Você está na página 1de 29

Observação e Entrevista como

estratégias de Avaliação
Psicológica
Prof. Ma. Thaís Malucelli Amatneeks
Observação
“É a procura do que está encoberto... Consiste na atenção
concentrada de fenômenos, nas condições em que eles
ocorrem, objetivando o conhecimento de suas causas, leis,
propriedades, etc.”

“É um instrumento de coleta de dados acerca do


comportamento de um indivíduo e da sua situação ambiental”
Dimensões da Observação
Como processo psicológico - é o ato de apreender coisas e
acontecimentos, comportamentos verbais e não-verbais.

É mais que ver e ouvir, é seguir atentamente o curso dos


fenômenos, selecionando o que torna mais importante e
significativo a partir de interações específicas.
Dimensões da Observação
Como técnica organizada – é o meio de medir por descrição,
classificação e ordenação.

Transcende a mera constatação de dados.

Ex. sujeito é agressivo (constatação), mas em que situação?


Qual o contexto? Frequência? Intensidade? Com quem? Qual a
consequência?
Tipos de observação
A partir da Técnica A partir da situação do observador

● Direta ● Não participativa


● Indireta ● Participativa/ativa

A partir do interesse científico

● Ocasional/não-estruturada
● Sistemática/estruturada
Técnicas de Observação
Observação Direta
Observação das ações em determinado espaço de tempo

Nível de interação varia desde nenhuma intervenção (observação sem intervenção)


até uma intervenção que envolva implementar um experimento em uma situação
natural.

Esforços dos pesquisadores para mudar ou criar o contexto para a observação:

- Com intervenção
- Sem intervenção
Observação Direta sem Intervenção
Observação Naturalística
Objetivo: Descrever o comportamento como ocorre normalmente e examinar as
relações entre variáveis.

O observador que usa esse método de observação age como um


registrador passivo dos fatos à medida que ocorrem
naturalmente.
Observação Direta sem Intervenção
Observação Naturalística
Existem certos aspectos do comportamento humano que não podemos controlar ou
observar em ambiente diferente do natural, por causa de considerações morais ou
éticas ou pelo afastamento das condições naturais.

Por exemplo: isolamento na primeira infância e o desenvolvimento emocional e


psicológico posterior.
Observação Direta Com Intervenção
● Observação participante
A observação participante permite que os pesquisadores observem comportamentos
e situações que não costumam estar abertos à observação científica.

Os observadores desempenham um papel duplo: observam o comportamento das


pessoas e participam ativamente da situação que estão observando.
Observação Direta Com Intervenção
● Observação participante
Explícita: os indivíduos que estão sendo observados sabem que o observador está
presente com o propósito de coletar informações sobre o seu comportamento.
Exemplo: Antropólogos

Oculta: os indivíduos que estão sendo observados não sabem que estão sendo
observados.
Técnicas de Observação
Observação Indireta

Analisa-se evidências de comportamentos passados usando


traços físicos ou registros arquivísticos. O foco é no produto do
comportamento: produções escritas, gráficas, dados como
produto, resultado, troféus, desempenho
Limites da Observação
● É parcial e seletiva - não pode ocorrer em todos os ângulos e abranger todos os
aspectos ao mesmo tempo;
● A presença do observador pode interferir na espontaneidade da situação;
● Olhar do observador X neutralidade ;
● Observar sem interpretar – subjetividade do observador;
● Valorização de alguns aspectos de acordo com o referencial teórico;
● Fidedignidade da observação e do registro;
Entrevista
O que é uma entrevista?
“A entrevista psicológica é um processo bidirecional de interação,
entre duas ou mais pessoas com o propósito previamente fixado no
qual uma delas, o entrevistador, procura saber o que acontece com a
outra, o entrevistado, procurando agir conforme esse conhecimento”

