OBRIGAÇÃO DE DAR Conceito: a obrigação de dar tem por objeto uma coisa (certa ou incerta).

O devedor se obriga a entregar a coisa ao credor. Clóvis Bevilaqua: ³Obrigação de dar é aquela cuja prestação consiste na entrega de uma coisa móvel ou imóvel, para a constituição de um direito real, concessão de uso ou restituição ao dono´ - obrigação de dar específica: de dar coisa certa ± arts. 863 a 868 CC - obrigação de dar genérica: de car coisa incerta ± arts. 869 a 873 CC Finalidades da entrega da coisa ao credor: · transferir a propriedade: surge novo proprietário · ceder a posse: ex: empresto minha casa a alguém. Posse não é propriedade. · restituir ao dono: a pessoa a quem emprestei a casa vai ser devedor da obrigação de me devolve-la - somente transfere-se a coisa pelo devedor ao credor através da TRADIÇÃO Modalidades da Obrigação de dar: · ³stricto sensu´ ou propriamente dita: sempre que a obrigação de dar importar na transferência da propriedade. Objeto: entrega de uma coisa. A Obrigação de dar comporta execução ³in natura´ ± CC: art. 863 a 868 e 874 a 877 - prestação da obrigação de dar coisa incerta: entrega da coisa indeterminada. O gênero e a quantidade devem ser indicados, obrigatoriamente. · de entregar: obrigação de ceder a posse. É tratada pelos mesmo artigos que cuidam das obrigações de dar propriamente ditas. A cessão da posse (uso e gozo de uma coisa) é sempre temporária uma vez que a transferência da posse não cria propriedade. · de restituir: obrigação de restituir ao dono, sempre abrangendo coisa certa. CC: art. 869 a 873 - prestação da obrigação de restituir: entrega de uma coisa em devolução ao dono.

(art.: art. emcumprimento da obrigação de dar.: contrato de compra e venda: me obrigo a entregar a coisa e me obrigo a garantir ao comprador que a coisa não tem vícios redibitórios Tradição: momento da entrega da coisa . Pode ser tradição da propriedade ou da posse. 624 CC ± cada condômino contribui para as despesas de condomínio. Ex. .em se tratando de bem imóvel a tradição é solene. 660 CC ± domínio não se transfere pelo contrato) . e recebe o nome de TRANSCIÇÃO . O devedor fica obrigado a promover a tradição da coisa e só aí o credor terá direito real. tem por objeto o dinheiro.Outras modalidades da Obrigação de dar. . nas obrigações de dar propriamente ditas ou ³stricto sensu´. significa a transferência do domínio.quem faz a tradição é o devedor. a obrigação de dar gera apenas um direito pessoal. ou seja. Por si só a obrigação não transfere o domínio. · obrigação complexa: consiste na entrega de uma coisa (obrigação de dar) acrescida de uma obrigação de outra espécie. Ex.o devedor se exonera da obrigação de dar com a entrega da coisa PERDA OU DETERIORAÇÃO DA COISA ANTES DA TRADIÇÃO NA OBRIGAÇÃO DE ENTREGAR COISA CERTA . É o escopo da obrigação de dar. Num segundo momento se verifica a tradição. .a tradição da propriedade. Assim.vale lembrar que o devedor deve agir com prudência e zelar pela coisa antes da tradição (obrigação de meio) . na doutrina: · obrigação de contribuir: envolve a co-participação (quando mais de uma pessoa tem a obrigação de entregar a coisa). em favor do credor.tradição é a trasladação (transferência) do objeto de uma pessoa para outra.em um primeiro momento assume-se a obrigação de dar. · obrigação pecuniária: consiste na entrega de dinheiro.

· perda da coisa. 871: o credor receberá a coisa mesmo deteriorada · deterioração da coisa. PERDA OU DETERIORAÇÃO DA COISA ANTES OU DEPOIS DA TRADIÇÃO: com ou sem culpa. azar do comprador ou do novo proprietário MELHORAMENTO OU ACRÉSCIMO DA COISA: art. sem culpa do devedor: art. com culpa do devedor: art. 867 CC ± o credor pode exigir o equivalente ou aceitar a coisa deteriorada.frutos percebidos são do devedor. 870: o devedor responderá pelo equivalente à coisa perdida. 869: o credor sofrerá a perda e a obrigação de extinguirá · perda da coisa. acrescidas do valor da coisa perdida · deterioração da coisa. com culpa do devedor: o credor poderá aceitar a coisa deteriorada acrescida da indenização ou exigir o equivalente acrescido de indenização . O devedor tem que devolver a coisa certa. Obrigação de restituir coisa certa: devolver a posse ao dono (credor). . Frutos pendentes são do credor. com culpa do devedor: art. sem culpa do devedor: art. PERDA OU DETERIORAÇÃO DA COISA ANTES DA TRADIÇÃO NA OBRIGAÇÃO DE RESTITUIR COISA CERTA · perda da coisa. 866 ± pode o credor resolver a obrigação ou aceitar a coisa. sem culpa do devedor: art. 868 CC: o devedor poderá pedir acréscimo no preço. e se não o faz é um esbulhador. 865 CC ± o devedor responderá por perdas e danos. Se o credor não concordar. acrescido de perdas e danos · deterioração da coisa. 865 CC ± fica resolvida a obrigação (extinta) · perda da coisa. para que não haja enriquecimento sem justa causa. abatido o preço correspondente à avaria · deterioração. com culpa do devedor: art. sem culpa do devedor: art. poderá o devedor resolver a obrigação. O esbulhador pode sofrer ação de despejo ou reintegração de posse. ambas as hipóteses acrescidas do direito de perdas e danos.

875 CC).MELHORAMENTO OU ACRÉSCIMO DA COISA A SER RESTITUÍDA: se a coisa a ser restituída valorizou-se sem a interferência do devedor: art. 630 CPC . é feita pelo devedor (art. 872: lucrará o credor. ± art. 873: aplicam-se as normas destinadas às benfeitorias Obrigação de dar coisa incerta: no momento do cumprimento da obrigação a coisa há de ser certa. 874: gênero (conjunto de seres ou espécies semelhantes) e quantidade são elementos indispensáveis Concentração: fenômeno de transformar a obrigação de dar coisa incerta em obrigação de dar coisa certa.a escolha vai individualizar a prestação e. 981 CC) . em regra. as normas da obrigação de dar coisa certa. . deverá ser citado (art. Se valorizou-se com a interferência do devedor: art.escolhaimpugnada: art. a partir desse momento. Se a escolha couber ao credor e ele não a fizer. aplicando-se. sem ter que pagar qualquer indenização.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful