Você está na página 1de 13

1

Síntese de Seminários sobre o Estudo de Documentos de Leccionação no PEA

Enoe Mendes: Educação Visual 2º Ano- 2019


2

Introdução

A presente síntese produzida através de um estudo conjunto de grupos de estudantes de


educação visual divididos em grupos de classes indicados para estudo do manuais usados na
leccionação, nomeadamente 8ª, 9ª, 10ª, 11ª e 12ª classe, sendo que como faz alusão do tema
estudo dos documentos, mas devido a falta de acessibilidade de alguns documentos pelas
instituições de ensino, como planificações quinzenais, dosificações, entre outros produzidos
pelos mesmos ou fornecidos nível do MINED, limitou-se o estudo apenas nos manuais do
ensino secundário geral e o programa de ensino em vigor.

Este estudo visa Analisar os manuais desde os conteúdos, suas abordagens, sequencia,
carga horária e seus métodos de leccionação, propostas de melhoramentos e referência ao que
deve ser mantido.

A realização desta pesquisa foi baseada em leituras dirigidas, referências bibliográfica,


entrevistas e análise crítica.

Enoe Mendes: Educação Visual 2º Ano- 2019


3

Síntese das Principais Constatações dos Seminários

A realização dos seminários foi uma das etapas mais importantes, nas apresentações feitas
pelos grupos abriu-nos a mente a cerca de alguns aspectos a ter em conta na leccionação de
E.V, isto é, o programa de ensino, os manuais e outros documentos que auxiliam na realização
de uma boa aula, que se interrelacionam entre elas para torna o ensino e aprendizagem mais
eficaz. Vendo isto, um dos documentos mais importantes é o programa de ensino em que
todos os outros documentos devem se basear, para uniformizar o ensino.

1º Grupo:

Tema: Estudo dos Manuais da 8ª Classe da Disciplina de Educação Visual.

Manuais usados pelo grupo foram: o livro do aluno estudado é o do autor Filipe David
Carrel Samuel (Texto Editores,2008), e auxiliar é o do autor Helena Veloso/Luís Almeida
(Plural Editores, 2009), coadjuvando-se com o programa da 8ª Classe da mesma disciplina.

Quanto a sequência das unidades:

 O livro estudado coaduna com o programa de ensino.

Quanto ao conteúdo das Unidades, segundo o grupo:

 As unidades II, IV e V, do livro estudado coadunam com programa de ensino;


 Unidade I- Arte: Alguns conteúdos do livro estudado concordam com o programa
de ensino, excepto os conteúdos não concordam porque não ter os conteúdos Arte
Universal e Pintura que o programa ensino faz menção; e os conteúdos
Importância da arte e Formas de expressão artística no livro estudado estão
com problemas de abordagem;
 Unidade III- Comunicação Visual: o único conteúdo com problema é Importância
da Comunicação Visual, o resto dos conteúdos do livro estudado coincidem com o
programa;
 Unidade IV- o conteúdo de Importância da Forma o manual não aborda exigindo
recorrer ao manual auxiliar, e os conteúdos de Enquadramento da Forma e
Proporções e Sobreposições não estão muito resumidos.

Enoe Mendes: Educação Visual 2º Ano- 2019


4

Quanto aos objectivos:


 Os objectivos da II, III, e V unidade são alcançáveis, os das restantes unidades não são
por falta ou algum conteúdo com defeito na Unidade I-Arte itens de descrever a
importância da Arte no desenvolvimento integral do ser humano e reconhecer a
arte universal que o manual de Filipe S. D. Carrel os conteúdos não são abordados; e
na Unidade IV- no caso do objectivo “Reconhece a importância da forma – função”
porque o conteúdo no livro não é abordado.

Quanto a carga horária:

 O programa de ensino da 8ª classe de E.V apresenta uma pequena falha, para as


unidades II,III,IV e V, no quadro da visão geral dos conteúdos e no mapa temático das
unidades, em que os tempos lectivos não coincidem, segundo o grupo os tempos
lectivos apropriados é o apresentado na visão geral dos conteúdos.

Sugestões: o grupo para a solução de qualquer inconveniente nos conteúdos ou alcance de


objectivos deu o manual do autor Helena Veloso/Luis de Almeida, buscando no próprio
índice os temas com problemas para poder soluciona-los, e também uso de internet
dependendo da criatividade do professor. E o grupo esteve bem porém faltou mais fontes para
subsidiar o conteúdo com problemas.

2º Grupo:

Tema: Estudo dos Manuais de Educação Visual da 9ª Classe.


Os manuais usados são: A- Agostinho Mesa / Daniel Dinis da Costa e Helena Veloso / Luís
de Almeida da 9ª classe. Sendo que o manual de Agostinho Mesa / Daniel Dinis da Costa não
coaduna com o programa de ensino por possuir 7 capítulos, alguns desses conteúdos
coincidem nesse contexto, sendo que na sua maioria ambíguo precisando de auxílio de outros
manuais, como o livro de Helena Veloso / Luís de Almeida que vem consoante o programa de
ensino possuindo 6 unidades.

Quanto a sequência das unidades:

 O manual de Helena Veloso / Luís de Almeida coincide com o programa de ensino.

Quanto ao conteúdo das Unidades, segundo grupo:

Enoe Mendes: Educação Visual 2º Ano- 2019


5

 Unidade IV: Verifica-se que o manual de Helena Veloso não apresenta a sequência
dos temas (Triangulo Quadrado Rectangulo e Circulo) na representacao de formas
bidimencionais em comparação com o programa de ensino;
 As restantes unidades conscidem com o programa de ensino.

Quanto aos objectivos:

 No manual de Helena Veloso apenas a VI unidade (Estudo da Forma) alcança


todos objectivos do programa de ensino;
 Unidade I (Principais Expressões Artísticas):Apenas o objectivo (Caracterizar em
linhas gerais o período Pré-histórico e Clássico) não é alcançável, porque a matéria
não está bem abordada no manual da 9ª classe de Helena Veloso, recorremos ao
manual da Helena Veloso 8ª Classe nas páginas 12-13;
 Unidade II (Desenho Geométrico): o grupo observou que o conteúdo Tangência
no manual de Helena Veloso, não esta bem abordado. Havendo assim a necessidade
de auxiliar-se no manual de Desenho Agostinho Mesa 9ª Classe nas páginas 24 a
27;
 Unidade III (Projecções Ortogonais): Na abordagem sobre o objectivo de
Explicar a importância das Projecções Ortogonais, este manual não deixa a
informação de forma tão clara, havendo necessidades de basear-se no manual de
Agostinho Mesa nas páginas 101 e 102, porque explica a importância das
Projecções Ortogonais;
 Unidade IV (Formas em Axonometria): A Representação de formas geométricas
Bidimensionais em Perspectiva Axonométrica Cavaleira neste manual, não esta
bem desenvolvida, por isso podendo se auxiliar no manual de Agostinho Mesa 9ª
classe na página 108;
 Unidade V (Comunicação Visual): Na bordagem de Suportes de Comunicacao
Visual, Codificação e Descodificacao, não estão bem detalhadas no manua de
Helna Veloso 9ª classe, mas podendo se auxilar no livro de Helena Veloso da 8ª
classe na pagina 100.

Quanto a carga horária:

 O grupo decidiu que usando a carga horária é proposta pelo programa de ensino
para atingir os objectivos previstos.

Enoe Mendes: Educação Visual 2º Ano- 2019


6

3º Grupo:

Tema: Análise do Programa de Ensino e os Manuais de Educação Visual 10ª classe

a
Este grupo decidiu usar o manual de Desenho 10 Classe-D10 do Autor Filipe David
Carrel Samuel da Texto Editores e manual de Educação Visual da 10a Classe dos Autores
Helena Veloso e Luís de Almeida da Plural Editores.

Quanto a sequência das unidades:

 Quanto a sequência ambos os manuais correspondem ao que vem previsto no


programa de ensino, excepto o livro manual do autor Filipe D. C. Samuel que a
Unidade I (Arte), não consta.

