Você está na página 1de 8

RELATÓRIO MULTIPROFISSIONAL

I – IDENTIFICAÇÃO
Nome:
Data Nascimento: 12.09.2004 Idade: 07 anos e 11 meses
Filiação: Pai:
Mãe:
Escola Municipal
Enturmação: Ciclo I Agrupamento: B Turno: Integral

II – MOTIVO DO ENCAMINHAMENTO

 Queixa da família: “É uma criança bem nervosa, gosta de fica sozinha no canto, agride todos da casa
menos a mãe”.
 Queixa da escola: “A educanda não memoriza, não acompanha a turma”.

III – PERIODO DA AVALIAÇÃO

A educanda foi avaliada nos dias 13, 14 e 15 de agosto de 2012.

IV – ATITUDE EM ATIVIDADE

Karolayne mostrou-se espontânea em suas ações, foi suscetível aos distratores e apresentou
dificuldade para compreender as consignas.

V – INSTRUMENTOS UTILIZADOS
 Bateria Psicomotora- BPM Vitor da Fonseca;
 Teste Matrizes Progressivas Coloridas - Raven;
 Teste Visuomotor Bender;
 Teste Sete palavras Sete figuras;
 Hora Lúdica;
 Provas Projetivas Psicopedagógicas;
 Ditado Topológico;
 Provas Operatórias de Piaget;
 Protocolo de Avaliação da Fonoaudiologia;
 Observação clínica de atividades com valor qualitativo, sem instrumentos específicos.

VI – SÍNTESE DA AVALIAÇÃO

 Aspecto Sócio-Emocional

Realizou a apresentação de si mesma de forma espontânea, revelou dificuldade na fala, como trocas e
omissões que dificultaram a ininteligibilidade do discurso, no entanto, interagiu com seus pares e com a equipe
avaliadora. Karolayne demonstrou tendência a reagir de forma imatura frente aos estímulos ambientais,
demonstrou insegurança, dificuldade para expressar-se, sentimento de inadequação, dificuldade realidade
objetiva e refúgio na fantasia.
Durante o processo avaliativo mostrou dificuldade em seguir regras e limites. Demonstrou baixo limiar
de resistência às frustrações.
Em relação aos sentimentos demonstrou capacidade em expressá-los, nomeá-los e identificá-los em
outras pessoas.
Manifestou dificuldade em formar juízo de valor, ou seja, mediante algum desejo, pode não ser capaz de
proibir-se de realizá-lo por questões morais.
O seu brincar teve como característica a modalidade de abordagem dubitativa, ou seja, foi curiosa e
explorou os brinquedos. A modalidade detectada da sua brincadeira foi de rigidez frente aos significados dos
objetos e o que dificulta suas representações simbólicas.
Na observação da Hora Lúdica Karolayne explorou os brinquedos apresentados e estabeleceu
significado aos objetos. A modalidade de aprendizagem apresentada neste momento foi a Hiperassimilação, na
qual houve precocidade na internalização dos esquemas representativos, predomínio do lúdico e da fantasia,
subjetivação excessiva, desrealização do pensamento, resistência aos limites e dificuldade para resignar-se.
O conceito de Modalidade de Aprendizagem nos é dado por Alicia Fernández (2000), e nos propicia uma
passagem do universal para o particular, da análise estática do aqui/agora para o estudo de um processo
dinâmico, de um objeto de conhecimento construído para um objeto de conhecimento em construção. O
fundamental aqui é o modo como se dá o processo de construção de conhecimento, no interior do sujeito que
aprende. Esta modalidade de aprendizagem é construída desde o nascimento do indivíduo, e é por meio dela
que este indivíduo enfrenta-se com a angústia inerente ao conhecer-desconhecer. E, são estas necessidades
específicas que deverão nortear nosso trabalho com indivíduo.
Revelou por meio das Provas Projetivas Psicopedagógicas ausência de vínculo com a aprendizagem
sistemática, porém, demonstrou desejo pela aprendizagem. Com o ambiente familiar apresentou vínculo
negativo. Portanto, será necessário estabelecer o vínculo escolar para que a educanda possa aprender e
conhecer com efetividade. E, na família, estabelecerem rotinas para o aprendizado formal. Durante a realização
da prova a educanda se mostrou dispersa sendo necessário repetir as consignas.

