Você está na página 1de 18

CENTRO UNIVERSITÁRIO INTERNACIONAL UNINTER

LUCIENE MARIA CASTELLANI GARBELLINI, RU 2261738, LETRAS

ESTÁGIO SUPERVISIONADO – DOCÊNCIA EM LÍNGUA PORTUGUESA NO


ENSINO MÉDIO

ASSIS CHATEAUBRIAND
2018
CENTRO UNIVERSITÁRIO INTERNACIONAL UNINTER

LUCIENE MARIA CASTELLANI GARBELLINI, RU 2261738, LETRAS

ESTÁGIO SUPERVISIONADO – DOCÊNCIA EM LÍNGUA PORTUGUESA NO


ENSINO MÉDIO

Relatório de Estágio Supervisionado: Docência


em LÍNGUA PORTUGUESA no Ensino Médio
apresentado ao curso de Licenciatura em Letras
do Centro Universitário Internacional UNINTER.

ASSIS CHATEAUBRIAND
2018

1
SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO.........................................................................................................3

2 A ESCOLA/ INSTITUIÇÃO ESTAGIADA................................................................ 5

2.1 Identificação da Escola Estagiada ........................................................................5

2.2 Concepção Pedagógica da Escola .......................................................................5

3 DESCRIÇÃO E ANÁLISE REFLEXIVA DAS ATIVIDADES DO ESTÁGIO

SUPERVISIONADO.............................................................. ....................................7

3.1 Caracterização Estrutural ....................................................................................7

3.2 Caracterização dos profissionais que atuam na Escola Estagiada .....................7

3.3 Caracterização da turma estagiada......................................................................9

3.4 Perfil do professor observado durante o estágio supervisionado........................10

3.5 Descrição das aulas observadas/ministradas......................................................11

3.6 Descrição das atividades de avaliação ministradas/observadas.........................12

3.7 Plano de Aula.......................................................................................................12

4 CONSIDERAÇÕES FINAIS....................................................................................16

5 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ......................................................................17

2
1. INTRODUÇÃO

O Estágio Supervisionado constitui-se como um dos componentes


curriculares obrigatórios ao acadêmico do ensino superior, é uma exigência da Lei
de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, Lei 9394/96, no qual possibilita ao
educando uma oportunidade de aplicar os conteúdos estudados à prática escolar,
como forma de perceber a complexidade do real contexto da área profissional
escolhida e identificar as possíveis estratégias para solução de problemas
relacionados à profissão, até então desconhecidos a ele, com o desenvolvimento de
um espírito crítico, capacidade criativa e raciocínio lógico.

Nesse processo, o estágio pode ser compreendido como uma atividade de


compreensão, reflexão, análise, de um instrumento potencializador do processo de
formação docente, que possibilita a aprendizagem de novas experiências ao
educando, integrando práticas educativas de natureza investigativa, interdisciplinar,
extensiva, de aplicação de conhecimentos e de intervenção e/ou transformação da
realidade. É a relação teoria X prática e inclui atividades de pesquisa, participação e
regência. Segundo TRACZ e DIAS (2006):

Se o estágio supervisionado for visto como uma atividade que pode trazer
imensos benefícios para a aprendizagem, para a melhoria do ensino e para
o estagiário, no que diz respeito a sua formação, certamente trará
resultados positivos, além de estes se tornarem mais importantes quando se
tem consciência de que as maiores beneficiadas serão a sociedade, em
especial, a comunidade a quem se destinam os profissionais egressos da
universidade (TRACZ e DIAS< 2006, p.2).

O Estágio Supervisionado tem por objetivo, conforme o manual de estágio,


“oportunizar ao aluno a análise da realidade dos campos de atuação, reconhecendo
os métodos utilizados e os recursos disponíveis para favorecer o processo
profissional”, bem como realizar o planejar a docência (regência) das aulas de
Língua Portuguesa na disciplina de letras no Ensino Médio, aprendendo com as
dificuldades e desafios. Esse período foi relevante, pois possibilitou a vivência do
cotidiano na sala de aula, bem como o momento de decisão e de saber as aptidões
como profissional docente.