Quanto ao conteúdo das Unidades, segundo grupo:

 Unidade I (Arte): verifica-se que o conteúdo fases de história de arte é


apresentado de forma deficitária no manual de Helena Veloso, além disso esta de
ordenada de forma diferente a do programa do ensino, o conteúdo de arte
moçambicana que séria o primeiro no segundo o programa no manual é abordado
em ultimo. Sugiro que no manual esta melhor sendo que se começa do geral para o
especifico. No manual de Desenho D10 de Filipe David Carrel Samuel a Unidade I,
prevista no programa de ensino, não consta. O grupo sugeriu o uso do site
http://matheussaide.blogspot.com/ para o sustento do tema arte moçambicana e a
organização do mesmo;
 Unidade II (Forma-Função): a ausência do conceitos de forma – função no manual
de Helena Veloso não esta bem exposto, fez o grupo sugerir o manual de Filipe D.
C. Samuel na pag. 6-18, para melhorar este conteúdo;
 Unidade III (Projecções ortogonais): o manual de Helena Veloso carece de
subsídio nas sua abordagens acerca do tema, sendo que é necessário recorrer ao
manual de Filipe D. C. Samuel na pag. 25-38;
 Unidade IV (Cotagem das Formas): há ausência da definição do subtítulo Esboço
Cotado no manual de Helena Veloso, podendo encontrar o mesmo apresentado
melhor no manual de Filipe D. C. Samuel na pag.41-41.
 As restantes unidades estão em bem apresentadas, nomeadamente, unidade V -
formas em axonometria, unidade VI e VII - perspectiva visual e rigorosa.

Enoe Mendes: Educação Visual 2º Ano- 2019


7

Quanto aos objectivos:

 Unidade I (Arte): o grupo aborda que ambos os livros do aluno não possuem
coerência, pela falta de características das fases da História de Arte Universal,
então podemos dizer que esta primeira unidade não atinge os objectivos previstos;
 Unidade V (Formas em Axonometria): ausente no manual de Filipe D. C. Samuel,
por isso não há como alcançar a metas com este manual.
 Para as restantes unidades o grupo verificou que há total concordância entre os
objectivos patentes nos manuais do aluno estudados pelo grupo com os previstos no
programa de ensino.

Quanto a carga horária:

 Unidade I: O programa propõe 4 tempos lectivos, o grupo sugere 6 tempos devido a


vastidão dos conteúdos;
 Unidade III: O programa propõe 8 tempos, o grupo sugeriu 4 tempos devido ao
conteúdo reduzido da unidade;
 Unidade IV: O grupo sugeriu um aumento de 2 tempos no programa para 4 tempos.
 Unidades II, V e VI: É conveniente usar a carga prevista pelo programa de ensino.

Quanto a metodologia:

 As metodologias seleccionadas pelo grupo são: estudo independente, trabalho em


grupo e elaboração conjunta.

4º Grupo:

Tema: Análise do Manual da 11ª Classe

No estudo do livro da 11ª classe, o grupo se deparou com o livro de JANSON, JACOBS,
SIMON, MANUEL LOPES. E como auxílio trabalhamos com o programa da respectiva
disciplina que serviu de fontes de estudo. A análise foi feita ao manual CARREL, Filipe
Vasco David. Educação Visual 11ª Classe.1ª edição, Maputo, texto editores.2010.

Quanto a Sequencia de Unidades:

 Esta tudo conforme consoante ao programa de ensino e o livro em análise;

Enoe Mendes: Educação Visual 2º Ano- 2019


8

Quanto aos conteúdos da unidade, o grupo:

 Unidade I (Arte): o grupo sugere ao programa de ensino que estivesse assim neste
tema “As principais formas da arte nas diferentes fases (Arte antiga, moderna e
contemporânea) e manifestação artística moçambicanas (Pintura escultura, etc.)”
mas o docente achou melhor manter sem a partícula “e” como esta patente no
programa e não retirar o conteúdo fases da arte que o grupo de referiu como
conteúdo repetido, porque no primeiro item é somente para Moçambique e no outro
para o mundo. Assim sendo para conteúdos em defeituosos dessa unidade o grupo
sugeriu os livros de: JANSON a nova história de arte p.79.9ª edição e JACOBS.
A tradição ocidental. p.87.
 Unidade II (Desenho/Pintura): alegaram a que a unidade não possui uma boa
organização, uma das suas sugestões foi alteração da sequencia dos conteúdos no
programa de ensino de “ Desenho de Observação e a seguir vem Representação a
Mão Livre” para o inverso, porque Representação a mão livre o aluno pratica o
desenho e uso de seus materiais, para posterior uso no Desenho de observação.
Também não possui boa abordagem profunda a cerca da pintura sugeriram o
auxílio do livro Educação visual2 8º ano ensino secundário unificado Manuel
Lopes p110 a 112.
 Unidade III (Perspectiva Visual): os conteúdos estão bem abordados, apenas a
sequência do livro não combina com programa de ensino, mas que porem não
afecta em nada. O sugeriu que, o segundo conteúdo (Representação dos efeitos de
perspectiva no meio ambiente (Desenho de Observação) deve estar no lugar do
terceiro conteúdo (Representação de esboços em perspectiva).
 Unidade IV (Comunicação Visual): o grupo sugeriu a seguinte sequencia, Esta
sequência descreve primeiramente o debate sobre “Comunicação Visual” de
seguida “Meios de Comunicação Visual”, depois “Importância da Comunicação
Visual” e por fim criar “Signos Visuais” por onde poderia se incluir o último
conteúdo (sinais, símbolos, ícones, índices, pictogramas, cartaz, Banda Desenhada).
Para solidificar os conteúdos desta unidade sugeriram o uso do livro de MANUEL
LOPES Educação visual 2, 8ºano.Edições ASA, página 83 a 97.

Quanto aos objectivos:

Enoe Mendes: Educação Visual 2º Ano- 2019


9

 Não se fez sentir nenhuma abordagem directa dos sobre o alcance dos objectivos,
mas da para perceber que eles são alcançáveis sendo que os problemas constatados
são ligeiros, excepto na primeira unidade que é um pouco agravante e
possivelmente haverá dificuldades em atingir os objectivos.

Quanto a carga horária:

 Segundo o grupo durante a apresentação eles afirmaram que consoante a


criatividade e flexibilidade do professor o tempo proposto pelo programa de ensino
é exequível.

5º Grupo:

Tema: Analise dos Manuais de Ensino de Desenho e Geometria Descritiva e o


Programa de ensino da disciplina da 12ª Classe

O grupo usou os seguintes manuais no seu estudo: Desenho e Geometria Descritiva da 12ª
Classe, 1ª e 2ª Edição, do autor Vasco Filipe Camundimo com o Programa de Ensino de
Geometria Descritiva da 12ª Classe. O grupo achou melhor que as escolas utilizassem a 2a
Edição do livro do autor Vasco Filipe Camundimo publicado em Marco de 2017. Os
professores além de fazerem essa escolha podem também usar o livro português de João
Costa Geometria Descritiva 11B, da Areal Editores, 2005, para melhor compreensão dele
(o professor) e dos alunos.

Quanto a sequência das unidades:

 Os manuais estudados vão em conformidade com o programa de ensino;


 O grupo sugeriu uma outra sequência para os manuais nomeadamente: 1o –
Unidade I: Representação Axonométrica;2o – Unidade II: Secções em sólidos; 3o –
Unidade III: Intersecção de rectas com sólidos;3o – Unidade IV: Sombras.
Alegando que a “Representação axonometrica” é um conteúdo já abordado nas
classes anteriores, ao envés de ficar em ultimo, ficar no inicio, eu sugeri que fosse
retirado de uma vez, para ceder o espaço ao conteúdo sombras que é não chega a se

Enoe Mendes: Educação Visual 2º Ano- 2019


10

completar os seu conteúdos, mas docente interveio que devíamos deixar como esta,
no inicio estraga a sequencia já o tema “secção” que da 11ª classe.

