Você está na página 1de 31

COESÃO E COERÊNCIA

TEXTUAL

Prof. Neuracy Silveira


O que é texto?
□ Texto não é um aglomerado de frases
sem sentido, não é uma simples
sequência de frases isoladas, mas uma
unidade linguística com propriedades
estruturais específicas.

□ É a unidade básica de manifestação


da linguagem.
ELEMENTOS RESPONSÁVEIS
PELA TEXTUALIDADE
→ → coesão
→ → → coerência
→ → → → intencionalidade
→ → → → → informatividade
→ → → → → → aceitabilidade
→ → → → → → → situacionalidade
→ → → → → → → → intertextualidade
Coesão e coerência

COERÊNCIA: unidade de sentido no


texto.

COESÃO: ligação entre os elementos


superficiais do texto;o modo como
eles se relacionam.
COESÃO TEXTUAL
□ A coesão textual ocorre quando a interpretação de
um elemento no discurso é dependente da de outro.
Um pressupõe o outro.

□ São as articulações gramaticais existentes entre as


palavras, orações, frases, parágrafos e partes maiores
de um texto que garantem sua conexão sequencial.

□ Trata-se de uma relação semântica, realizada por


meio do sistema léxico-gramatical, que dá maior
legibilidade ao texto.
■ Ela sabia que isso iria acontecer com ele.
□ Doente não à foi estava aula ele.

□ Ele estava doente. Não foi à aula.


■ Organização lógica: Coerência

□ Ele estava doente, por isso não foi à


aula.
■ Relação de consequência: Coesão
COESÃO: RECURSOS COESIVOS

Para escrever de forma coesa, há uma série de


recursos, como:
1-SUBSTITUIÇÃO:Pronominalização, ou seja,
o uso de pronomes em lugar de outros
termos já expressos.
Os pronomes empregados nesse caso de vários
tipos.
a)Pessoais:A pressão da sociedade de
consumo foi levada a tais extremos
que os presentes de Natal já não os
damos por generosidade, mas por
medo.
:

b) demonstrativo:Dinheiro não traz felicidade.


Quem diz isso está pensando em cruzeiros,
porque dólar traz.
c)relativo: O homem é o único animal
que ri.
d)indefinido:O mundo tem muitos idiotas,
mas, felizmente, estão todos nas outras
mesas
e) pronomes numerais Chegaram
separados o homem e a mulher, mas
logo os dois se sentaram juntos.
2-Sinônimos ou quase sinônimos:

●O mercado de calçados está em alta.São


inúmeros sapatos,botas,sandálias e tênis
exportados todo ano.

● Logo depois de o sargento ter sido vítima de


um acidente, o militar foi levado ao hospital.

● Ditados, cópias, redações, todas essas


atividades preenchiam o tempo de aula.
3-Termos resumitivos

Termos resumitivos são termos que


funcionam como uma espécie de conclusão
parcial, reformulando o tema e reduzindo-o
ao essencial.(assim, o mesmo, também,
todas ...)
Ex:O país é cheio de entraves burocráticos.
É preciso preencher um sem-número de
papéis. Depois pagar uma infinidade de
taxas. Todas essas limitações acabam
prejudicando o portador.
4-Nominalização
A transformação de uma frase ou de uma proposição em
grupo nominal, que pode ser feita a partir de:

a)UM VERBO.

□ Verificam-se os resultados. A verificação dos


resultados.

□ Eles foram testemunhar sobre o caso. O juiz


disse, porém, que tal testemunho não era válido
por serem parentes do assassino.
b)Um substantivo

□ Ele não suportou a desfeita diante de


seu próprio filho. Desfeitear um
homem de bem não era coisa para se
deixar passar em branco.
c)Um adjetivo:
□ Este trabalho é fácil. A facilidade
deste trabalho
5-OMISSÃO(elipse,zeugma)

□ São bons de porte e finos de feição


E logo sabem o que se lhes ensina,
Mas têm o grave defeito de ser livres.

Caso de construção elíptica (os índios brasileiros)


(O sujeito, no caso de um pronome de terceira
pessoa – eles -, das formas verbais são, sabem e
têm – elipse-omite termo facilmente identificado)
O rei da brincadeira – ê José
O rei da confusão – ê João
Um trabalhava na feira – ê José
Outro na construção – ê João

Caso de construção elíptica


A forma verbal trabalhava, no último verso
zeugma.(omite termo já citado)
6-REDUÇÃO

Redução do termo inicial, que possa ser


representado por uma de suas partes.

□ O ditador Getúlio Vargas;


□ O ditador;
□ Getúlio Vargas;
□ O ditador Vargas;
□ O ditador Getúlio;
□ Getúlio;
□ Vargas;
7-Repetição de uma palavra

□ A propaganda, seja ela comercial ou


ideológica, está sempre ligada aos
objetivos e aos interesses da classe
dominante. Essa ligação, no entanto, é
ocultada por uma inversão: a propaganda
sempre mostra que quem sai ganhando
com o consumo de tal ou qual produto ou
idéia não é o dono da empresa, nem os
representantes do sistema, mas, sim, o
consumidor. Assim, a propaganda é mais
um veículo da ideologia dominante.
□ Manuel da Silva Peixoto foi um dos
ganhadores do maior prêmio da loto.
Peixoto disse que ia gastar todo o dinheiro
na compra de uma fazenda e em viagens ao
exterior.