3
O presente relatório, além de analisar as especificidades da organização do
trabalho, junto à equipe pedagógica de uma instituição educacional e a observação
e analise da atuação dos diferentes segmentos da comunidade escolar, evidenciar
as conclusões que foram realizadas no período de visitas que ocorreu entre os dias
08 de maio a 03 de junho do ano de 2018 na instituição de Educação de Jovens e
adultos: CEEBJA de Assis Chateaubriand E.F.M. , no município de Assis
Chateaubriand-PR, que foi realizado pela acadêmica do curso de Segunda
Licenciatura em Letras do grupo UNINTER, Luciene Maria Castellani Garbellini, no
qual, desenvolveu atividades com vistas de aperfeiçoamento profissional de acordo
com a proposta pela Unidade Temática: Docência em Língua Portuguesa no Ensino
Médio, acompanhando a professora Maria Aparecida , na disciplina de Língua
Portuguesa . O referido estágio teve como supervisora a Pedagoga Solange
Rodrigues Tomim, no período noturno.

A realização desse período de estágio é de suma importância, pois permite a


articulação entre a teoria, própria da atividade acadêmica, com a prática, própria da
realidade da escola, como atividade instrumentalizadora e transformadora da
realidade. Este estágio baseou-se na observação participativa, elaboração e
desenvolvimento de um plano de aula e quatro horas/aulas de docência.

Como encaminhamento metodológico foi realizado visitas à instituição de


ensino, leitura e análise do PPP (Projeto Político Pedagógico) da escola, entrevista
com a pedagoga e com o diretor, participação nas atividades de planejamento,
elaboração e execução do plano de aula (docência) e observação da rotina e das
atividades desenvolvidas no dia a dia da escola.

O presente relatório também discorre sobre as características físicas da


escola; sua concepção pedagógica; a observação e análise das atividades
realizadas em sala de aula, a caracterização estrutural; a caracterização e perfil dos
profissionais que atuam na escola; os materiais e metodologias utilizadas pela
professora, as características da turma e dos alunos, bem como, a descrição da
prática docente de acordo com o planejamento e descrição cronológica das
atividades e a descrição das atividades de avaliação das aulas
ministradas/observadas. Este, encerra-se com a elaboração do plano de aula
realizado na docência.

4
2. A ESCOLA/INSTITUIÇÃO ESTAGIADA

2.1 IDENTIFICAÇÃO DA ESCOLA ESTAGIADA

O Estágio Supervisionado: Gestão Educacional foi realizado no CEEBJA de


Assis Chateaubriand, situada à rua Brasília, nº 45, centro, CEP: 85.935-000,
localizada no município de Assis Chateaubriand, Paraná. O contado com a escola
pôde ser realizado por meio do telefone (44) 35284489 e do email:
asdceebjassis@seed.pr.gov.br.

São ofertados aos estudantes, de forma presencial na organização coletiva e


individual, o Ensino Fundamental Fase II e o Ensino Médio, com funcionamento nos
períodos matutino, com 3 turmas do Ensino Fundamental e 14 turmas do Ensino
Médio, vespertino, com 2 turmas do Ensino Fundamental e 13 turmas do Ensino
Médio e noturno com 5 turmas do Ensino Fundamental e 25 turmas do Ensino
Médio. A instituição atende aproximadamente 1104 estudantes, sendo 910 na sede e
194 nas APEDs, sendo 9 alunos em processo de inclusão.

O estágio foi realizado nos dias 08 de maio a 03 de junho do ano de 2018, no


turno da noite, sendo observadas as turmas de Ensino Médio, a organização
pedagógica da escola, participação em reuniões, Conselho Escolar, planejamento,
entre outras atividades informativas para composição deste relatório.

