Você está na página 1de 13

Imunologia das mucosas

Características gerais da imunidade nas O TGI é composto por:


barreiras físicas  Epitélio mucoso.
Possui uma organização anatômica  Lâmina própria de tecido
conjuntivo frouxo, com vasos
básica:
sanguíneos, vasos linfáticos e
 Camada epitelial externa. MALT.
 Tecido conjuntivo: contém  Submucosa de tecido conjuntivo
mediadores da resposta imune denso que conecta a mucosa às
inata e o braço efetor das camadas de músculo liso.
respostas imunes adaptativas  Mensentério.
(MALT – tecido linfoide associado
à mucosa.
 Linfonodos drenantes: estão
localizados fora do tecido da
barreira, mas induzem respostas
imunes nesses locais.

Contêm tipos celulares especializados e


moléculas locais. Ex: células M no
intestino, células de Langerhans na pele,
células B produtoras de IgA e
plasmócitos nos tecidos mucosos.

Linfócitos efetores provenientes do


finonodo drenante ou do MALT de um
sistema imune regional particular (Ex.:
intestino) entrarão no sangue e
preferencialmente retornarão para o
mesmo orgão.

Os sistemas imunes reionais têm função


regulatória importantes, que previnem
respostas indesejadas.

Imunidade no sistema gastrointestinal

@mundodemedstudent
Imunidade inata no TGI a adesão do patógeno às
membranas celulares do
Células epiteliais intestinais estão hospedeiro.
envolvidas nas respostas a patógenos,  As mucinas MUC1, MUC12,
tolerância a microrganismos comensais MUC13 e MUC17 combinadas
e amostragem de antígenos para a com vários glicolipídeos, formam
apresentação ao sistema imune o glicocálice, uma barreira física.
adaptativo no intestino.  Fatores estimuantes: citocinas [IL-
1, IL-4, IL-6, IL-9, IL-13, Fator de
 Todas essas células são
necrose tumoral (TNF)] e
derivadas de um precursor
interferons do tipo 1], produtos
comum encontrado nas criptas
de neutrófilos (elastase) e
das glândulas do intestino.
proteínas de adesão
 Células caliciformes produtoras
microbianaaumentam a
de muco.
expressão gênica da mucina e
 Células M apresentadoras de
alteram a glicosilação dela,
antígeno.
aumentando sua função de
 Células de Paneth.
barreira contra patógenos.
é mediada por barreiras físicas (zona
As defensinas produzidas por células
ocludens1 e claudinas) e químicas
epiteliais intestinais fornecem proteção
fornecidas por células epiteliais mucosas
imune inata contra bactérias luminais, e
e suas secreções (defensinas).
os defeitos na sua produção estão
associados à invasão bacteriana e
É induzida pela interação entre
receptores de reconhecimento de doença inflamatória intestinal.
padrões moleculares associados à
 São peptídeos produzidos por
patógenos e ligantes microbianos.
vários tipos celulares, que se
As proteínas mucinas formam uma inserem e causam perda da
integridade das membranas
barreira física viscosa que previne o
fosfolipídicas dos patógenos,
contato entre microrganismos e as
células do TGI. causando a sua morte.
 As α-defensinas (HD5 e HD6) são
 São produzidas células epiteliais produzidas pelas células de
de superfície do TGI e por Paneth, no intestino delgado
glândulas submucosas e são (ID), como peptídeos inativos e
substituídas por novas moléculas são posteriormente ativados por
a cada 6-12h. clivagem proteolítica mediada
 Previnem o contato entre pela tripsina.
microrganismos e as células de  Além das defensinas, as
revestimento do epitélio e células de Paneth,
também servem como matriz juntamente com outras
para exposição de substancias células epiteliais
antimicrobianas produzidas por intestinais, secretam uma
células epiteliais. lectina do tipo C,
 Algumas dessas proteínas atuam chamada de proteina y
como moléculas neutralizantes derivada de ilhas de
de adesinas de patógenos, regeneração IIIy (REGIIIy)
lingando-se a elas e impedindo que bloqueiam a
colonização bacteriana

