Você está na página 1de 13

Índice

Introdução..................................................................................................................... 3
Objectivos ..................................................................................................................... 3
Metodologia .................................................................................................................. 3
1. Personalidade .......................................................................................................... 4
1.1. Etimologia e Conceito ....................................................................................... 4
1.2. Tipos de Temperamento .................................................................................... 4
1.3. Capacidades e competências sociais e emocional do ser humano ...................... 4
1.4. Os pilares da auto-estima ................................................................................... 5
1.5. Valores, atitudes, crenças e comportamentos ..................................................... 5
1.6. A estrutura da personalidade estabelecida por Freud .......................................... 6
2. Saúde Sexual e Reprodutiva .................................................................................... 7
2.1. Ensinamentos da igreja católica sobre a sexualidade e o amor humano ............. 8
2.2. Orientação e identidade sexual ........................................................................... 8
2.3. Igualdade de Género .......................................................................................... 8
2.4. Métodos e planeamento familiar ........................................................................ 8
2.5. Reprodução humana .......................................................................................... 8
2.6. Infecções e Transmissões ................................................................................... 9
3. HIV&SIDA ........................................................................................................... 10
3.1. Formas de Transmissão.................................................................................... 10
3.2. Sintomas .......................................................................................................... 12
3.3. Tratamento ...................................................................................................... 12
3.4. CD4 ................................................................................................................. 12
3.5. Estigma e Descriminação ................................................................................. 12
Conclusões.................................................................................................................. 13
Referências Bibliográficas .......................................................................................... 14

2
Introdução

Durante o trabalho farei uma reflexão sobre a Personalidade, onde me debruçarei sobre
os diferentes estágios do desenvolvimento psicossocial; identificar as normas sociais
particularmente em relação ao género e culturas, também sobre a relação entre o homem
em especial a sexualidade, actividade essa que se desenvolve ao longo da vida
permitindo transmitir conhecimentos sobre Saúde Sexual e Reprodutiva direitos e
deveres humanos assim como os cudados básicos sobre o HIV&SIDA, sua transmissão,
tratamentos, comportamentos de como combater o estigma e descriminação.

Objectivos

O objectivo geral deste trabalho é de Compreender a Personalidade, Saúde Sexual e


Reprodutiva e HIV&SIDA, e tem como objectivos específicos:

i. Descrever a personalidade e seus aspectos importantes;


ii. Descrever a Saúde Sexual e Reprodutiva;
iii. Apresentar o Tratamento, sintomas e prevenção do HIV/SIDA.

Metodologia

Para a materialização deste trabalho, utilizou-se como metodologia a pesquisa


bibliográfica que é um vínculo essencial para a recuperação do conhecimento científico
acumulado sobre um problema e o uso da Internet.

3
1. Personalidade
1.1. Etimologia e Conceito

Etimologicamente persone, persona=ressoar, mascara. A Personalidade é um conjunto


de características psicológicas que determinam os padrões de pensar, agir, sentir, ou
seja, a individualidade pessoal e social de alguém. A formação da mesma é um processo
gradual e complexo e único em cada individuo, a personalidade é também usado como
um conjunto de características marcantes de uma pessoa, isto nos leva ao serviço
comum como conceito e não aceite cientificamente aqui tratado.

Segundo Carver e Scheier (2008), definem a Personalidade como a organização


dinâmica interna dos sistemas psicóticos. Asendorpf (2007), complementa como
particularidades pessoas, duradouras, não patológicas relevantes para o comportamento
de um individuo ou população.

A personalidade é influenciada culturalmente para a generalização das observações da


população e necessária a verificação empírica.

1.2.Tipos de Temperamento

Temperamento designa a decomposição do individuo ligado ao seu comportamento,


que é: Sanguíneo, Colérico, Fleumático, Melancólico acompanhados de (afectividade)
activação (Excitação) e atenção.

1.3. Capacidades e competências sociais e emocional do ser humano

A inteligência é um constructo complexo que descreve a capacidade intelectual do


individuo. O ser humano não é perfeito e deve desenvolver a sua personalidade durante
a vida. Nelas destacamos as seguintes:

a. Domínio sobre afectividade


 Superar sua afectividade espontânea; saber analisar os factos e as pessoas de
maneira mais profunda, nos conflitos com outras pessoas, saber aguentar e
suportar situações.
 Permite aproveitar riqueza de afectividade sem se estar submisso.

