Você está na página 1de 5

Matriz de atividade individual

Curso: LICENCIATURA EM PEDAGOGIA


Polo: COROATÁ/MA
Disciplina: CURRÍCULO
Tutor:

Atividade 3 – SINTESE
Aluno: MÁRCIO LUÍS PONTES BERNARDO DA SILVA
O Documento Curricular do Território Maranhense foi aprovado pelo Conselho
Estadual de Educação (CEE) através da Resolução CEE/MA nº 285/2018 e servirá
como base para construção dos projetos Político-Pedagógicos das escolas privadas e
públicas do estado do Maranhão, bem como balize os planos de aulas elaborados pelos
professores em todo território maranhense, trazendo as diretrizes que devem constar
nas etapas do ensino fundamental e no ensino fundamental.

Esse documento se baseia na BNCC e define as competências que devem ser


adquiridos pelos estudantes, focando numa formação humanista e integral,
compreendendo o ambiente escolar como a instituição designada pela humanidade para
que o conhecimento construído ao longo de gerações possa ser compartilhado com as
futuras gerações, observando as características geográficas, demográficas, econômicas
e socioculturais do estado. Dez competências determinadas pela BNCC estão presentes
no currículo do território maranhense: Conhecimento; Pensamento científico, crítico e
Criativo; Repertório cultural; Comunicação; Cultura digital; Trabalho e projeto de vida;
Argumentação; Autoconhecimento e autocuidado; Empatia e cooperação;
Responsabilidade e cidadania.

Ao organizar o documento curricular, deixou-se claro o desafiador papel do docente em


auxiliar a compreensão dos estudantes de grande quantidade de informações, do
conteúdo das disciplinas e como esses conhecimentos estão inseridos numa época de
alto desenvolvimento tecnológico. Constam no documento algumas referências
conceituais, abordando sobre a concepção de currículo, os processos de aprender e
ensinar, alfabetização e letramento e avaliação de aprendizagem. Também foram

1
destacados princípios educacionais considerados fundamentais no processo formativo
dos estudantes do Maranhão como: equidade, formação integral, diversidade e
inclusão.

Além desses, também foram incluídos os princípios pedagógicos que visam garantir o
sucesso escolar, são eles: Considerar os conhecimentos prévios dos alunos; Garantia do
acompanhamento da aprendizagem; Aprendizagem significativa, reconhecendo o valor
social do conhecimento; Planejamento pedagógico, como meio para o planejamento da
aprendizagem; Metodologias que assegurem a aprendizagem de todos;
Interdisciplinaridade; Diversidade como fonte de riqueza da aprendizagem; Ambiente
saudável e organizado como apoio à aprendizagem; Foco nas competências para o
alcance dos resultados esperados; Avaliação do desenvolvimento da aprendizagem de
forma diagnóstica, cumulativa e processual, em que a aprendizagem possa ser
assegurada por meio das interferências do professor ao longo do processo de ensino,
para que o educando se aproprie do saber elaborado.

Os temas integradores e alguns desdobramentos curriculares são expostos no


documento: Educação em Direitos Humanos e o Estatuto da Criança e do Adolescente
– ECA; Educação para o trânsito; Educação ambiental; Saúde e educação alimentar e
nutricional; Processo de envelhecimento, respeito e valorização do idoso; Educação
para as relações étnico-raciais e ensino da história africana e indígena – diversidade
cultural; Vida familiar e social, educação para as relações de gênero; Trabalho, ciência
e tecnologia; Educação financeira e fiscal e orientação para o consumo.

Sobre a etapa de educação infantil o Documento Curricular do Território Maranhense


descreve como uma etapa estratégica para o desenvolvimento das pessoas, buscando
garantir o direito das crianças de desenvolver todas as suas potencialidades. A
abordagem dos autores dividiu o conteúdo em cinco partes, são elas: avaliando a
educação infantil no cenário dos direitos; planejamento da prática pedagógica; direitos
de aprendizagem e desenvolvimento; a avaliação na Educação Infantil; a transição da
educação infantil para o ensino fundamental.

2
Sobre a etapa do ensino fundamental o documento apresenta as áreas do conhecimento
como componentes curriculares, orientando como esses componentes deverão ser
abordados e construídos em sala de aula, dentro dos planos e aulas dos professores. As
áreas de acordo com a BNCC são: área de linguagens (língua portuguesa, arte,
educação física e língua inglesa); área de matemática; área de ciências da natureza; área
de ciências humanas (geografia e história); área de ensino religioso.