 Aspecto Cognitivo

Em relação à área do pensamento Karolayne revelou dificuldade para compreender consignas


complexa e de planejar suas atividades, não conseguiu formar conceitos e abstrair, ou seja, manifestou
dificuldade em organizar seus conhecimentos, visando uma melhor adaptação dentro do esperado para sua faixa
etária. Apresentou dificuldade para estabelecer uma relação entre os elementos de uma história, que possui uma
lógica preestabelecida e que determina uma ordem, portanto, não alcançou um nível de elaboração das relações
de causalidade e ordem para interpretar fatos com sequência lógica.
Evidenciou comportamentos que apontam para uma dificuldade em selecionar estímulo e ignorar os
estímulos concorrentes e em manter o foco da atenção ao longo do tempo durante atividade. O que pode
interferir na retenção da aprendizagem.
A educanda não planejou previamente suas atividades, executando-as no modo de tentativa e erro.
Portanto, mediante suas tarefas, sentiu dificuldade em tomar decisões para atingir um objetivo, em estabelecer
um modo definido de pensamento e em seguir passos para alcançar o proposto, levando em conta sua
hierarquização. Logo, necessita de comandos simples (sistematizados passo a passo), supervisão, estabelecer
rotinas, com a finalidade internalizar a noção realista do tempo.
No que se refere à capacidade de raciocinar por analogia, de compreender algo novo ou interpretar
novas informações a partir do que já é percebido ou conhecido, Karolayne obteve um resultado inferior para sua
faixa etária, de acordo com o Teste Matrizes Progressivas Coloridas- Raven.
Segundo o Teste Sete Palavras Sete Figuras apresentou desempenho regular na memória visual
imediata e prejuízo na tardia. Quanto à memória auditiva revelou prejuízo, tanto na imediata quanto na tardia. A
educanda manifestou dificuldade em reter os estímulos orais, bem como de evocá-los. Portanto, Karolayne
necessita de apoio visual, a fim propiciar uma melhor aprendizagem e também de estimulações orais para
melhorar sua memorização auditiva.
Evidenciou uma imaturidade perceptomotora ao executar as atividades que contemplam as habilidades
do comportamento visuomotor, quando comparada a outras crianças de sua faixa etária, de acordo com o Teste
Visuomotor Bender, ou seja, dificuldade de reproduzir ou copiar um modelo visual apresentado na ausência de
distúrbios visuais, motores e perceptivos.
Apresentou dificuldade em perceber e discriminar características, texturas e qualidade dos objetos
apresentados (caixa tátil).
Foi analisado seu material escolar e o mesmo encontrava-se desorganizado e a metodologia utilizada
pela escola estava diversificada.
O Ditado Topológico tem por objetivo verificar se a criança é capaz de se orientar espacialmente na
folha de papel e, consequentemente, escrever com eficácia. Nele, Karolayne ainda não internalizou os conceitos
necessários para estabelecer sua escrita.
Mediante as provas de diagnóstico operatório é possível detectar o nível do pensamento alcançado
pelos educandos e ou o nível de estrutura cognitiva com que o sujeito é capaz de operar na situação presente.
Neste procedimento a educanda não conseguiu realizar a prova, igualando o nível e não fez as conservações
necessárias, evidenciou assim, encontrar-se na etapa do pensamento intuitivo global de 4/5 anos
aproximadamente. Portanto, a idade mental, não se encontra em consonância com a cronológica. Sendo
indicativo de atendimento na Sala de Recursos Multifuncional - Atendimento Educacional Especializado.
Quanto à comunicação oral e pragmática apresentou desenvolvimento dentro do esperado para sua
idade. Sua produção articulatória evidenciou troca sistemática do fonema [  ] pelo [ y ] / palha – paya, do
encontro consonantal c ( l ) pelo c ( r ) / planta – pranta /, omissão dos arquifonemas { R, S }, podendo estas
serem de influência ambiental.
Diante das produções gráficas obtidas, observou que Karolayne encontrou-se na fase das garatujas e
ainda não reconheceu as vogais e consoantes.
Em relação à consciência fonológica e discriminação auditiva, a educanda não compreendeu as
consignas para realização dos testes.
Referente à motricidade orofacial, apresentou lábios discretamente volumosos, abertos, tônus
rebaixado; língua flácida com mobilidade alterada (não consegue manter língua acoplar e vibrar), bochechas
assimétricas. Seu palato duro encontrou-se ogival, com mobilidade de palato mole reduzida e amigdalas
presentes.
Nas funções estomatognáticas observou-se respiração oral (tem adenóides-sic), mastigação ineficiente
(ritmo rápido, fraca, lábios abertos, vertical, mais anteriorizada), deglutição com postura de língua contra/entre
arcadas, fala alterada (com ceceio na emissão dos fonemas sibilantes e protrusão nos linguodentais, voz
anasalada, articulação reduzida e imprecisão levando a dificuldade de compreensão).
Karolayne apresentou alterações em suas arcadas (mordida aberta anterior), também muitas cáries, o
que pode estar influenciando o equilíbrio do sistema mioosteodentofacial, pois a as praxias e funções para serem
desempenhadas com êxito, necessitam de pressão, velocidade e movimentos adequados para que cada uma
seja produzida com eficácia.

