos da europa que buscavam informações e entregues aos
antropólogos para o seu estudo.

Antropologia cultural preocupa-se pelo estudo do homem como ser produtor de cultura.
Investiga as culturas humanas no tempo e no espaço, suas origens e seu
desenvolvimento, suas semelhanças e diferenças. Tem foco de interesse voltado para
conhecimento do comportamento cultural humano, adquirido por aprendizado,
analisando em todas as suas dimensões.

A pré-história de antropologia moderna tem como características o estudo sobre o ser


humano e a humanidade de maneira totalizante, ou seja , abrangendo todas as suas
dimensões.
A pré-história de antropologia moderna é marcada também pelo trabalho no campo,
ainda que os antropólogos devem deslocar-se para o campo para fazer o trabalho no
terreno.

Mas para tal é necessário um pouco de domínio de linguagem daquela sociedade,


conhecer os seus costumes, língua lá falada, portanto, conhecer o processo da sua
organização.

Durante a recolha da informação na pesquisa, é preciso codificar a informação no


sentido de ter informação de A e B para evitar indicar os nomes das pessoas.