Na área de linguagens o documento leva em conta haver diferentes ações


comunicativas obtidas em contextos sociais variados, não bastando ao estudante apenas
conhecer a estrutura de um tipo de texto, mas leva-lo a conhecer as situações de origem
e desenvolvimento histórico dos gêneros, bem como seus usos e funções sociais,
capacitando-se a compreender e produzir textos pertencentes a diversos gêneros,
desenvolvendo assim um pensamento crítico ao relacionar-se com a sua produção e
compreendendo as linguagens como meio de informação e transmissão da cultura. O
currículo propõe seis competências que devem ser desenvolvidas no ensino
fundamental, ligadas com as gerais e as específicas de cada componente curricular.

Na área da matemática a busca é para desenvolver a autonomia do aluno ao lidar com a


linguagem matemática, desenvolvimento de competências para a interpretação e
produção de escritas numéricas, resolução de problemas que envolvam raciocínio
lógico-matemático, compreensão das regras de funcionamento das quatro operações,
dos sistemas de medidas, numérico e monetário e seu uso no dia-a-dia; para a
representação ou leitura de dados através de tabelas e gráficos; e para a construção
conhecimento sobre tempo, forma, volume e as interações do homem com o espaço,
desenvolvendo estratégias de pensamento para solucionar os diversos problemas
matemáticos.

Na área de ciências da natureza procura capacitar o estudante para compreender e


interpretar o mundo (natural, social e tecnológico), compelindo-o a agir no e sobre o
mundo, através do acesso aos diferentes conhecimentos científicos, assim como a
aproximação progressiva aos processos, práticas e procedimentos da investigação
científica, fomentando a curiosidade e o interesse científico. O estudante deve ser capaz

3
não apenas de identificar os problemas ao seu redor, mas desenvolver possíveis
soluções para os problemas cotidianos, dialogar com os iguais sobre ciência e propor e
implementar soluções que visem melhorar a vida da comunidade em que está inserido.

Na área de ciências humanas busca capacitar o estudante a compreender a relação entre


os marcos históricos e as relações entre os diferentes grupos sociais, sujeita a
vinculações políticas, econômicas e culturais, bem como a existência de vinculo entre
as relações de poder e a organização da sociedade em que vive. O ensino das ciências
humanas objetiva colaborar para desenvolver sujeitos autônomos, conscientes e
capazes de conviver com e respeitar as diferenças.

Na área do ensino religioso trata-se de uma imposição de conceitos religiosos do estado


brasileiro, sabidamente laico, sobre crianças e adolescentes, apesar da BNCC tratar
como o estudo dos fenômenos religiosos em diferentes culturas e sociedades. O ensino
religioso deverá ser abordado através de pressupostos éticos, filosóficos e científicos
sendo articulada com outras áreas do conhecimento humano, possibilitando assim a
ressignificação de saberes e valores. A manutenção do ensino religioso na BNCC e
consequentemente nas escolas publicas e privadas do país nada mais é do que a
manutenção do status quo, de um estado regido por princípios judaico-cristãos, mesmo
contrariando a própria constituição federal que assegura um estado laico.

Em todas as áreas o documento traz o organizador curricular para cada série do ensino
fundamental, com unidades temáticas, objetos do conhecimento, habilidades que
devem adquiridas pelos estudantes e atividades sugeridas aos professores para inclusão
em seus planos e aula para trabalhar os conteúdos, inclusive com proposta de visita ao
patrimônio cultural local e feiras culturais. O documento traz ainda o termo
“MARANHENSIDADE” buscando estimular desde a educação infantil e fundamental
a identificação com a cultura do Maranhão.

4
REFERÊNCIAS

MARANHÃO. RESOLUÇÃO CEE/MA nº 285/2018. Aprova o Documento Curricular


do Território Maranhense como referência na implantação da Base Nacional Comum
Curricular da Educação Infantil e do Ensino Fundamental no Sistema de Ensino do
Estado do Maranhão. Disponível em: http://conselhodeeducacao.ma.gov.br/ementa/.
Acesso em: 01 de jul. 2019.