 Aspecto Psicomotor

A educanda apresentou um tônus de caráter hipotônico, segundo a Bateria Psicomotora de Vitor da


Fonseca (1995).
No item equilibração apresentou dificuldades gerais (estáticas e dinâmicas). Segundo a BPM o equilíbrio
envolve os centros de postura e tonicidade (áreas primárias de Luria) que interferem nos estados de
atenção/alerta e são as bases da aprendizagem, normalmente educandos com dificuldades relevantes de
equilíbrio tem dificuldades de atenção e, consequentemente, dificuldades de aprendizagem.
Karolayne possui uma dominância homogênea ocular, auditiva, pedal e manual Esquerda.
No fator Noção Corporal apresentou dificuldades nos subfatores:
Sentido Cinestésico, Reconhecimento Direita e Esquerda, Autoimagem,
Imitação de gestos e Desenho Corporal. Não soube determinar/identificar os
lados direito e esquerdo em si e no outro (lateralidade espelhada), não
reconhecer no outro ainda é esperado nessa idade. O desenho da figura
humana foi retratado de forma geometrizada, dedos em “palitos”, com
ausência de pescoço, nariz e orelhas, entretanto está próximo ao esperado
para idade. Segundo Vitor da Fonseca, isso revela uma má percepção
sensitiva e proprioceptiva corporal, que devem ser estimuladas. A esse
respeito o autor diz que crianças com dificuldade de aprendizagem
frequentemente emergem de uma fraca autoimagem, e que as novas
aprendizagens são construídas sobre sistemas pré-existentes, ou seja, se o
anterior não for bem assimilado o próximo terá grandes chances de também
não ser.
Na estruturação espaço temporal a educanda não internalizou os dias da semana, sua data de
aniversário e os meses do ano (não dominar nome/sequência dos meses é normal para essa faixa etária).
A educanda apresentou dificuldades gerais nas atividades de Praxia Global e Fina. Dificuldades essas já
esperadas, pois a execução motora desses subfatores é dependente da atuação conjunta de vários outros
subfatores que participam dessa planificação/execução e que já foram percebidos que não foram totalmente
assimilados, tais como: equilíbrio, a noção corporal, a lateralidade e a estruturação espaço temporal. Nesse
sentido, evidencia-se uma lentidão ou ineficiência na planificação de novas ações, independentemente de uma
inteligência normal ou de uma motricidade funcional.

VII – CONCLUSÃO
Karolayne apresentou atraso no seu Desenvolvimento Neuropsicomotor (DNPM), demonstrando
dificuldades no seu processo de aquisição dos conhecimentos, essas dificuldades são sugestivas de fatores
Emocionais (imaturidade, insegurança, sentimento de inadequação, dificuldade para expressar-se dificuldade
em lidar com a realidade objetiva e refúgio na fantasia), Ambientais (Pobreza de estímulos, estrutura familiar
fragilizada) Orgânicos (respiradora oral, anemia - SIC) e Psicomotores (Equilíbrio, Noção Corporal,
Estruturação espaço temporal, Praxia Global e Fina).

VIII – ENCAMINHAMENTOS

 Interno: Psicologia, Estimulação Cognitiva, Terapia Ocupacional, Informática Educativa, Fonoaudiologia,


Psicopedagogia, Psicomotricidade
 Externo: AEE, Ortodontista, Neuropediatra e Otorrinolaringologista.