“É a interação face a face entre duas pessoas, na qual a troca verbal


se caracteriza pelo fato de que uma delas, o entrevistador, busca
obter informações, opiniões, crenças de outro, o entrevistado.”
“Entrevista clínica é um conjunto de técnicas de investigação,
de tempo delimitado, dirigido por um entrevistador treinado,
que utiliza conhecimentos psicológicos, em uma relação
profissional, com o objetivo de descrever e avaliar aspectos
pessoais, relacionais ou sistêmicos (indivíduo, casal, família,
rede social), em um processo que visa fazer recomendações,
encaminhamentos ou propor algum tipo de intervenção em
benefício das pessoas entrevistadas”. (CUNHA e col., 2002,
p. 45).
Características da Entrevista
● Processo ininterrupto de relação – Estabelece-se um campo
relacional
● Fenômeno relacional (grupal ou não) - Comportamento do
profissional e do entrevistado influenciam o processo

“O entrevistador controla a entrevista, porém quem a dirige é o


entrevistado” (Bleger)
Características da Entrevista
● Foco na dinâmica/estrutura/aspectos/fenômenos psicológicos e
relacionais
● Procedimento que articula teoria e prática
● Sempre deve haver um objetivo definido – nenhuma entrevista
‘esgota’ o entendimento da totalidade do funcionamento do
indivíduo
● Para o melhor entendimento da dinâmica do indivíduo, deve estar
vinculada a outras estratégias;
Tipos de Entrevista
Segundo o enfoque teórico:
- Postura do profissional;

- Pressupostos teóricos direcionam a busca de informações e a


investigação;
Tipos de Entrevista
Segundo os objetivos ou finalidade:
– Orientação profissional: habilidades, interesses, preferências

– Aconselhamento: o que conhece e qual a necessidade de orientação

– Diagnóstico: busca de critérios diagnósticos, características de síndromes, doenças


ou transtornos;

– Entrevista de desligamento: apresentar feedback, orientação à próximas etapas,


levantar expectativas;
Tipos de Entrevista
Segundo os objetivos ou finalidade:
– EOCA – Entrevista Operativa
– Psicoterapêutica;
Centrada na Aprendizagem;
– Triagem;
– Devolução de resultados;
– Enquete de opiniões ou motivações;
– Entrevista forense;
– Seleção;
– Pesquisa (fins científicos).
– Encaminhamento;
Tipos de Entrevista
Segundo a metodologia:
– Diretiva / Estruturada / Fechada

– Não-diretiva / Não-estruturada / Aberta / Livre estruturação

– Semi-estruturada / Mista.
Diretiva / Estruturada / Fechada
– Padronizada;

– Objetiva;

– Não podem haver alterações

Em geral relacionada à pesquisas científicas, protocolos, etc.


Não-diretiva/Não-estruturada/Aberta/Livre estruturação

Segue fluxo natural;

Liberdade na formulação das perguntas;

“Reside numa flexibilidade para permitir, na medida do


possível, que o entrevistado configure o campo da entrevista,
segundo sua estrutura psicológica particular” (Bleger)
Uma Entrevista Adequada deve:
- Facilitar o estabelecimento de um campo relacional (importância do rapport) e a
delimitação do setting;

- Ser um procedimento que pressupõe uma direção: clareza do objetivo da


entrevista / reconhecimento da desigualdade intrínseca na relação e da
responsabilidade profissional;

- Ser realizada por profissional capacitado tecnicamente para sua condução e


Integração entre a demanda do sujeito e da avaliação e o objetivo do procedimento;
Uma Entrevista Adequada deve:
- Considerar a entrevista como parte do processo e da complexidade que o compõe o
todo;

- Contar com a capacidade de reconhecer e adequar sua atitude profissional frente a


situações de esquivas, defesas, impasses, contradições, contratransferência,
ansiedade, agressividade, etc.

- Proporcionar uma percepção afinada com os processos que vão ocorrendo no


decorrer da entrevista;
TRABALHO 1
Valor - 3,0
Elaborar uma situação de
entrevista em um determinado
campo de atuação do psicólogo
Tópicos do Trabalho:
● Contextualização e caracterização do caso;
● Definição da Demanda;
● Descrição dos fenômenos psicológicos a serem observados;
● Definição do objetivo da avaliação psicológica;
● Definição do principal objetivo da sessão de entrevista;
● Definição da metodologia da entrevista e da observação (com justificativa
técnica);
● Elaboração do roteiro de entrevista;
● Criação de um roteiro, cenas e divisão de papéis; - APRESENTAÇÃO