4
b. Prevalência no amor
 Amor receptivo (infância).
 Treino para o amor (adolescência).
 Experiencia para o amor (juventude).
 Maturidade e vida do amor adulto.

c. Capacidade de auto reflexão e análise autocritica e crítica dos outros


 Verificamos o princípio de amadurecimento.
 Sentir-se imaturo quando se autocritica e não se sente satisfeito ou a critica não
foi objectiva e construtiva.

d. Sentido de Responsabilidade
 Ser eficaz ao agir alcançando seus objectivos, responsabilidade pelos actos, se
preservar evitando moleza e acomodação.

e. Capacidade de adaptação
 Na adaptação prévia o individuo deve aceitar a sua realidade; na adopção
madura saber administrar conflitos, evita-los e elimina-los.

1.4. Os pilares da auto-estima

A auto-estima envolve crenças auto-significantes e expressões no comportamento. Ela


engloba quatro pilares:

i. Auto-aceitação (postura positiva de si, satisfação e respeito);


ii. Autoconfiança (postura, capacidade, desempenho, saber e conseguir fazer
suportar dificuldades);
iii. Competência social (ser capaz de fazer contactos);
iv. Rede social (ser importante para os outros).

1.5. Valores, atitudes, crenças e comportamentos

Possui quatro componentes a destacar: a actividade (o que fazemos e dizemos); o


pensamento; os sentimentos e a fisiologia (as reacções do nosso corpo).

5
1.6. A estrutura da personalidade estabelecida por Freud

Segundo Freud, a psicanalise ariscou ordenar três componentes básicos da vida humana,
o Id, Ego e Superego.

ID – é um elemento primitivo a personalidade original com o qual nascemos, formado


por instintos e composto por prazer e impulsos orgânicos. Tudo é transmitido de pais
que a partir deles são aplicadas as outras estruturas.

EGO – começa a ser desenvolvido após o nascimento do bebe e integra-se no seu


ambiente, procurando fazer um contacto com a realidade. É um elemento psíquico que
aumenta a partir do id, para entender a sua existência, como entender a sua existência,
como garantir a saúde, sanidade, a segurança, procura buscar soluções menos imediatas
e mais realistas transformações e elevar o prazer.

SUPEREGO – é a terceira parte, representa o aspecto moral dos seres humanos. Ele
desenvolve quando os pais e adultos transmitem valores e as normas da sociedade para a
criança, ela é desenvolvida a partir do ego e sensor informado para o ego o que é certo e
errado sobre as actividades mentais do pensamento presentes no ego. Nele, Freud
apresentou três funcos do Superego: Consciência; auto-observação e formação de
ideias.

O superego dos pais é o vínculo de todo o julgamento e valores que são transmitidos de
gerações para gerações. O Id, Ego e Superego, compõem o modelo de estrutura da
personalidade que pode representar a impulsividade, racionalidade e a moralidade
respectivamente de uma maneira que deve ser entendida como aceite. Este foi o grande
passo da historia da psicologia que através da psicanalise foi possível colaborar no
tratamento das mais variedades doenças mentais.

2. Saúde Sexual e Reprodutiva

É uma área da medicina envolvida com reprodução humana e comportamento sexual,


das doenças sexualmente transmissíveis e métodos contraceptivos e outros. Neste
contexto podemos dizer que uma pessoa pode ter vida sexual saudável, segura e
satisfatória, pode decidir ter filhos ou não, quantos e quando. As informações sobre as
preocupações e o custo pata tal.

6
De acordo com a organização mundial da saúde, a sexualidade é a parte integral da
personalidade de cada um. O sexo é fixado pela natureza como algo relativo hereditário,
biológico que diferencia o macho e a fêmea. Ele é fundamental para o desenvolvimento
do potencial humano de cada pessoa, pós acontece toda a vida no ser humano
conhecendo as etapas fisiológicas tais como: infância, adolescência, idade adulta e
terceira idade. É o resultado das características genéticas, interacção ambiental,
influencia sociocultura e religiosas, por exemplo a poligamia.

O direito a saúde sexual e reprodutiva, foram desenvolvidas no advento recente, na luta


pela cidadania e pelos direitos humanos em relação a ética, princípios profissionais,
liderança e gestão, trabalho com a comunidade, saúde e educação, aconselhamento,
avaliação e previsão de cuidados. Estas acções por serem transversais são suciais ao
planejamento de acções de equipa no âmbito da saúde sexual e reprodutiva.

Os direitos da Saúde Sexual e Reprodutiva foram reconhecidos recentemente


consideradas como uma conquista histórica em vários aspectos: direitos humanos,
maternidade voluntaria, vivência de sexualidade sem constrangimento entre o homem e
a mulher. Na saúde publica as competências facilitam a comunicação em que as linhas
programáticas e organizacionais e bem como fortalecem o crescimento profissional.

2.1. Ensinamentos da igreja católica sobre a sexualidade e o amor humano

A igreja defende que a sexualidade humana é uma componente fundamental da


personalidade, o modo e ser e manifestar, e comunicar com o outro, de sentir, expressar
e viver o amor. Abrange na totalidade todas a manifestações da sua vida e não permite
ser reduzida a uma mera pulsão anárquica ou reflexo rigidamente encerado nos ritmos
biológicos. Também acompanha e plasma a maturação da pessoa, por isso falar da
sexualidade da criança, jovem e adulto importa aliviar equilibradamente
comportamentos sexuais em cada etapa, evitando duas atitudes pedagogicamente
reprováveis acerca dos direitos e deveres. A igreja condena a prática do aborto, a
prostituição, o adultério, a formicação, a zoofilia, sadismo e masoquismo, violação,
incesto, pederastia e homossexualidade; considerando estas acções pecaminosas e
desagradáveis aos olhos de Deus.

7
2.2. Orientação e identidade sexual
 Sexo biológico – o individuo apresenta hormonas cromossómicas intersexuais
de combinação de um macho e fêmea.
 Identidade sexual – o macho se identifica como mulher e a fêmea como
mulher.
 Expressão, género ou papel sexual (masculino, transgénico, feminino)
apresenta duas orienhtações para o homem, tanto para a mulher.
 Orientação sexual (Homossexual, bissexual, heterossexual) indivíduos que se
atraem pelo mesmo sexo, sexo oposto ou atraídos ambos.
 Práticas sexuais (transgénico – a relação sexual entre a mulher e o homem).

2.3. Igualdade de Género

Falamos de igualdade de género quando indivíduos do mesmo sexo ou de sexos opostos


partilham igualdade de direitos e deveres ambos os benefícios. Durante o
desenvolvimento psicológico e fisiológico nas fazes de vida, a puberdade e a
adolescência, jovem, adulto e jovem, o individuo apresenta varias características e
transformações no seu organismo que começam de bebe ate a fase adulta.

2.4. Métodos e planeamento familiar

Planeamento Familiar é a decisão e conselho de um casal de estar bem informado sobre


os métodos de prevenção associados a sua consciência. Eles podem ser:

 Naturais (abstinência, coito interrompido, uso de calendário e método de


temperatura basal).
 Metodos modernos: pilulas, Ingressões (depo provera); Preservativo
(masculino ou feminino); DIU (Dispositivo Ultra Uterino); Implante;
Laqueação; Gasetomia, Diafragma e os espermatecidas: tampinha no fundo
Vaginal. Estes são os mais eficazes mas tem algumas desvantagens.

2.5. Reprodução humana

Durante o desenvolvimento psicológico e fisiológico verificamos quatro fases da


sexualidade:

8
 Passagem da infância para adolescência;
 A puberdade e adolescência – início da actividade sexual;
 Adulto, procura de parceiro para a vida e maturação;
 Relações maduras.