@mundodemedstudent
na superfície epiteliam  Em indivíduos saudáveis, células
ligam-se à dendríticas e macrófagos na lâmina
peptídeoglicanos de própria do intestina, inibem a
bactérias Gram-positivas inflamação e servem para manter a
e sua expressão requer homesotase.
sinais dos TLRs em
resposta a  Esse fenótipo aparentemente é
microrganismos induzido pelo TGF-β (secreção
comensais, portanto, sua de citocinas anti-inflamatórias).
produção é aumentada
após a colonização e Células linfoides inatas que produzem IL-
infecção por patógenos. 17 e IL-22 (do grupo 3) e células TH17 são
 As β-defensinas são produzidas encontradas principalmente na mucosa
no cólon por células epiteliais intestinal e contribuem para a defesa
absortivas nas criptas intestinais, imune contra algumas bactérias, bem
algumas, naturalmente, e outras, como para a função de barreira
em reposta à IL-1 ou a bactérias epitelial mucosa.
invasivas.
 Induzem o aumento da função
Os receptores do tipo Toll (TLRs) e de barreira da mucosa intestinal
receptores do tipo NOD citoplasmáticos por estimular a produção de
(NLRs) expressos por células epiteliais muco e defensinas e, aumentam
intestinais promovem respostas imunes à a função das junções de
patógenos invasores, mas também oclusão do epitélio.
limitam respostas inflamatórias a  Aumentam o transporte de IgA
bactérias comensais. para o lúmen intestinal.

 As célulsa epiteliais do intestino Imunidade adaptativa no TGI


produzem uma grande
A principal forma de imunidade
variedade de TLRs, incluindo TLRs
adaptativa no TGI é a imunidade
2, 4, 5, 6, 7 e 9.
humoral direcionad aos microrganismos
 Causam a fosforilação e
no lúmen.
reorganização da zona ocludens
1 e maior resistência das junções
 Essa função é mediada por
de oclusão entre as células
anticorpos IgA diméricos.
epiteliais, além disso, sinalizam
 Quantidades significativas dos
para aumentar a motilidade e
anticorpos IgG e IgM também
proliferação do epitélio intestinal.
estão presentes no lúmen
intestinal e contribuem para a
imunidade humoral nesse local.

A resposta imune celular protetora


dominante é a mediada por células
efetoras TH17.

O principal mecanismo para o controle


das respostas no intestino é a ativação
das células Treg, devido à grande

@mundodemedstudent
necessidade do intestino de regular sua e T, células dendríticas e
resposta inflamatória, macrófagos.
Áreas parafoliculares:
 Anatomia funcional do sistema imune localizadas entre os folículos e
adaptativo no TGI ricas em células T, similares aos
As respostas imunes adaptativas linfonodos.
no intestino são iniciadas em Células M: localizadas no epitélio
populações distintamente da cúpula ou associado ao
organizadas de linfócitos e folículo e tem como função o
células apresentadoras de transporte transcelular de
antígenos intimamente substâncias do lúmen intestinal
associadas ao revestimento através da barreira epitelial para
epitelial mucoso do intestino e as células apresentadoras de
linfonodos mesentéricos. antígeno (realizam fagocitose e
Desenvolveu-se para lidar endocitose) na região das
efetivamente com as condições cúpulas das placas de Peyer
onde poucos microrganismos subjacentes e dos folículos
patogênicos podem ser linfoides da lâmina própria. São
encontrados em meio a capazes de capturar bactérias
numerosos organismos inteiras, vírus e produtos
comensais, localizados fora de microbianos solúveis, no entanto,
uma barreira epitelial com podem servir como rota de
enorme área de superfície. invasão pela barreira mucosa
No GALT, a proporção de células (bactérias citotóxicas que
B para as células T é ≈ 5x maior causam a formação de lacunas
que nos linfonodos. no epitélio dessas, o que
As estruturas do GALT não são promove a invasão de mais
encapsuladas e existem rotas de microrganismos), além disso, as
apresentação de antígenos que lectinas dessas células também
independem dos linfáticos. podem ser utilizadas por alguns
O desenvolvimento das placas vírus entéricos para romper a
de Peyer e de folículos isolados barreira epitelial.
na lâmina própria dependem de
células indutoras inatas do
tecido linfoide que expressam o
fator de transcrição RORyT e
produzem a citocina linfotoxina-
β (LTβ).
Placas de Peyer (GALT): possuem
folículos linfoides, com centros
germinativos contendo linfócitos
B(expressam IgG e IgM), células T
auxiliares foliculares, células
dendríticas foliculares e
macrófagos.
Cúpula: localizada entre os
folículos e o epitélio de
revestimento; Contêm linfócitos B