2.2 CONCEPÇÃO PEDAGÓGICA DA ESCOLA

A escola CEEBJA de Assis Chateaubriand, no seu Projeto Político


Pedagógico, expressa a autonomia e contempla os princípios de liberdade de
aprendizado, de ensino, de pesquisa e de divulgação da cultura, do pensamento, da
arte e do saber. Vincula educação escolar, trabalho, práticas sociais; aponta
caminhos para que a escola exerça sua função social; parte do pressuposto de que
o jovem e/ou adulto tenha direito de acesso ao conhecimento científico,
sistematizado, a partir dos saberes adquiridos nas suas vivências.
5
Após a leitura e análise do PPP (Projeto Político e Pedagógico da Escola), e
entrevista com a pedagoga e o diretor da Instituição constatou-se que a concepção
pedagógica da escola está pautada em uma concepção da pedagogia histórico
crítica, de Dermeval Saviani, em conformidade com as Diretrizes Curriculares do
Estado do Paraná.

Segundo o Projeto Político Pedagógico, a educação tem suas origens no


desenvolvimento histórico e a concepção de homem compreende-se como aquele
que produz a sua existência no tempo, agindo sobre a natureza, trabalhando, vai
construindo o mundo histórico, da cultura, o mundo humano.

A concepção de sociedade considera as transformações sociais, o respeito as


diferenças individuais e coletivas e a solidariedade mutua. Nesta perspectiva, a
educação visa o processo de ensino e aprendizagem que contribua
intencionalmente para a transformação social na medida em que é orientado no
sentido de criar condições para que o aluno possa adquirir os conhecimentos
científicos, elaborado, mediado pelo professor.

O trabalho pedagógico pauta-se no compromisso de que a escola deva levar


seus alunos para além do senso comum e chegar ao conhecimento mais elaborado
sobre a realidade, para assim poder transformá-la.

A Educação de Jovens e Adultos (EJA), por ser um modalidade de ensino,


destinada a jovens e adultos que não deram continuidade em seus estudos e para
aqueles que não tiveram o acesso ao Ensino Fundamental e/ou Ensino Médio na
idade apropriada, essa modalidade de ensino é diferenciada do ensino regular
formal, visto que as turmas de ensino coletivo não são divididas por séries, mas por
disciplinas. Com isso, busca-se integrar esses cidadãos na sociedade, garantindo-
lhes o direito à educação escolar.

Por meio da entrevista com a professora da disciplina de Língua Portuguesa,


observou-se que a Língua Portuguesa é trabalhada de forma interdisciplinar, como
uma ferramenta construtora do conhecimento, por ser uma escola com uma forma
diferenciada de trabalho, com alunos com idade superior a 15 anos, a maioria são
maduros , a professora aproveita o máximo as experiências de vida que o aluno já

6
possui e estimula a construção de novas ideias e a busca de soluções para
situações problemas correlacionadas ao seu meio social.

3 DESCRIÇÃO E ANÁLISE REFLEXIVA DAS ATIVIDADES DE ESTÁGIO


SUPERVISIONADO

3.1 CARACTERIZAÇÃO ESTRUTURAL

O local tem um tamanho adequado para comportar o número de alunos e está


situado na região central do município de Assis Chateaubriand, funciona em
modernas instalações, em prédio locado de 1.200 metros quadrados, com dois
pisos, distribuídos em: deposito de merenda, sala de direção e direção auxiliar,
secretaria, coordenação, laboratório de informática, laboratório de ciências, .química,
física e biologia, biblioteca, deposito de materiais de limpeza, banheiros, 17 salas de
aula, sala da equipe pedagógica, sala de hora-atividade, cozinha e refeitório.

As salas de aulas estão mobiliadas com conjunto de carteira e cadeira, mesa


e cadeira para o professor, quadro de giz ou quadro branco, alguns novos outros
reformados, porem todos em bom estado de conservação. Os equipamentos
eletrônicos (computadores, impressoras e Datashow) estão todos em boas
condições de uso. A biblioteca conta com um vasto acervo bibliográfico com
aproximadamente 2.165 livros.

Uma característica relevante é o acesso ao segundo piso adaptado aos


portadores de necessidades especiais, tem acesso tanto por escada quanto por
elevador, os banheiros também possuem adaptações. Ambientes climatizados. Pode
ser considerado um espaço modelo.