Ao falarmos da reprodução humana devemos conhecer a constituição em função do


aparelho reprodutor masculino e feminino. A mulher apresenta um ciclo periódico que
varia de 4 a 7 dias por mês (menstruação) ela Não é uma doença, mas sim, limpeza das
paredes internas do útero quando não há fecundação, o que não acontece nos homens.
Uma mulher pode ficar gravida antes da menstruação se o seu óvulo ter começado a
amadurecer nos ovários e ser fecundado no seu primeiro acto sexual sem protecção. A
probabilidade de engravidar é de 1 em 6 por isso é aconselhável o uso de métodos de
prevenção o qual pode ter acesso no centro de saúde próximo da sua casa; caso não se
previna pode surgir uma gravidez não planificada pelo casal e quando assim acontece,
muita das veze por ser prematuro, as mulheres cometem o aborto que pode trazer
consequências fatais, ficar estéril, destruir a família e estigmatização na sociedade. Só
se recorre ao aborto legal numa unidade sanitária com o consentimento da pessoa ou do
casal de não desejar o filho por motivos do não cumprimento do planeamento familiar
para o distanciamento entre os filhos ou por se tratar de uma mãe menor de idade ou
ainda pela má formação congénita do feto.

 Formas de violência baseadas no género

As formas de violência baseadas no género são: sexual, física, emocional/psicológica,


práticas tradicionais e prejudiciais e violência socioeconómica.

2.6. Infecções e Transmissões

Acontecem durante o contacto sexual. A maioria são curadas; nas ITSs acontece a
transmissão por contacto sexual sem protecção. A pessoa contrai doenças que podem
causar aborto, câncer no cérvix, esterilidade no homem, cegueira no recém-nascido e
doenças mentais.

9
 Relações saudáveis

As relações saudáveis têm 4 pilares: o amor a confiança, o respeito e o consentimento.


Todos temos direitos de disfrutar de uma sexualidade saudável e de prazer, é essencial a
escolha livre, autónoma e responsável, promovendo respeito mútuo nas relações. As
componentes dos direitos sexuais e reprodutivos são: igualdade – na escolha livre do
parceiro sem descriminação; saúde sexual e reprodutiva – ao longo da vida; tomada de
decisões e segurança sexual reprodutiva – na sujeição a violação sexual; correcção
sexual.

3. HIV&SIDA

HIV é um Vírus de Imunodeficiência Humana causador da SIDA, ataca o sistema


imunológico responsável pela defesa do organismo das doenças.

As células mais antigas são os linfócitos TCD4 positivo, é alterado o DNA dessa célula
que o HIV faz copia de si mesmos. Depois da sua multiplicação, repõe os linfócitos em
busca de outra para continuar a infecção. O HIV é um retrovírus classificado na
subfamília dos lentivridea, este vírus compartilha algumas propriedades como: período
de encubação prolongado antes dos sintomas da doença; infecções das células do sangue
e do sistema nervoso; e superação dos sistema imune.

O HIV surgiu nos Estados Unidos da América em 1981 e foi isolado cientificamente em
laboratórios.

O primeiro caso de HIV em Moçambique foi diagnosticado em 1986 na província de


cabo delgado na cidade de Pemba. Nesse mesmo ano começou o controlo da epidemia e
recolha de taxas epidemiológicas de HIV com base nas consultas pré-natais. Após os
estudos a prevalência é mais alta verificando-se nas mulheres principalmente mais
jovens com melhor educação e com melhor rendimento.

 Diagnostico

Se você tem feito sexo desprotegido é necessário regularmente se dirigir a um posto de


saúde, para afazer o teste, que é feito a partir da colecta de sangue ou fluido oral, com
um teste rápido de 30 minutos que detecta o anticorpo contra o HIV que são realizadas
gratuitamente nos centros de saúde mais próximos.

10
Os exames são anónimos, depois decorre um processo de aconselhamento para facilitar
a interpretação do resultado existente. Também existem activistas civis para esse
trabalho.

3.1. Formas de Transmissão

Podemos transmitir o vírus a outras pessoas pelas relações sexuais desprotegidas, pelo
compartilhamento de seringas contaminadas ou de Mãe para o filho durante a gravidez,
e amamentação quando não toma as medidas de prevenção. É importante fazer o teste e
se proteger em todas situações.

A transmissão de Mãe para filho acontece durante a gravidez, o parto e o aleitamento.


Em casais discordantes onde um é portador de HIV se o nível de carga viral ser baixa, o
risco de infecção é menor e podem até ter filhos com resultados negativos. Outras
formas de transmissão podem ser:

 Sexo anal sem o uso do preservativo.


 Sexo oral sem o uso do preservativo.
 Transfusão do sangue contaminado.
 Objectos cortantes e não esterilizados.