Quanto aos conteúdos das unidades, segundo o grupo:

 Unidade I: Secções em sólidos, possui a falta de definição de secção, mas que


em discussão notou-se que por ter já tinha sido definida na 11ª classe se
tratando de um tema em continuação, e também falta de ilustrações da
realidade;
 Unidade II: Intersecção de rectas com sólidos, o grupo no fez menção desse
conteúdo, deixou a desejar que esta tudo conforme nesta unidade;
 Unidade III: Sombras, falta de ilustrações da realidade;
 Unidade IV: Representação Axonométrica, falta do conceito e algumas
ilustrações;
 Para o sustento de conteúdos com problemas e ilustração o grupo sugeriu o
livro de autor João Costa Geometria Descritiva 11B da Areal Editores.

Quanto aos objectivos:

 Estes não fizeram menção o que da intender que todos os objectivos


previstos pelo programa em consonância com o livro são alcançáveis.

Quanto a carga horária:

 A Unidade I e II segundo o grupo estão de acordo ao programa de ensino,


apenas a Unidade II Sombras devido a delicadeza e muita pratica dos
conteúdos sugeriram mais 2 tempos assim sendo para culminar em 18
tempos, e para a Unidade IV Representação Axonometricas reduziram de
12 tempos para 10, alegando ser um conteúdo de recordação.

Enoe Mendes: Educação Visual 2º Ano- 2019


11

Considerações Finais

Contudo, incentivo a realização de actividades do género dão-nos noção do que vamos nos
deparar na área de trabalhos, mas também nos da caminhos e possíveis soluções de tais
dificuldades, assim tornando o PEA, uma mais-valia para todos envolvidos, desde a eficácia e
qualidade de aprendizagem pode vir a ser muito melhorada nos próximos anos.

Enoe Mendes: Educação Visual 2º Ano- 2019


12

Bibliografia

 CAMUNDIMO, Vasco Filipe, Desenho e Geometria Descritiva 12a Classe, Maputo,


1a Edição, Textos editores, Lda, 2001;
 CAMUNDIMO, Vasco Filipe, Desenho e Geometria Descritiva 12a Classe, Maputo,
2a Edição, Textos editores, Lda, 2017:
 COSTA, João, Geometria Descritiva, 11B, Lisboa, Novo programa, Areal editores,
2005.
 INDE/MINED, Educação Visual, Programa da 8a Classe, INDE/MINED, Maputo,
2010;
 INDE/MINED, Educação Visual, Programa da 9a Classe, INDE/MINED, Maputo,
2010;
 INDE/MINED, Educação Visual, Programa da 10a Classe, INDE/MINED, Maputo,
2010;
 INDE/MINED, Educação Visual, Programa da 11a Classe, INDE/MINED, Maputo,
2010;
 INDE/MINED, Educação Visual, Programa da 12a Classe, INDE/MINED, Maputo,
2010;
 JANSON, H, Wetal, Iniciação à história de arte, 3ª Edição, São Paulo, Editora WMF
Martin. P879, 2009;
 LIBÂNEO, José Carlos, Didáctica, Editora Cortez, Rio de Janeiro, 2006;
 MESA, Agostinho & COSTA, Daniel Dinis; Desenho 9ª Classe: Autores e Diname;
Maputo – Moçambique, 2002;
 SAMUEL, Filipe David Carrel, Educação Visual 8ᵃ classe, Texto editora, Lda. –
Maputo, 2010;
 SAMUEL, Filipe David Carrel, D10-Desenho 10a classe, Texto Editores, Maputo,
2009;
 SAMUEL, Filipe David Carrel, Educação Visual 11ª Classe, 1ª edição, Maputo texto
editores, 2010;
 SIMON, Jacobs, Robertsetal, A nova história de arte de janson- a tradição ocidental,
9ª Edição. P55,79-81, Lisboa, 2010;
 VELOSO, Helena e ALMEIDA, Luís, Educação Visual 8a classe, Plural Editores,
Maputo, 2009;

Enoe Mendes: Educação Visual 2º Ano- 2019


13

 VELOSO, Helena e ALMEIDA, Luís, Educação Visual e Tecnológica 9ª Classe 5/6,


Porto Editora, 2005;
 VELOSO, Luís De Almeida, Educação Visual 10a Classe, Plural Editores, Maputo,
2012;

Enoe Mendes: Educação Visual 2º Ano- 2019