3.2 CARACTERIZAÇÃO DOS PROFISSIONAIS QUE ATUAM NA


ESCOLA/INSTITUIÇÃO ESTAGIADA

7
A instituição visitada possui um quadro pessoal de 82 profissionais habilitados
de acordo com a Lei 12.796/2013, ou seja, 1 diretor (com formação acadêmica em
Licenciatura em Matemática), 1 diretora auxiliar, 4 pedagogos, 2 coordenadores
itinerantes de APEDs, 57 professores (todos licenciados em sua área de atuação),
13 agentes educacionais I e II, 1 professora da sala de recursos multifuncionais I e 1
professora da sala de recursos multifuncionais II, 1 interprete de libras e 2
professores de apoio.

A proposta de formação continuada, de acordo com o PPP, ao longo do ano,


está prevista no calendário escolar: grupos de estudo, Semana Pedagógica,
Formação em Ação, Equipe Multidisciplinar, Cursos, Reuniões, PDE, Seminários,
Simpósios, Brigada Escolar, Palestras presenciais e online. Participam desses
eventos todos os professores e funcionários da escola e em alguns casos os
membros dos colegiados. A instituição possui uma equipe da Brigada Escolar, no
qual se reúnem bimestralmente para avaliar e propor mudanças no plano de
abandono, treinamento com toda a comunidade escolar.

Em relação ao acompanhamento e realização da hora-atividade, a mesma é


realizada na escola, no qual os professores planejam as aulas, preparam as
atividades e avaliações, organizam o livro de registro de classe, corrigem avaliações
sob orientação da equipe pedagógica que dá o suporte necessário, orienta, organiza
e verifica o cumprimento das mesmas. Nas APEDs (Ações Pedagógicas
Descentralizadas) os professores fazem a hora-atividade nas sextas-feiras e contam
com o apoio constante das coordenações itinerantes que acompanham o trabalho
educativo e auxiliam nas práticas pedagógicas.

Outro aspecto relevante, é que esta instituição procura trabalhar as questões


do uso de álcool e drogas baseadas no processo de prevenção, com temas
transversais nas diversas disciplinas da grade, em especial, nas disciplinas de
Ciências e Biologia. Nas reuniões pedagógicas com professores e funcionários e
principalmente nas reuniões com os pais e responsáveis pelos estudantes menores
de 18 anos, são realizadas palestras de formação, no qual são convidados para
trabalhar estes temas alguns profissionais especializados, o Conselho Tutelar,
CRAS, CREAS, CAPES, Patrulha escolar, Secretaria da Saúde e a responsável pelo
programa no NRE, visando combater e prevenir o uso das drogas licitas e ilícitas.

8
3.3 – CARACTERIZAÇÃO DA TURMA ESTAGIADA

Primeiramente é importante salientar que a instituição estagiada CEEBJA de


Assis Chateaubriand (Educação de Jovens e Adultos), é uma instituição que
apresenta uma organização diferenciada das escolas comuns, ou seja, o
atendimento é realizado por meio de cronograma sendo possível que os estudantes,
na maioria trabalhadores, não frequentem a escola todos os dias. Outra
especificidade verificada foi o atendimento individual que possibilita uma
flexibilização nos horários dos alunos que optam por esse atendimento. A escola
oferta o Ensino Fundamental para jovens e adultos acima de 15 anos e o Ensino
Médio para aqueles com idade de 18 anos ou mais, funciona nos três períodos:
matutino, vespertino e noturno.