@mundodemedstudent
nasofaríngeas, formam o anel de
Especial atenção para a Salmonella Waldeyer.
typhimurium, similar ao S. typhi, que
causa a febre tifoide e se utiliza as Homing intestinal: é uma propriedade
células M como rota de invasão. que permite que linfócitos efetores que
são gerados no GALT e nos linfonodos
mesentéricos circulem no sangue e
Células dendríticas: capturam antígenos voltem para a lâmina própria do
microbianos na lâmina própria através intestino. Tal fato só é possível devido à
da emissão de dendritos através das integrinas e receptores de quimiocinas,
junções intercelulares, sem causar o sendo as principais: α4β7 (integrina que
rompimento dessas. Além disso, são se liga à proteína MadCAM-1, das
capazes de processar e apresentar células endoteliais venulares pós-
antígenos proteicos a células T no capilares na lâmina própria do intestino)
interior do GALT. e CCR9 (receptor de quimiocina que se
liga ao CCL25, produzido por células
epiteliais intestinais).

 No caso de Doenças
inflamatórias intestinais, é
utilizado o bloqueio com
anticorpos monoclonais
específicos para a cadeia α4 de
α4β7

A combinação MadCAM-1 e
CCL25 é restrita ao intestino.

Linfonodos mesentéricos: coletam


antígenos trazidos da linfa que drena os
IG e ID e são locais de diferenciação de
linfócitos efetores e regulatórios que
retornam para a lâmina própria. São
responsáveis pela diferenciação de
células B em plasmócitos secretores de
IgA e pelo desenvolvimento de células T
efetoras e de Treg.

Tonsilas linguais e palatinas: são locais


de resposta imune a microrganismos
(geralmente, estreptococcus ou vírus
Epstein-Barr) na cavidade oral, por meio
de hipertrofia e vigorosa produção de
anticorpos, com destaque para o IgA.
Além disso, juntamente com as tonsilas

@mundodemedstudent
 No caso das células B produtoras A produção de IgA pelos
de IgA e de células T efetoras, o plasmócitos intestinais é
homing é determinado por aumentada por propriedades
células dendríticas através da seletivas de homing intestinal.
ação do ácido retinoico durante A IgA é transportada da célula
o processo de ativação das para o lúmen intestinal por meio
células T, visto que fornecem do receptor poli-Ig, especifico
sinais para a expressão de α4β7 e paraa IgA/IgM.
de CCR9.

Lâmina própria: contem linfócitos


efetores, células dendríticas e
macrófagos distribuídos difusamente e é
local da fase efetora das respostas
imunes adaptativas gastrointestinais.

