Você está na página 1de 21

Faculdade Santa Marcelina

Nome: Adriana Midori P.


Futata
4ºB Tecnólogo
Esplenoportografia
Esplenoportografia
• Conceito: É um exame radiológico
contrastado, que permite a visualização da
veia esplênica, do sistema porta e de suas
ramificações intra-hepáticas.
• A esplenoportografia é a mais comum das
flebografias, permitindo o estudo
morfológico e do fluxo dinâmico das veias.
Anatomia
Veia
• A veia esplênica é formada
esplênica
por diversas tributárias que
emergem do hilo. Ela é
incorporada pela veia
mesentérica inferior e corre
posteriormente ao corpo e à
cauda do pâncreas através
de todo o seu trajeto. A
veia esplênica une-se com a
veia mesentérica superior,
para formar a veia porta do
fígado
Fisiologia
• A veia esplênica junto com a mesentérica
superior leva à veia porta, todo o sangue que
vem do intestino, do baço, do pâncreas e da
vesícula biliar.
• Depois de entrar no fígado, o sangue reparte-
se por pequenos canais que o percorrem.
• Quando o sangue sai do fígado, desemboca
na grande circulação através da veia hepática.
Indicações Clínicas
• Hipertensão Portal.
• Malformações congênitas do pedículo
hepático.
• Obstruções circulatórias intra-hepáticas
(cirrose, neoplasias, cistos e trombose da veia
porta).
• É útil ainda no estudo de pancreatites e nos
momentos de hemorragia digestiva alta de
causa desconhecida.
Preparação do Paciente

• Jejum Oral de pelo menos 2 horas.


Exame
É um exame
relativamente simples,
que consiste em injetar
um meio de contraste
hidrossolúvel (iodado)
na polpa esplênica,
através de punção
transparietal do baço,
sendo o contraste
transportado para a
circulação portal.
Exame

• A punção é
realizada na linha
axilar média ou
posterior, em
direção ao hilo
esplênico, em
nível do 9º ou 10º
espaço intercostal
esquerdo.
Exame

• Uma vez posicionada a agulha, procedem-


se à medida da pressão intra-esplênica e à
injeção do contraste, acompanhando todo o
procedimento por fluoroscopia e
radiografias seriadas.
Esplenoportografia

Veia porta
Veia esplênica
Esplenoportografia
Veia porta

Veia
mesentérica
superior
Patologias
Hipertensão Portal

• A hipertensão portal define-se como uma


pressão arterial anormalmente alta na veia
porta. A pressão venosa portal é
normalmente baixa (5-10 mmHg). Sendo a
hipertensão portal definida como superior a
10 mmHg.
Sintomas
A hipertensão portal provoca freqüentemente um
aumento do volume do baço.
Uma certa quantidade de líquido pode sair do fígado
e acumular-se na cavidade abdominal ocasionando
assim a sua distensão, um processo denominado
ascite.
As veias varicosas situadas no extremo do esôfago e
no estômago, sangram facilmente e por vezes de
forma massiva.
As veias varicosas do reto também podem sangrar,
embora este caso seja menos freqüente.
Causas de Hipertensão Portal
• Obstrução pré-hepática:
Trombose da veia esplênica
Trombose da veia porta
• Obstrução intra-hepática:
Esquistossomose,cirrose, fibrose hepática congênita,
doença veno-oclusiva por quimioterápicos
• Obstrução pós-hepática:
Insuficiência cardíaca direita
Pericardite constritiva
Obstrução da veia hepática
Ascite
• Ascite é o acúmulo de
líquido no interior da
cavidade abdominal,
este acúmulo pode
causar distensão e
desconforto
abdominais, assim
como dificuldades
respiratórias.
Causas da Ascite
• Doenças do fígado como:
cirrose (especialmente
causada pelo alcoolismo),
hepatite crônica, hepatite
alcoólica sem cirrose,
obstrução da veia hepática.
• Doenças não relacionadas
com o fígado: Insuficiência
cardíaca, insuficiência
renal, inflamação do
pâncreas, e outras.
Esquistossomose

Veia esplênica
Veia
esplênica

Veia esplênica dilatada e tortuosa.


Cirrose

Fígado normal Fígado com cirrose