Para o atendimento aos estudantes portadores de necessidades especiais de


aprendizagem, é oferecido um atendimento complementar especializado, ou seja,
sala de recursos multifuncional do tipo I, que funciona no período vespertino e
noturno e é destinado a estudantes com deficiência intelectual comprovada por
laudo médico e a sala multifuncional do tipo II, com atendimento somente no período
vespertino, para alunos com deficiência visual (cegos, surdos-cegos e baixa visão).
A escola atende, através do professor de apoio de comunicação alternativa,
estudantes na área de surdez e deficiência físico-neuromotora. O sistema de
avaliação toma por base a realização de relatórios semestrais onde é registrado o
nível de desenvolvimento individual de cada aluno.,

As turmas coletivas do Ensino Médio não se caracterizam por série, mas por
disciplinas, em que o aluno, a partir do cronograma elaborado especificamente a ele,
participará das disciplinas que dê continuidade ao período em que parou de estudar.
Logo, a disciplina observada e no qual foi praticada à docência foi a de Língua
Portuguesa no Ensino Médio, que conta com 20 alunos (11 mulheres e 9 homens)
com idades bem variadas. A professora observada apresentou em sua concepção
pedagógica, uma concepção mais voltada ao sistema tradicional de ensino, com
traços da pedagogia histórico crítica.
Grande parte dos alunos estiveram muitos anos longe da rotina de estudos de
uma instituição escolar, com isso observou-se que, naturalmente possuem certas
dificuldades de assimilação e compreensão dos conteúdos de Língua Portuguesa,
9
os significados das palavras, em especial os aspectos de interpretações de textos,
entre outros aspectos, o que implica maior dedicação do professor à turma.
A atitude dos alunos em relação às aulas, os mesmos se apresentaram
cansados das atividades de trabalho, mas interessados em aprender, cada um em
seu ritmo, a maioria dos alunos integram-se uns com os outros, são educados e
orientados sempre ao respeito ao próximo. Os alunos têm uma boa relação entre
eles e com os professores que por sua vez, possuem boa dinâmica de atividades
propostas, incentivando a participação dos alunos para que os mesmos expusessem
as duvidas obtidas durante as aulas através de uma linguagem de fácil
entendimento e compreensão dos alunos.

Quanto ao perfil socioeconômico da turma, observou-se que a maioria são


pessoas de baixa renda, no qual o trabalho se apresentou em primeiro lugar, tiveram
que deixar os estudos e dedicar-se a sobrevivência, alguns alunos possuem
dificuldades de vir para a escola e de concentração por causa de horários
diferenciados de trabalho ou porque encontram-se muito cansados após uma longa
jornada. Outros, são adolescentes, alunos que completaram 15 anos e estão nesta
instituição porque foram evadidos de outras escolas.

3.4 PERFIL DO PROFESSOR OBSERVADO DURANTE O ESTÁGIO


SUPERVISIONADO

A professora Maria Aparecida é formada em licenciatura em Letras, possui


muitos anos de experiência como docente. Em sua prática pedagógica utiliza-se de
recursos e estratégias de ensino que favorece o aprendizado do aluno, utiliza livro
didático, porém utiliza-se de resoluções de situações problemas de acordo com a
realidade da turma para exemplificar o conteúdo de Língua Portuguesa.
É uma professora comprometida, demonstra segurança nos conteúdos
ministrados, envolvendo a turma em diálogos, em questionamentos, tem um
relacionamento bom e firme com os alunos, possui calma e dedica atenção especial
nas explicações e nas orientações sobre o conteúdo, procura sempre que possível,
responder às dúvidas dos alunos no momento em que são feitas, caso contrário

10
retoma o assunto na aula seguinte, procura estimular a participação dos alunos e
preocupa-se com o bem estar e o aprendizado deles.

3.5 DESCRIÇÃO DAS AULAS OBSERVADAS/ MINISTRADAS

Por meio do acompanhamento das aulas da disciplina de Língua Portuguesa,


observou-se que os conteúdos são trabalhados de forma interdisciplinar, como uma
ferramenta construtora do conhecimento. Os planos de aula não fogem à realidade
das modalidades regulares de ensino, possuem os mesmos conteúdo. A professora
aproveita o máximo das experiências de vida que o aluno já possui e estimula a
construção de novas ideias e a busca de soluções para situações problemas
correlacionados ao seu meio social.