 Imunidade humoral (ou secretória) no TGI


A principal função é de
neutralizar os microrganismos
luminais, e é mediada,
A IgA transferida, pelo leite
principalmente, pela IgA
materno, da mãe para o
produzida no GALT.
lactente.
A produção de IgA por células B
 Imunidade mediada por células T no TG
intestinais é pelo menos
A maioria das células T
parcialmente dependente do
intraepiteliais corresponde a
metabólito da vitamina A, o
células CD8+, na lâmina própria,
ácido retinoico all-trans.
células TCD4+ efetora ou de
A IgA pode ser produzida a partir
memória e, na placa de Peyer e
da troca de classe para o
em outros folículos adjacentes,
isótopo IgA, por meio de
são, na maioria, TCD4+ auxiliares.
mecanismos T-dependentes ou
As células dendríticas e os
T-independentes.
macrófagos participam da
estimulação das respostas
protetoras de células T efetoras
ou da indução de respostas das
Treg.
Célula dendrítica
captura o
antígenomigração
através da
linfalinfonodos
mesentéricos
apresentação da
antígenoindução da
diferenciação das células
T em Treg FoxP3+ ou T
efetoras(produtoras de
IFN-y, IL-17 ou IL-4). Tudo

@mundodemedstudent
isso depende do TGF-β e macrófagos e células epiteliais,
do ácido retinoico. expressam receptores e são
Subpopulações de TCD4+: reguladas por essas citocinas.
Células TH17:
relacionadas à Tolerância oral e vacinas orais
patogênese das doenças
inflamatórias intestinais; Tolerância oral é a tolerância imune
induzida por IL-6 e TGF-β; adaptativa sistêmica aos antígenos que
produzem IL-22, IL-17, IL- são ingeridos ou administrados
21. oralmente, ou seja, uma mesma
Células TH1: fagocitose substância causará diferentes respostas
contra agentes imunologicas a depender da via de
infecciosos intracelulares; administração.
induzidas por IL-12 e IFN-y;
É “traduzida” como um prejuízo
produzem INF-y, IL-2 e
nas respostas humorais e
TNF-α.
mediadas por células ao mesmo
Células TH2: reação
antígeno administrados por
contra alérgenos e
outras vias.
helmintos, mediadas por
Possivelmente, deve-se à
eosinófilos e mastócitos;
prevenção de respostas imunes
induzidas por IL-4;
potencialmente perigosas às
produzem IL-4, IL-5, IL-10 e
proteínas provenientes de
IL-13.
alimentos e bactérias comensais.
Regulação da imunidade no TGI pelas células T
Vacinas com o vírus atenuado induzem
regulatórias e citocinas
a respostas protetoras de anticorpos aos
vírus.
A maioria é induzida em resposta a
antígenos encontrados localmente, as
O papel da microbiota comensal na regulação do
chamadas Treg periféricas.
sistema imune
Mecanismo dominante: produção da IL-
Influenciam a homeostase intestinal de
10.
diferentes formas, seja produzido
Fatores contribuintes para a produção mediadores químicos que ajudam na
de células Treg: células dendrítica regulação intestinal, como diminuem o
CD103+, produção local de TGF- risco de infecções por comporem a
β(promove a expressão do FoxP3 e inibe flora intestinal normal.
as TH1 e TH2).
Doenças relacionadas a resposta imune no intestino
Deficiencia na produção de citocinas
tais como, TGF-β, IL-10 e IL-2, afetam a Causadas por respostas desreguladas a
homeostase intestinal causando organismos comensais ou antígenos
inflamações decontroladas (DII). alimentares.

Deleção seletica do gene da IL-  Doença inflamatória intestinal (DII)


10 em células FoxP3+ = colite Caracterizada por inflamação
grave. crônica e remitente nos IG e ID,
As células dendríticas, T efetoras sendo as principais a Doença de
e efetoras inatas, como Chron e a colite ulcerativa.

