Você está na página 1de 40

Mutação e Reparo

do DNA

Prof. Cristiane Carvalho, DrA


Mutação
Mutações → alteração na sequência de nucleotídeos
de uma molécula de DNA.

Mutante → organismo possuidor de uma forma


alterada como resultado da presença de uma
mutação.
• Podem ocorrer:

Em regiões intergênicas (não causa efeitos) silenciosa

Em regiões gênicas (podem causar efeitos)


• Podendo alterar o genótipo  constituição gênica

• Ou o Fenótipo  características observáveis


• Indivíduo sem mutação (fenótipo usual)  selvagem

• Indivíduo com mutação (fenótipo alterado)  mutante


Efeitos benéficos  Sem mutação os organismos não se
adaptam;

Dessa forma  Não há mudanças meio ambiente → risco


extinção.

Efeitos maléficos  podem causar efeitos prejudiciais.

Categorias de Mutações

• Mutações somáticas e mutações germinativas.


Tipos de mutações
• Mutações somáticas
→ atingindo tecidos somáticos
→ não herdáveis
→ transmitidas célula para célula
→ através de mitose
→ porém só para o indivíduo,
não para os descendentes
Tipos de mutações Testículos

• Mutações linhagens germinativas


→ células que produzem gametas
→ podem ser transmitidas
→ atingindo gerações futuras
Ovários
Categoria das Mutações

• Mutações → mutações gênicas e mutações


cromossômicas.

• Mutação cromossômica → afeta estrutura ou


número cromossômico.

• Mutação gênica → lesão pequena DNA → afeta


único gene.
 Sem a mutação, todos genes existiriam
apenas em uma forma.

 mutações espontâneas → resultam de


funções celulares normais ou interações
aleatórias com o ambiente.

→ podem ser aumentadas pelo tratamento


com determinados compostos (agentes
mutagênicos – mutações induzidas)

→ atuam diretamente no DNA.


Síntese de Proteína – A mutação pode alterar a
síntese protéica
Mutação: Bom ou Ruim?
• A mutação é a fonte básica de toda variabilidade
genética, fornecendo a matéria-prima para a evolução
Mutações Gênicas
CAUSAS PROVÁVEIS

 mau funcionamento do sistema replicativo


 mau funcionamento do sistema de reparo
 interferência química direta sobre uma das
bases do DNA
Tipos de Mutações Gênicas

 Mutações na sequência de DNA

Mutação de ponto → Substituição de um


nucleotídeo por outro.

Classificadas em:

Transição
Troca de uma purina por outra purina (A ou G)
Normal Mutante

ATCTCGG GTCTCGG

T AGAGCC C AGAGCC
Mutação Gênicas

Mutações na sequência de DNA

Transição

pirimidina por pirimidina (C ou T)


Normal Mutante

ATCTCGG ATT TCGG

T AGAGCC T AAAG C C
Mutação Gênicas

Mutações na sequência de DNA

Transversão

Pirimidina por purina ( C por A) ou (T por G)


Purina por pirimidina (A por C) ou (G por T)
Normal Mutante

ATCTCGG ATATCGG

T AGAGCC T ATAGCC
Mutação Gênicas

Mutações na sequência de DNA

Inserção

Adição de um par de bases ou até grandes trechos


de DNA na cadeia.
Normal Mutante

ATCTCGG AT ACTCGG

T AGAGCC T ATGAGCC
Mutação Gênicas

Mutações na sequência de DNA

Deleção

Remoção de um par de bases ou até grandes


trechos de DNA na cadeia.
Normal Mutante

ATCTCGG ATC CGG

T AGAGCC T AG GCC
Mutação Gênicas

Mutações na sequência de DNA

Inversão

Excisão de uma parte da dupla hélice e reinserção


na mesma posição mas em posição diferente.
Normal Mutante

ATCTCGG AGA TCGG

T AGAGCC T CT AGCC
Mutação Gênicas

 Mutações em gene

uma mutação seja ela uma inversão, transversão,


deleção, inserção? O que causa para o gene?

 Mutação silenciosa dentro do gene

Ocorre se a mutação ocorrer na terceira posição


de um códon

Alterando o códon, mas não o aminoácido


correspondente
Mutação Gênicas
Mutação silenciosa dentro do gene

Normal Mutante
Mutação Gênicas
Mutações em gene

Mutação de sentido trocado

• Altera o aminoácido em questão


Mutação Gênicas
Mutações em gene
Mutação sem sentido
• Altera o códon especificador (que gera um aminoácido)
para um códon finalizador.
Mutação Gênicas
Mutações em gene
Alteração da matriz de leitura
• Consequência de uma inserção ou deleção
• Remoção ou adição de qualquer número de pares de
bases que não resulte em um múltiplo de três.
• Geralmente resultam em novos aminoácidos.
Mutação Gênicas
Mutações em gene
Alteração da matriz de leitura
• Consequência de uma inserção ou deleção
• Remoção ou adição de qualquer número de pares de
bases que não resulte em um múltiplo de três.
• Geralmente resultam em novos aminoácidos.
Mutantes no nível de organismo
Produz um produto gênico incapaz de desempenhar a
função anterior.

 Mutantes auxotróficos → incapazes de sintetizar


um metabólito essencial (aminoácido, purina,
pirimidina, etc.)

→ crescem e se reproduzem quando o metabólito é


fornecido pelo meio (condição permissiva)

→ não crescem quando o metabólito está ausente


(condição restritiva)
Mutantes no nível de organismo
Produz um produto gênico incapaz de desempenhar a
função anterior.

 Mutantes Resistentes à Antibióticos →

 Os antibióticos matam bactérias do tipo selvagem,


mas nãos às mutantes.
Mutágenos
• Existem vários tipos de mutágenos

Análogos de bases

A 5-bromouracila

similar à TIMINA, podendo se incorporar à fita no lugar da


timina NORMAL.

 Acarreta erro na leitura


MUTAÇÃO POR RADIAÇÃO
 Radiação não-ionizante (luz ultravioleta)

# são absorvidos pirimidinas (tornando-se mais


reativas).

Podendo causar dímeros de pirimidinas.


Mutação por Radiação
Agentes intercalantes
Calor
Mecanismos de reparo do DNA

• mecanismos de reparo → revertem os efeitos


de processos mutagênicos artificiais ou naturais
sob o DNA.
REPARO DO DNA

Reparação por Fotorreatividade Enzimática

# dímeros de pirimidina → impedem a replicação e a


expressão gênica

• Fotoliase → catalisa uma reação fotoquímica, na


presença de luz visível, desfazendo a mutação e
refazendo as bases pirimídicas individuais.
Enzimas de correção de erro

• Algumas bases incorretamente pareadas escapam


da correção realizada pela DNA-polimerase

■ Um dos mais importantes e gerais mecanismos de


reparo (REN) → enzima de correção de erro
Enzimas de correção de erro

ETAPAS

1. Reconhecimento da lesão

2. Excisão do segmento (oligonucleotídeo) contendo a


lesão

3. Síntese de um novo segmento de DNA utilizando a


fita não-danificada como molde através da DAN pol I

4. Ligação através da DNA ligase