IX – PROPOSTA DE INTERVENÇÃO
Consciência fonológica (capacidade de transformar grafemas em fonemas)

Sugestões de atividades:
 Jogos com rimas (excelente iniciação à consciência fonológica). Usar poesias, canções e versos. Recitar o
poema baixinho, dizendo palavras que rimam em voz alta;
 Enfatizar a rima por meio de movimentos;
 Rima de palavras (o professor apresenta a palavra e a criança e/ou os grupos de criança apresentam uma
palavra que rime com ela). Obs: as crianças podem apresentar palavras sem sentido- considerar esse fato;
 Apresentar uma frase para ser completada com a rima. Ex:: quem cochicha o rabo___________;
 Recortes e colagem de objetos que terminam com o mesmo som;
 Aliteração (palavras que iniciam com o mesmo som);
 Selecionar figuras que iniciam com o mesmo som;
 Trava-línguas que iniciam com o mesmo som. Exemplo: o rato roeu a roupa do rei de Roma; Adedonha;

Para ajudar o educando na escrita:


 Encontre um amigo que o ajude a tomar notas ou dividir as anotações;
 Permita o uso de um bloco de notas;
 Desenvolva um banco de palavras ou uma lista de palavras que ela erra constantemente.

Para ajudar o educando na leitura:


 Permitir o uso de marcadores para seguir a leitura;
 Gravar os textos para ajudá-lo;
 Usar canetas marca-texto para ressaltar os itens a serem lembrados;
 Depois da criança ter lido um texto, peça-lhe para reler o título e explicá-lo;
 Solicite que observe as figuras e dê uma explicação;
 Reveja o vocabulário das palavras do texto;
 Leia as perguntas se houver , ou crie perguntas para testar sua interpretação;
 Leia os títulos dos capítulos e comente-os;
 Peça à criança para fazer um desenho a respeito do que foi lida.

Discriminação auditiva - capacidade em diferenciar a similaridade ou diferenças entre os sons que formam a
língua oral.
 Trabalho com rimas
 Dominó com rimas
 Trabalho com som inicial ou som semelhante

Atividades
1-Fazer com que as crianças antecipem os sons ou palavras das histórias, poesias ou canções.
2-Fazer com que as crianças com olhos fechados identifiquem sons.
3- Pedir às crianças que reconheçam sons similares ao início, meio e final das palavras.

X- REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS
ALMEIDA, Geraldo Peçanha. Teorias e Práticas em Psicomotricidade. R. Janeiro: Wak, 2006.
ALVES, Fátima. Psicomotricidade: Corpo, Ação e emoção. 2ª edição R. Janeiro: 2005.
ANTUNES, Celso. Jogos para a estimulação das múltiplas inteligências. 10ª edição. Petrópolis - RJ. Editora
Vozes. 1998.
FERNÁNDEZ, Alicia. A Inteligência Aprisionada, Editora Artmed, Porto Alegre, 1990.
GOTUZA, Alessandra; CAPOVILLA, Seabra, CAPOVILLA, Fernando César- Problemas de leitura e escrita.São
Paulo: Memnon. 2000.
MARILYN Jager et all.- Consciência fonológica em crianças pequenas. Porto Alegre: Artmed, 2006.
OLIVEIRA, Gislene de Campos. Psicomotricidade – Educação e Reeducação num Enfoque Psicopedagógico.
3ª edição. Petrópolis - RJ. Editora Vozes. 1999.
PALMA, Sônia Maria Motta. Aprendendo a lidar com TDAH. Guia Prático de intervenções para familiares e
professores. Editora Novartis.
PULASKI, M.A.S. Piaget: perfil biográfico. In, Compreendendo Piaget: uma introdução ao desenvolvimento
cognitivo da criança. São Paulo: Zahan Editora, 1980.

XI– ASSINATURAS DOS PROFISSIONAIS

_____________________________ _____________________________

Psicóloga Psicopedagoga/Neuropedagoga

_____________________________ _____________________________

Fonoaudióloga Profº Ed. Física/Fisioterapeuta

_____________________________
Coordenação de Unidade

Goiânia, agosto de 2012.