@mundodemedstudent
As anormalidade mais comuns Ligação dos anticorpos
causadoras dessas patologias alergenos aos receptores
são: defeitos na imunidade inata Fc dos mastocitos 2ª
aos organismos comensais exposiçãoligação
(expressão deficiente de cruzada dos receptores
moléculas como as defensinas e Fcativação dos
regulação negativa inadequada mastócitosliberação de
de respostas imunes inatas a mediadores da
organismos comensais, ex: inflamação.
polimorfismo do receptor NOD2), Sintomas mais comuns:
respostas TH17 e TH1 (inflamação nauseas, vômitos, diarreia
granulomatosa) anormais, e dor abdominal.
função defeituosa das células Tumores podem se desenvolver
Treg (defeitos no gene FoxP3) e como consequencia de
polimorfismo dos genes (ATG16L1 respostas imunes prolongadas.
e IRGM) associados à Linfoma de MALT
macroautofagia. (originados de células B
foliculares da lâmina
 Doença celíaca, enteropatia sensível o própria) no estômago de
glúten ou espru não tropical indivíduos com infecção
Causada por respostas imunes crônica por H. pylori.
contra proteínas do glúten
presentes no trigo. Imunidade em outros locais das mucosas
Caracterizada por uma
inflamação crônica na mucosa Os principais aspectos compartilhados
do ID, atrofia das vilosidades, má pela imunidade das mucosa do TGI, do
absorção, deficiências sistema respiratorio e do trato
nutricionais e manifestações geniturinário são: muco relativamente
extra-intestinais. impermeável e de defensinas;
Os portadores produzem constante exposição de antígenos
anticorpos IgA e IgG específicos localizados na parte ecterna das
para o glúten e anticorpos barreiras a células imunes do lado
antitransaminase 2ª. interno da barreira; constante
Evidencias monstram que a intergração dos sinais pró-inflamatórios e
principal resposta é por células regulatórios gerados pela ligação de
TCD4+ à gliadina. produtos microbianos aos TLRs para
Pessoas que carregam os dois prevenir a invasão microbiana;
alelos HLA de classe II, HLA-DQ2 presença de populações de células
e HLA-DQ8, possuem um alto dendríticas efetoras e reguladoras que
risco para o desenvolvimento estimulam tipos particulares de respostas
desta patologia. efetoras e reguladoras provenientes de
 Outras doenças células T.
As alergias alimentares são
causadas por uma resposta TH2 e Imunidade no sistema respiratório
provocam reações inflamatórias
A flora microbiana das vias aéreas
agudas. É uma falha da
inferiores e dos alvéolos tem menos
tolerância imune adaptativa a
microrganismos que a das vias aéreas
antígenos alimentares.
superiores.

@mundodemedstudent
“Falhas no sistema imune para controlar É dominada pela IgA secretória.
as infecções broncopulmonares e as Os locais de ativação das
respostas imunes inflamatórias células B imaturas e de troca de
excessivas às infecções são a principal classe para IgA podem ser: nas
causa de morbidade e mortalidade no tonsilas, nas adenoides da
mundo inteiro”. nasofaringe e nos linfonodos no
mediastino e adjacentes aos
 Imunidade inata no sistema respiratório brônquios no pulmão.
O epitélio colunar ciliado serve O homing dessas células nesse
de barreir fisica e química. sistema depende da quimiocina
O muco captura substancias e CCL28, secretada pelo epitélio
microrganismos. respiratório, e da expressão de
Os cilios movem o muco e os seu receptor CCR10 nos
microrganismos capturados para plasmócitos.
cima e para fora dos pulmões. O transporte da IgA e Dda IgG
As células de revestimento para o lúmen respiratório ocorre
alveolar podem ser diretamente pelo receptor poli-Ig e de FcRn.
infectadas por vírus. IgE = doença alérgica (asma,
As proteínas surfactantes A (SP- febre do feno,...).
A) e D(SP-D), secretadas nos As respostas das células T
espaços alveolares, estão ocorrem a partir da
envolvidas na neutralização viral, apresentação do antígeno pelas
na eliminação de células dendríticas às células T
microrganismos dos espaços imaturas encontradas nos
aéreos e suprimem respostas linfonodos peribrônquicos e do
inflamatórias e alérgicas no mediastino.
pulmão. Mecanismo mais comum da
SP-A: inibe a sinalização asma: reconhecimento do
de TLR-2 e TLR-4 e a antígeno por células dendríticas
expressão de citocinas  migração para linfonodo
inflamatórias nos drenante  apresentação e
macrófagos alveolares; diferenciação das células T para
liga-se a TLR-4 e inibe a TH2  homing p/ mucosa
ligação de brônquica (onde pode ser
polissacarídeos. reativada).
Ambas as proteínas
reduzem a atividade Imunidade no sistema geniturinário
fagocítica de
macrófagos alveolares. A defesa imune inata é dependente do
Os macrofagos alveolares revestimento epitelial.
expressam IL-10, óxido nítrico e
TGF-β e são fracamente Possui varias células de defesa, tais
fagocíticos, inibem as respostas como: células de Langerhans, células
de células T, bem como a dendríticas, macrófagos, células B e T
função de apresentação de residentes.
antígenos de células dendríticas
As células dendríticas e os macrófagos
CD103+ das vias aéreas.
da mucosa genital feminina possuem
 Imunidade adaptativa no sistema
uma maior suscetibilidade à infecção
respiratório pelo HIV.