3.2. Sintomas

Quando ocorre a infecção pelo vírus, o sistema imunológico começa a enfraquecer,


ocorre a incubação surgindo os primeiros sinais da doença num período de três meses e
6 semanas. Dentro de 30 a 60 após a infecção começa a produzir anticorpos Anti-HIV.

 A pessoa começa a sentir febres parecida a uma gripe, mal-estar, por isso a
maioria das pessoas passa despercebido.
 A segunda fase de mutação do vírus chamada também de assintomático pode
durar muitos anos. O corpo enfraquecido é a fase caracterizada pela redução dos
linfócitos TCD4 positivo (glóbulos brancos baixando até 200 unidades/mm3.
Surge febres, diarreias suor nocturno e emagrecimentos. Surge doenças
oportunistas já no estado mais avançado sem tratamento, surge a tuberculose, a
pneumonia, a toxoplasmose e alguns tipos e câncer, por isso ao manter as
relações sexuais sem protecção, faça uma profilaxia pós exposição PEP e o teste.

11
3.3. Tratamento

Os Anti-retrovirais (ARv) surgem em 1980 para impedir a multiplicação do HIV no


organismo, eles:

 Ajudam a evitar e enfraquecer o sistema imunológico, o seu uso regular é


fundamental para aumentar o tempo de vida e qualidade da pessoa que
vive com HIV reduzindo o numero de infecções de doenças oportunistas.

Actualmente existem 22 tipos de medicamentos em 38 apresentações farmacêuticas


conforme o MISAU: Abacavir; Atazanavir; Datrunavir; Dolutigravir; Efavirez;
Efuvirida; Etricibatina; Estravadina e muitos outros. A vantagem do tratamento ajuda a
melhorar a sua saúde, reduzir a sua mortalidade e prevenção de transmissão ao parceiro.

3.4. CD4

As células T ajudam a contagem do CD4 na luta contra infecções. A sua contagem


normal varia de 600 a 20000 células/mm3. Diz-se que a pessoa tem SIDA quando as
células do CD4 caem para 200 ou abaixo disso, esta contagem ajuda a controlar o estado
da pessoa com HIV&SIDA. A carga Viral é a medição do HIV no corpo, quanto mais
alta for o seu estado imunológico será danificado pelas células do CD4 e sua subida
elimina o HIV resistente a medicação. Pode-se fazer o teste numa UTS de escola ou no
centro de saúde mais próximo.

3.5. Estigma e Descriminação

O estigma tem grande impacto na sociedade e comunidade sobre o individuo:

 Resulta na exclusão das pessoas portadoras de HIV positivo;


 Isola e divide a comunidade;
 Viola os direitos humanos como a de igualdade de saúde;
 Resulta da interiorização de culpa, ao diminuir o acesso a prevenção,
aconselhamento e testagem voluntaria e tratamento e apoio ao PVHs.

12
Conclusões

A personalidade, a saúde sexual reprodutiva e o HIV&SIDA, tem uma importância


fundamental na nossa vida, é importante reflectir que as medidas e cuidados impostos
pelo Governo, para o melhoramento da nossa saúde. O comportamento humano é
fundamental para reduzir a propagação de doenças. Uma das maiores preocupações
actuais é de avanções científicos para se encontrar o tratamento e cura das doenças. Os
anos passam e surgem inúmeras doenças contagiosas que até hoje não se encontra a cura
mas por outro lado temos tido sucesso no descobrimento de algumas vacinas.

13
Referências Bibliográficas

1. CHARLES, Carver S; MICHAEL, Scheier F (2008). Perspective on Personality.


6a edição. Boston.
2. JENS, Asendorph (2007). Psychologie de Personality. 4ª edição Delberg.
Alemanha.
3. MISAU (2006). Moçambique HIV/SIDA cuidados básicos. Nweti, 1ª edição
revista.
4. SAPATO, Rafael Baciano; CUNLELA, Francisco; MARIA, Ester Lucas
(2016). Manual de Fundamentos de Teologia Catolica. UCM, Beira.
5. TENGLER, Hemma; LAISSONE, Elton (2016). Habilidades de vida, saúde
sexual e reprodutiva, género e HIV&SIDA. UCM-CED, Beira.

14