□ Lygia Fagundes Telles é uma das principais


escritoras brasileiras da atualidade. Lygia é
autora de “Antes do baile verde”, um dos
melhores livros de contos de nossa
literatura.
8-Metonímia
Metonímia é o processo de substituição de uma
palavra por outra, fundamentada numa
relação de contiguidade semântica.

□ • O governo tem-se preocupado com


os índices de inflação. O Planalto diz
que não aceita qualquer remarcação de
preço.

□ •
9-COESÃO POR CONEXÃO
□ Os conectivos – conjunções e preposições – são
responsáveis pela linguagem de elementos
linguísticos (palavras, frases, orações, períodos),
podendo carregar ou não significado para as relações
que fazem. As conjunções, assim como as
preposições, não desempenham função sintática, o
que ressalta seu papel de elementos conectores:

A artista plástica Sylvia Martins sempre quis viver


em um barco. Contudo, enquanto o sonho não se
realiza, a gaúcha de 48 anos vive debruçada sobre o
azul do Arpoador.
COERÊNCIA

□ A coerência é algo que se estabelece na


interação, na interlocução, numa situação
comunicativa entre dois usuários.
□ É o resultado da articulação das ideias de
um texto; é a estrutura lógico-semântica
que faz com que numa situação discursiva
palavras e frases componham um todo
significativo para os interlocutores
TEXTO INCOERENTE

Texto incoerente é aquele em que


o receptor (leitor ou ouvinte) não
consegue descobrir qualquer
continuidade de sentido, seja pela
discrepância entre os conhecimentos
ativados, seja pela inadequação
entre esses conhecimentos e o seu
universo cognitivo.
“[... ] não existe o texto incoerente em si, mas
[...] o texto pode ser incoerente em/para
determinada situação comunicativa. Assim,
será bom o texto quando o produtor
souber adequá-lo à situação, levando em
conta intenção comunicativa, objetivos,
destinatários, outros elementos da situação
de comunicação em que é produzido, uso
dos recursos lingüísticos etc. (KOCH;
TRAVAGLIA, 1993, p. 37),
Coerência: de que depende,
com se estabelece

a. de elementos linguísticos (seu


conhecimento e uso), bem como,
evidentemente, da sua organização
em uma cadeia linguística e como e
onde cada elemento se encaixa nesta
cadeia, isto é do contexto linguístico;
b. do conhecimento de mundo bem
como o grau em que esse
conhecimento é partilhado pelo(s)
produtor(es) e receptor(es) do texto,
o que se reflete na estrutura
informacional do texto, entendida
como a distribuição da informação
nova e dada nos enunciados e no
texto, em função de fatores diversos;
c. de fatores pragmáticos e
interacionais, tais como o contexto
situacional, os interlocutores em si,
suas crenças e intenções
comunicativas, a função
comunicativa do texto. (KOCH;
TRAVAGLIA, 1993, p. 47)
Pode haver coerência sem coesão?

□ Há textos que se organizam por


justaposição ou com elipses e,
mesmo assim, podem ser
considerados textos por seus leitores/
ouvintes, pois constituem uma
unidade de sentido.
□ Como exemplo de que pode haver
coerência sem coesão, veja o texto
seguinte:
CIRCUITO FECHADO
Chinelos, vaso, descarga. Pia, sabonete.
Água. Escova, creme dental, água, espuma,
creme de barbear, pincel, espuma, gilete,
água, cortina, sabonete, água fria, água
quente, toalha. Creme para cabelo, pente.
Cueca, camisa abotoaduras, calças, meias,
sapatos, gravata, paletó. [...] Pasta, carro.
Cigarro, fósforo. Mesa e poltrona, cadeira,
cinzeiro, papéis, telefone, agenda, copo
com lápis. [...] Bandeja, xícara pequena.
Cigarro e fósforo. Papéis, telefone, [...]
Apesar de aparentemente desconexos, os
fragmentos transcritos anteriormente têm
sentido: eles falam da rotina de um
homem de negócios. A sequência das
palavras ou frases justapostas retrata um
mundo moderno que bem conhecemos.
Assim, apesar da estranheza que provoca
em uma primeira leitura, o texto é
coerente, ou seja, faz sentido.
5.Qual a diferença de sentido entre as palavras mas e mais no
texto?
6.Que sentidos apresentam as palavras ainda e já no texto?
7.Com que objetivo a palavra "que" foi usada repetidas vezes no
texto?
Agora, leia texto de baixo para cima

1.O texto apresenta sentido?


2.Qual a mensagem transmitida por
ele?
3.A quem esta mensagem está
sendo dirigida?
4.Que palavras no texto são
responsáveis por fazer a ligação
entre as outras, ou seja, quais são
os elementos de coesão?
5.Qual a diferença de sentido entre
as palavras mas e mais no texto?
6.Que sentidos apresentam as
palavras ainda e já no texto?
7.Com que objetivo a palavra "que"
foi usada repetidas vezes no texto?
Agora, leia texto de baixo para cima
1.O texto apresenta sentido?
2.Qual a mensagem transmitida por ele?
3.A quem esta mensagem está sendo dirigida?
4.Que palavras no texto são responsáveis por fazer a
ligação entre as outras, ou seja, quais são os
elementos de coesão?
5.Qual a diferença de sentido entre as palavras mas e
mais no texto?
6.Que sentidos apresentam as palavras ainda e já no
texto?
7.Com que objetivo a palavra "que" foi usada repetidas
vezes no texto?
Agora, leia texto de baixo para cima.