@mundodemedstudent
O anticorpo predominante nas expresssam CCR10) e, constituvamente,
secreções genitais é o IgG, produzido a pró-IL-1β e a pró-IL-18.
por plasmócitos ou provenientes da
circulação. As células dendríticas contribuem tanto
para as respostas imunes inatas quanto
Sistema imune cutâneo para o início das respostas de células T.

Captura de proteínas estranhas


A pele é a segunda maior barreira do
 linfonodos drenantes 
corpo.
apresentação as células T ou p/
células dendríticas residentes nos
linfonodos.

Células de Langerhans ativadas perdem


sua capacidade de adesão à epiderme
e adentram os vasos linfáticos e
expressam o receptor de quimiocinas
CCR7 e migram para as zonas de
células T dos linfonodos drenantes.

As células de Langerhans podem


amadurecer para se tornarem células
apresentadoras de antígenos e
parecem ser necessárias para as
respostas TH2.

Os linfócito T na derme (CD4+ e CD8+)


Respostas imunes inatas e adaptativas na pele estão localizados predominantemente
em regiões perivasculares e
Epiderme: fornece uma barreira física à perifoliculares.
invasão bacteriana; composta por
múltiplas cmadas de epitélio escamoso As células T na pele expressam
estratificado, com queratinocitos. móleculas de homing que direcionam
sua migração para fora dos microvasos
Estrato córneo: as células sofrem morte da derme.
programada, formando uma barreira
impermeável, rica em lipídeos e É dependente do
queratina. CLA(antígeneo de linfócitos
cutâneos), CCR4, CCR8, CCR10,
Queratinócitos: formam uma barreira que se ligam as quimiocinas
física e respodem ativamente a CCL17,CCL1 e CCL27.
patógenos, produzindo pedptídeos A vitamina D induz a transcrição
antimicrobianos e citocinas reguladoras de CCR10 durante o processo
das respostas imunes, como TNF, de maturação dos linfócitos e
TSLP(linfopoetina estromal tímica), IL-1, também pode atuar localmente
IL-6, IL-18, IL-33, GM-CSF (induz a na derme sobre as células T
diferenciação e a ativação de células efetoras e de memória,
dendríticas na epiderme), IL-10 (controla regulando positivamente a
respostas imunes), CCL27 (atua no expressão de CCR10 e
recrutamento de linfócitos que promovendo a migração de

@mundodemedstudent
células T para a epiderme, tendo
em vista que os ligantes CCR10 e
CCL27 são produzidos pelos
queratinócitos.

Trauma ou infecção  indução


da produção de catelicidina LL-
37 pelos queratinócitos 
ativação de células dendríticas
plasmocitoides na pele por meio
do TLR9  produção de IFN-α.
A pele psoriática possui um forte
perfil interferon do tipo I
Ocorre uma cascata
inflamatória e proliferação
persistente de queratinócitos,
com envolvimento de células TH1
e TH17.

A dermatite atópica é uma doença


crônica inflamatória carcaterizada por
erupções pruriginosas, dirigidas por
respostas TH2.
Doenças relacionadas a respostas imunes na pele

Várias doenças podem ocorrer


secundariamente à respostas imunes
desreguladas e inadequadas, entre
elas, detaca-se linfomas malignos,
psoríase e dermatite atópica.

