Você está na página 1de 22

Ebook sobre

tratamento para Dor


Lombar
João Pedro Delgado e Marcos Minello
Fisioterapeutas
Ebsaúde Cursos

(21) 99506-2220
suporte.ebsaude@gmail.com.br
Coluna Vertebral
Anatomia
• Corpo Vertebral – Área anterior da
vértebra

• Face intervertebral - Área de Apoio dos


discos intervertebrais

• Arco Vertebral - Toda a área Posterior ao


corpo vertebral
Vértebras Lombares
Anatomia
• Pedículos - Ligação entre o corpo vertebral e o processo
espinhoso. O espaço entre um pedículo e outro entre
duas vértebras, forma um forame, de onde saem as
raízes nervosas oriundas da medula espinhal
• Processo articular superior - Presente bilatralmente,
superior e posterior aos pediculos
• Processo Mamilar - Localizado superiormente e
posteriormente ao final de cada processo articular
superior
• Processo articular inferior - Presente bilatralmente,
inferior e posterior aos pediculos
Anatomia
• Processo transverso - Póstero laterais,
acidentes ósseos proeminentes para
ambos os lados
• Processo espinhoso - Posterior, central
• Lâmina do Arco Vertebral - Ligação entre
os processos transversos e o processo
espinhoso
• Forame Vertebral - Local de passagem da
Medula Espinhal
Músculos superficiais
• Latíssimo do Dorso
• Serrátil Póstero Inferior
• Ileocostal
• Longuíssimo
• Espinhais
• Oblíquos e Reto do abdome
Músculos Profundos
• Quadrado Lombar
• Multífidos
• Intetransversais Laterais
• Intertransversais Mediais
• Interespinhosos
• Transverso do Abdome
O que é dor?

“A dor é uma experiência somática


que reflete a apreensão de uma
pessoa de ameaça à sua integridade
física ou existencial.”
Cohen et al, 2018
Existem fatores extracorpóreos associados
ao aparecimento da dor Lombar?
Sono

“A análise mostrou que uma noite de baixa qualidade do sono, dificuldade


para dormir (avaliada pelo diário do sono), vigília após o início do sono e
baixa eficiência do sono (avaliada pelo sono e braçadeira) foram seguidas
por um dia com maior intensidade de dor.

Além disso, um dia com maior intensidade de dor foi associado a uma
diminuição na qualidade de sono noturna subsequente, aumento na latência
do sono (avaliado pelo diário do sono), acordar após dormir (avaliado por
ambas as medidas) e baixa eficiência do sono (avaliada pela braçadeira).”
Cigarro

“Nossas descobertas indicam que tanto


fumantes atuais quanto ex-fumantes têm
maior prevalência e incidência de dor
lombar do que os que nunca fumaram, mas
a associação é bastante modesta.

A associação entre tabagismo atual e


incidência de lombalgia é mais intensa em
adolescentes do que em adultos”
Obesidade e atividade física

“Nossos achados indicam que tanto a obesidade quanto o baixo nível de atividade física
são fatores de risco independentes da irradiação da lombalgia. Os resultados atuais
propõem uma relação em forma de U entre a atividade física e a irradiação da lombalgia.

Recomenda-se nível moderado de atividade física para prevenção da dor lombar,


principalmente em indivíduos obesos. Ao todo, nossos achados implicam que indivíduos
obesos devem permanecer fisicamente ativos, mesmo que não possam perder peso.”
Rastreamento

Tenho dor
(Queixa)

Como você se sente


O que alivia
Como é a sua Dor? em relação à sua
e o que piora?
(Qualidade) Condição?
(Agentes)
(Percepção)

Avaliar as 3 dimensões, e identificar possíveis potencializadores


da dor, principalmente crônica.
Quanto à qualidade
• Dor em trajeto

- Queimação;
- Formigamento;
- Dormência
- Falha de MMII

Possível dor neuropática (Avaliar com testes


neurodinâmicos e exame de imagem)
Quanto à qualidade
• Dor com características específicas

- Episódio de início bem definido


- Agentes agravantes bem definidos
- Início recente de lesão (6 a 8 semanas)
- Dor proporcional à Lesão
- Hiperalgesia presente em alguns casos

Possível dor nociceptiva (Testagens


segmentares específicas e exame de imagem
sem maiores correlações)
Quanto à qualidade
• Dor “misteriosa”

- Sem início especificado


- Duração >8 Semanas
- Sem área ou proporção bem delineados
- Resposta desproporcional à quaisquer desequilibrios
encontrados
- Alodinia ou Hiperalgesia presentes

Possível sensibilização medular ou central (Exames de


imagem para descartar bandeiras vermelhas, e testes
físicos sem correlação com o quadro)
Estratégias de tratamento
• Terapias manuais
• Técnicas assistidas
• Exercícios

• É importantíssimo saber em qual fase o


paciente se encontra, para definir a
melhor estratégia de tratamento
Estratégias de Tratamento
Por que fazer exercícios?
• São acessíveis a todos os níveis sociais
• São educativos
• Geram bom envolvimento do paciente,
quando bem desenvolvidos
• Aproximam o paciente dos seus padrões
normais de movimentação,
“desmamando” seus medos relacionados
ao movimento