As observações ocorreram nas aulas da disciplina de Língua Portuguesa,


com a docência da professora Maria Aparecida no Ensino Médio - Educação de
Jovens e Adultos. Durante o período de observação em sala de aula, percebeu-se
que as aulas nesta modalidade EJA, não transmite apenas o conhecimento científico
e tecnológico, mas a convivência em sociedade e a percepção do mundo. Nesse
período a professora deu continuidade às aulas anteriores sobre produção de textos
narrativos, dissertativos e poéticos.

O conteúdo trabalhado durante as aulas observadas e ministradas, foram


desenvolvidos com muita responsabilidade, a fim de manter uma relação e formação
geral dos aluno, visto que, tanto a professora como a estagiária cumpriram alguns
pré-requisitos constado na LDB 9394/96, que regulamenta: “[ .. .] elaborar e cumprir
o plano de trabalho, segundo a proposta pedagógica do estabelecimento de
ensino , zelar pela aprendizagem dos alunos , estabelecer estratégias de
recuperação para os aluno s de menor rendimento (LDB , 2010) ”

Quanto a metodologia, a professora seguiu uma metodologia mais


progressista, proporcionou uma exposição dialogada sobre o assunto, dando aos
alunos um olhar mais crítico e reflexivo da sociedade brasileira, foi utilizado o data
show como recurso tecnológico , exposição oral, quadro, giz e o livro didático que é
elaborado e ou adaptado pela instituição juntamente com a professora para atender
a realidade educacional da Educação de Jovens e Adultos.
11
Durante o período de observação foram realizadas anotações sobre a didática
da professora, a receptividade, o comportamento dos alunos frente ao conteúdo
trabalhado e como a professora tentou aproveitar a experiência que os alunos
possuem de conhecimento sobre o tema e depois aprofundá-lo, de acordo com sua
especificidade.

Nas aulas ministradas (docência) foi trabalhado sobre a leitura


e criação de textos poéticos. Foi utilizado notebook e data show,
como forma de motivação da aula para assistir alguns vídeos,
disponíveis na internet, em que poetas, artistas e autores declamam
e interpretam poesias como a de Carlos Drumond de Andrade,
Cecília Meireles, Manuel Bandeira, Mario Quintana e em seguida
motivou-se os alunos a, em pequenos grupos, criar textos poéticos
e organizá-los em forma de poema. Outros recursos didáticos usados foram
os textos do livro didático elaborado pela instituição, quadro, giz.
A turma observada não possuía alunos com deficiências, altas habilidades,
superlotação ou transtornos globais do desenvolvimento .

3.6 DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES DE AVALIAÇÃO


MINISTRADAS/OBSERVADAS.

Em relação às atividades avaliativas, aconteceram de maneira qualitativa e


paralela às aulas. A professora observa a participação dos alunos, a aplicação dos
conteúdos nos exercícios, as dificuldades encontradas e como os alunos
conseguiram compreender a aplicabilidade do conteúdo estudado no seu cotidiano.

3.7 PLANO DE AULA

1. IDENTIFICAÇÃO

Estagiária: Luciene Maria Castellani Garbellini


12
Escola/Instituição: CEEBJA de Assis Chateaubriand
Disciplina/Curso: Letras
Turma: Coletivo Língua Portuguesa - Ensino Médio
Sala: 14
Professora Regente: Maria Aparecida Silva Souza
Horário da aula: 18:50 às 20:30 (2 horas-aulas) e das 20:30 às 22:30

2. CONTEÚDO

Abordagem, leitura e criação de textos poéticos

3. OBJETIVOS

 Ler, compreender e interpretar textos poéticos;


 Distinguir texto literário de não literário;
 Fazer a distinção entre autor, eu poético e eu lírico;
 Criar textos poéticos e organizá-los na forma de poema

4. FUNDAMENTAÇAO TEÓRICA DO CONTEÚDO TRABALHADO E


METODOLOGIA DE ENSINO ADOTADA

Um texto, é um conjunto de signos, que são reunidos em um sistema com o


objetivo de transmissão de uma mensagem. Quanto aos textos poéticos, em suas
origens, tinham um caráter ritual e comunitário, os primeiros textos foram criados
para serem cantados. O texto poético é aquele que recorre a diversos recursos de
estilo para que possa transmitir emoções e sentimentos, sempre respeitando os
critérios do autor.