A psoríase é carcaterizada por placas


escamosas vermelhas, causadas por
respostas imunes inatas e adaptativas
desreguladas

Pode-se desenvolver devido à


defeitos na função de barreira

@mundodemedstudent
da epiderme ou devido à O desvio imune dessa região
mutações na proteína filagrina, ocorre quando um antígeno
envolvia na diferenciação dos atinge, primeiramente, a parte
macrófagos. anterior do olho e,
posteriormente, o que gera uma
Tecidos imunologicamente privilegiados tolerância sistêmica.
Ocorre uma redução da
Privilégio imunológico no olho, cérebro e testículos resposta inflamatória de
células T ou de
Os antígenos estranhos que poderia anticorpos ao mesmo
induzir uma resposta imune na maioria antígeno.
dos tecidos, são frequentemente Mediado por células
tolerados nesses locais, como cérebro, Treg.
olhos, testículos, placenta e feto, devido Os antígenos próprios no olho
ao alto risco de disfunção orgânica letal são isolados pelo sistema imune
ou falha reprodutiva. e a tolerância sitêmica a esses
antígenos não é induzida, o que
 Olho pode ser um problema no caso
O que permite esse privilégio de trauma ocular, visto que
imunológico são as seguintes células efetoras imunes ativadas
características anatômicas da e anticorpos gerados na
câmara anterior: junçoes de periféria, têm acesso a ambos os
oclusão; resistência ao olhos e podem causam dano ao
extravasamento de líquido dos olho normal.
vasos sanguíneos para os tecidos  Cérebro
adjacentes à câmara anterior Mecanismos do privilégio
(barreira hemato-ocular); imunológico: ausência de
avascularidade da córnea; drenagem linfática
ausência de vasos linfáticos convencional; escassez de
drenantes da câmara anterior células dendríticas; barreira
(limita o acesso do sistema hematoencefálica; ação de
imune adaptativo aos antígenos neuropeptídeos; micróglia com
oculares); um limiar de ativação maior do
No humor aquoso, estão que o normal pela sinalização
presentes várias substâncias inibitória mediada pelo receptor
imunossupressoras/anti- CD200.
inflamatórias que preenchem a  Testículos
câmara anterior, incluindo Mecanismo do privilégio
neuropeptídeos (hormônio imunológico: barreira
estimulador de α-melanócitos, hematotecidual; meio hormonal
peptídeos vasointestinais e rico em andrógenos com
somatostatina), TGF-β e influência anti-inflamatória sobre
indolamina 2,3-dioxigenase. os macrófagos; TGF-β produzido
As células que revestem a pelas células de Leydig, de
câmara anterior, o epitélio da íris Sertoli e peritubulares.
e o endotélio expressam o
ligante Faz e PD-L1, que induz
morte ou inativação de células T,
respectivamente.

@mundodemedstudent
Privilégio imunologico no feto dos mamíferos

A localização anatômica do feto é um


fator crítico na ausência de rejeição.

As células do trofoblasto falham em


expressar moléculas MHC paternas.

A molécula HLA-G pode estar envolvida


na proteção de células trofoblásticas
da lise mediada por células NK
maternas.

Evidências mostram que a decídua


uterina pode ser um local no qual as
respostas imunes são funcionalmente
inibidas.

A tolerância materna ao feto pode ser


mediada por Treg tanto de origem fetl
quanto de origem materna.

As respostas imunes ao feto podem ser


reguladas por concentrações locais de
triptofano (catabolisado pela enzima
indolamina 2,3-dioxigenase –IDO) e de
seus metabólitos na decídua.

Os níveis de triptofano são


mantidos baixos ou os do IDO
são altos.

Prejuízo na migração de células


dendríticas do útero para os linfonodos.

Expressão de FasL por células


trofoblásticas fetais, promovendo
apoptose de linfócitos maternos
ativados que epressam Faz.

Geração de células dendríticas


tolerogênicas em resposta à galectina-1
expressa na decídua.

@mundodemedstudent