Observação: O relatório descrito considera que os dados obtidos no período de avaliação têm determinações históricas,
sociais, econômicas e políticas. Sendo as mesmas, elementos dinâmicos, evolutivos e não cristalizados em uma categoria
específica. (Compilado da Resolução CEP/2002 Memo 607/2003 S.M.S.)
SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO
CMAI
CENTRO MUNICIPAL DE APOIO A INCLUSÃO
BRASIL DI RAMOS CAIADO

ENCAMINHAMENTO

Especialidade: Otorrinolaringologista

Encaminhamos a educanda Karolayne Rafaela R. da Silva Morais, avaliada pela equipe


multiprofissional do CMAI no período de 13 a 15 de agosto de 2012.
Apresentou durante a avaliação características de respirador oral (lábios abertos, olheiras, narinas
estreitas, adenóides - sic), solicitamos uma avaliação mais detalhada para maiores esclarecimentos.
O seu parecer profissional contribuirá para a estruturação de uma melhor proposta de intervenção para
o educando.
Aguardamos retorno.
Atenciosamente,

_____________________________ _____________________________
Sheila Côrrea C. Carvalho Jane Salustiano G. Freitas
Psicóloga/Neuropsicóloga Psicopedagoga/Neuropedagoga

_____________________________ _____________________________
Daniela Stival de Melo Irata Cláudio Pereira Neves
Fonoaudiologia Profº Ed. Física/Fisioterapeuta

___________________________ ___________________________
Serviço Social Direção ou Coordenação

Goiânia, agosto de 2012.

Rua Leão XIII esq. c/ Rua Maracanã nº 1 - St. Rodoviário – Goiânia/GO


CEP. 74.430-310 Fones: 3524-5604 / 3524-5606
SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO
CMAI
CENTRO MUNICIPAL DE APOIO A INCLUSÃO
BRASIL DI RAMOS CAIADO

ENCAMINHAMENTO

Especialidade: Ortodontista

Encaminhamos a educanda Karolayne Rafaela R. da Silva Morais, avaliada pela equipe


multiprofissional do CMAI no período de 13 a 15 de agosto de 2012.
Apresentou alterações em suas arcadas dentárias (mordida aberta anterior e muitas cáries),
prejudicando a execução satisfatória das praxias e funções estomatognáticas, solicitamos uma avaliação mais
detalhada para maiores esclarecimentos.
O seu parecer profissional contribuirá para a estruturação de uma melhor proposta de intervenção para
o educando.
Aguardamos retorno.
Atenciosamente,

_____________________________ _____________________________
Sheila Corrêa C. Carvalho Jane Salustiano G. Freitas
Psicóloga/Neuropsicóloga Psicopedagoga/Neuropedagoga

_____________________________ _____________________________
Daniela Stival de Melo Irata Cláudio Pereira Neves
Fonoaudiologia Profº Ed. Física/Fisioterapeuta

___________________________ ___________________________
Serviço Social Direção ou Coordenação

Goiânia, agosto de 2012.

Rua Leão XIII esq. c/ Rua Maracanã nº 1 - St. Rodoviário – Goiânia/GO


CEP. 74.430-310 Fones: 3524-5604 / 3524-5606
SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO
CMAI
CENTRO MUNICIPAL DE APOIO A INCLUSÃO
BRASIL DI RAMOS CAIADO

ENCAMINHAMENTO

Especialidade: Neuropediatra

Encaminhamos a educanda Karolayne Rafaela R. da Silva Morais, avaliada pela equipe


multiprofissional do CMAI no período de 13 a 15 de agosto de 2012.
Apresentou durante a avaliação dificuldade para selecionar os estímulos e manter o foco da atenção,
bem como dificuldade de compreensão. Solicitamos uma avaliação mais detalhada para maiores
esclarecimentos.
O seu parecer profissional contribuirá para a estruturação de uma melhor proposta de intervenção para o
educando.
Aguardamos retorno.
Atenciosamente,

_____________________________ _____________________________
Sheila Corrêa C. Carvalho Jane Salustiano G. Freitas
Psicóloga/Neuropsicóloga Psicopedagoga/Neuropedagoga

_____________________________ _____________________________
Daniela Stival de Melo Irata Cláudio Pereira Neves
Fonoaudiologia Profº Ed. Física/Fisioterapeuta

___________________________ ___________________________
Serviço Social Direção ou Coordenação

Goiânia, agosto de 2012.

Rua Leão XIII esq. c/ Rua Maracanã nº 1 - St. Rodoviário – Goiânia/GO


CEP. 74.430-310 Fones: 3524-5604 / 3524-5606