Entre as diferenças existentes entre textos literários e não literários estão a


forma de linguagem e a apresentação da informação, ou seja, enquanto no texto
literário utiliza-se de uma linguagem pessoal, de conotação, subjetividade, de
emoção, com emprego do lirismo e valores do autor ou do objeto retratado, o texto
não literário tem como característica a linguagem referencial, a denotação, a
13
objetividade, retrata a realidade, a informação, é chamado de texto utilitário. Um
mesmo assunto pode ser tratado nas duas formas de texto.

Assim, como sequência à aula retomados os conceitos básicos de verso,


estrofe, rima, poema e prosa, para nortear a leitura dos textos poéticos a serem
trabalhados com os alunos.

Como síntese do conteúdo trabalhado, sua fundamentação se dá a partir do


posicionamento de Garcez que diz:

[...] o texto escrito, enquanto ação com sentido, constitui uma forma de
relação dialógica que transcende as meras regras das relações linguísticas,
é uma unidade significativa de comunicação discursiva que tem articulações
com outras esferas de valores. Exige a compreensão como resposta, e esta
compreensão configura o caráter dialógico da ação, pois é parte integrante
de todo processo da escrita e, como tal, o determina (1998, p. 63).

Nesse contexto colocou-se a poesia como proposta de trabalho com objetivos


bem delineados, com ações devidamente planejadas e avaliadas, a fim de auxiliar a
formação dos alunos no processo de ensino e aprendizagem, tornando-os leitores e
produtores de textos de forma proficientes. Logo ao propiciar a leitura e a escrita do
gênero poético, foi possível interagir e fazer com que a aprendizagem dos gêneros
literários que circulam fora da escola seja significativa para o aluno e contribua para
um domínio efetivo da língua, e seu uso adequado para além do espaço escolar.
Quanto a metodologia aplicada, as aulas ministradas foram desenvolvidas
através do método expositivo e interativo, utilizando-se de links que levaram à
poemas que foram lidos no decorrer da atividade com os alunos, conforme a seguir:
 Poesia – Carlos Drummond de Andrade
http://www.jornaldepoesia.jor.br/drumm1.html#poesia
 Motivo – Cecília Meireles
http://www.jornaldepoesia.jor.br/ceciliameireles01.html#motivo2
 Os poemas – Mário Quintana
http://www.jornaldepoesia.jor.br/quinta.html#ospoemas

 O último poema – Manuel Bandeira


http://www.jornaldepoesia.jor.br/manuelbandeira04.html#ultim

14
5. DESENVOLVIMENTO DA AULA

Primeiramente foi realizada uma introdução com apresentação prévia como


estagiária e dos alunos para melhor relacionamento interpessoal, em seguida, a
apresentação do tema a ser abordado durante as duas aulas que estaria com eles,
logo após, realizou-se uma abordagem sobre o que os alunos tinham como
informação sobre algumas nomenclaturas importantes como: verso, estrofe, rima,
poema e prosa. Como já havia acompanhado a turma no decorrer das observações
de estágio, foi confortável a interação com os mesmos.
Em um segundo momento, a partir do que eles conheciam e ao mesmo tempo
introduzindo novos conhecimentos, foi explicado o conteúdo de forma calma e
detalhada, para que pudessem compreender. No material que os mesmos
possuíam já fazia referência ao tema o que ajudou no andamento da aula. Utilizou-
se de fragmentos de textos pertinentes ao tema com a ajuda dos recursos
tecnológicos (data show), em seguida foram realizados questionamentos
importantes de interpretação e compreensão do texto poético.
E por fim, realizou-se uma atividade em pequenos grupos, no qual os alunos
puderam criar em conjunto um mini texto poético, buscando organizá-lo em forma de
poemas, conforme estudado durante a aula.
O tempo para trabalhar o assunto foi satisfatório, apesar de alguns alunos
apresentarem certa dificuldade de interpretação, por terem ficado muito tempo longe
dos estudos. Mas, foi um trabalho produtivo e gratificante.

6. RECURSOS

Para abordagem e demonstrações do conteúdo, foram utilizados recursos


como: livro escolar de apoio dos alunos do 1º ano do Ensino Médio, produzido e
adaptado pela professora e instituição escolar, data show, notebook, quadro, giz,
papel, lápis, canetas e muita interação com a realidade deles.

15
4 CONSIDERAÇÕES FINAIS

Pimenta e Lima (2004) afirma que o estágio é o eixo central na formação


acadêmica do futuro profissional da educação, é por meio dele que o aluno possui
acesso à conhecimentos que são indispensáveis para a construção da identidade e
dos saberes do cotidiano.

As observações feitas na disciplina de Estágio Supervisionado Docência em


Língua Portuguesa no Ensino Médio na instituição CEEBJA de Assis Chateaubriand,
com carga horária de 100 horas, vieram complementar a teoria estudada durante o
curso de segunda licenciatura em Letras, com a prática diária no espaço escolar.
Essa experiência tornou possível a reflexão sobre as práticas pedagógicas, visto que
permitiu a vivência de problemas, antes inimagináveis, e acompanhar as formas de
solucioná-los. Foi importante a interação com os alunos, que em sua maioria
adultos, apresentam uma “sede” de conhecimento, e ao mesmo tempo apresentam
algumas dificuldades para alcançá-lo.

Um aspecto relevante desta instituição é sua estrutura física, excelente,


ampla, arejada, bem planejada, proporciona um ambiente ótimo para aprendizagem.
Quanto à aprendizagem, os profissionais são muito capacitados e a escola conta
com inúmeros recursos tecnológicos, bom sinal de internet, ampla biblioteca e
laboratórios para auxiliar no processo de ensino e aprendizagem.

As experiências vivenciadas durante o processo de estágio, permitiram a


reflexão sobre as questões que norteiam a construção do processo educativo que
está além das salas de aulas; foi importante conhecer a realidade da instituição
escolar, a interação dos profissionais entre si, com os alunos e com a comunidade.
Os conhecimentos adquiridos pela prática da docência foram de grande relevância
na formação acadêmica, foi um processo que uniu a teoria e a prática.

16
8 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BRASIL. Ministério de Educação e Cultura. LDB - Lei nº 9394/96, de 20 de


dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da Educação Nacional. Brasília:
MEC, 1996.

CEEBJA DE ASSIS CHATEAUBRIAND. Proposta Pedagógica do Centro Estadual de


Educação Básica para Jovens e Adultos (Documento interno da instituição visitada).

GARCEZ, Lucília H. do C. A escrita e o outro: os modos de participação na construç


ão do texto. Brasília, Editora Universidade de Brasília, 1998.
JORNAL DA POESIA. Poesia – Carlos Drummond de Andrade. Disponível site:
http://www.jornaldepoesia.jor.br/drumm1.html#poesia. Acesso em 24/05/2018.
________________. Motivo – Cecília Meireles. Disponível no site:
http://www.jornaldepoesia.jor.br/ceciliameireles01.html#motivo2. Acesso em
24/05/2018.
_________________. Os poemas – Mário Quintana. Disponível no site:
http://www.jornaldepoesia.jor.br/quinta.html#ospoemas. Acesso em 24/05/2018.
_________________. O último poema – Manuel Bandeira. Disponível em
http://www.jornaldepoesia.jor.br/manuelbandeira04.html#ultim. Acesso em
24/05/2018.
PIMENTA, Selma Garrido; LIMA, Maria Socorro Lucena. Estágio e Docência. São
Paulo: Cortez, 2004. (Coleção docência em formação. Séries saberes pedagógicos).
SA V IA N I. Dermeval. Pedagogia Histórico -cri tico: primeiras aproximações.
Campinas: autores Associados, 2003.

TRACZ, M.; DIAS, A. N. A. Estágio Supervisionado: um estudo sobre a relação do


estágio e o meio produtivo. 2006.

17