Você está na página 1de 41

Didática e

Metodologia do Ensino Superior

Profº M.Sc. Marcos Spindola


Programa
g

• Abertura
• Educando no século XXI – perfil dos educadores
• Necessidades dos educadores
• A escola que temos e a que queremos
• Objetivo da educação e concepções
• Conceituações
• Condições para a docência
• Funções
ç do professor
p
• Compromisso social e ético do professor
• Avaliação: aprender com os erros
• Planejamento educacional
• Métodos e técnicas pedagógicas
Falar em público
p

O que é?
É conversar com o grupo.
grupo

Origens
• Família

• Escola
E l
• Igreja
Por que do medo de falar em público?

• Perfeccionismo
• Auto-imagem negativa
• F lt de
Falta d treino
t i
• Excesso de auto-crítica
• Apresentações anteriores frustrantes
Qualidades de um orador
Q

… Memória
… Entusiasmo
E t i
… Determinação

… Elegância

… Teatralização

… Criatividade

… Boa voz

Ex. Sílvio Santos, Jô Soares, Collor


Impacto
p na mensagem
g

… Palavra 7%
… Voz 38%

… Expressão corporal 55%

(é preciso ter equilíbrio – sal)

“ O que eu ouço eu esqueço,


o que eu vejo eu lembro,
o que eu faço eu aprendo” (Confúcio).
Erros mais comuns

… Cruzar em X
… Gangorra
g
… Pêndulo
… Animal enjaulado
j (o oito)
… Mãos nas costas
… Mãos nos bolsos
… Braços cruzados
… Gestos acima da linha da cabeça e abaixo da linha da
cintura
… Movimentos alheios
Posições
ç corretas

Posições corretas No início da fala (abertura):

… posicionar-se em pé
… posição padrão de conforto – pés juntos
(homens) e pé direito para frente (mulheres)
… P t
Postura de
d segurar o pintinho
i ti h
… Dedos quase unidos
Educando no século XXI
P fil d
Perfil dos educadores
d d

Presença:
ç
… Masculina – derrotar, vencer, garantir a sobrevivência.

… Feminina – coleta, cuidado com os filhos,


vigilância.Capacidade
g p de cuidado (cogitare,
( g , cogitatus)
g )
A educação deve ter um componente feminino forte (que não é
exclusivo das mulheres))
A Educação constitui-se por estruturas focadas e extrema racionalidade administrativa.

Perde-se de vista a dimensão do cuidado

… Não é casuall o predomínio


Nã d í i d das mulheres
lh embora
b existam
i razões
õ históricas.
hi ó i
… Homens e mulheres são diferentes (conceito ético), não são desiguais
(conceito cultural).
… Mulher: subjetiva – multilateralidade

… Homem: objetivo – focado

… Saída:
S íd agregar essas competências
ê ((a humanidade
h d d não teria sobrevivido
b d
se fossemos só multilaterais ou só focados)
… Educação = a incapacidade de desistir (do aluno), que varia de acordo
com o grau de cuidado.
Quem ama não desiste (não é exclusivo das mulheres e sim, do feminino).
Capacidade de proteger a vida nas suas múltiplas manifestações.
manifestações
Necessidades dos educadores

… Arsenall de
A d técnicas
té i
… Vontade política (ações governamentais)
… Reforço teórico
… Atitude do cuidado, da não desistência, da proteção.

Ser educador é estar atento ao esvaimento da capacidade do cuidado. É ter


energia para cuidar (homem tem mais força, mulher mais energia)
Pessoas que se dedicam a educação são possuídas pela “sã sã loucura”
loucura
(olhar a realidade e recusar o que parece não ter saída)
Mola propulsora: “Sonho de uma sociedade onde todos caibamos”.
Oq
que desejamos?
j

… Uma escola formada por seres adultos, conhecedores, abertos à


reflexão e operantes no mundo.

Reflexões:
a) Os professores estão dispostos a transformar o mundo? Em que direção?

b) conhecem seus alunos, em profundidade?

C b a Educação
Cabe d a tarefa
f de
d transformar
f as potencialidades
i lid d (boas
(b e más))
dos alunos em ação (reprodutora ou transformadora) por meio das
ações didático-pedagógicas.

NÃO HÁ ação pedagógica neutra (formação integral manifesta nos


aspectos cognitivo, afetivo e psicológico – pensar, sentir e agir).
Objetivo
j da educação
ç

… A educação tem uma intenção (formar determinado tipo


de homem)) e uma finalidade
fi lid d (contribuir
( ib i para
reprodução ou transformação da realidade).

… Uma é a escola que temos, outra é a que queremos.

… Objetivos e fins da educação – vinculação à ideologia.


Concepções

… Acrítico-ingênua
Acrítico ingênua –aceitação passiva do que é proposto
proposto. Governo é responsável pelos
rumos da educação.

Professor: ensina, exige obediência sem deixar de ser amigo.

Aluno: o sucesso depende dele mesmo.

Crítica – discute o papel da escola no contexto social, econômico e cultural.

p
Professor: ensina e aprende

Aluno: tem autonomia intelectual


Conceituação
ç

… Educação – prática
áti social
i l que ocorre em várias
á i iinstituições
tit i õ e
atividades humanas (família, escola, trabalho, igrejas...)

… Processo pelo qual as pessoas se manifestam e se modificam em suas


múltiplas possibilidades, inclusive a de elaborar, metabolizar, assimilar,
e transmitir conhecimentos na escola e na sociedade, construindo a
cultura e a transcendência.

… Ensino – aspecto
p instrutivo da educação,
ç , formação,
ç , transmissão de
informações.
Conceituação
ç

… Pedagogia – Ciência que investiga a teoria e a prática da educação e


sua relação com a prática social global.

… Didática – Ramo de estudo da pedagogia.


p g g

… Objeto
j de estudo da didática: pprocesso de ensino

… Atividade p
principal
p do ensino: dirigir,
g , organizar,
g , orientar e
estimular a aprendizagem escolar dos alunos.
Condições para a docência
1. Vocação pedagógica

a) Amor pedagógico – amor , dedicação


dedicação, preocupação,
preocupação
compreensão e respeito para com os educandos (sujeitos em
processo de formação).

b) Sentido de valores – participação do educando nos bens


culturais. O educador deve acreditar em valores como a vida,
a dignidade,
d d d a moralidade...
ld d

c) Consciência de responsabilidade – frente ao educando, família,


sociedade...
2. Condições
ç profissionais
p

a) Erudição crítica e atitude inquisitiva – domínio da área de atuação


e busca de novos caminhos

b) Probidade magisterial – reconhecer os esforços do aluno, apesar


d resultados;
dos l d ser referência
f ê i

c)) Alegria e bom humor – para despertar confiança,


confiança
espontaneidade e idealismo no convívio

d) Tato pedagógico – habilidade na condução dos trabalhos


Funções
ç do professor
p

… Planejar estudos e trabalhos adequados à formação do aluno,

… Orientar os alunos para verem e sentirem a realidade,


realidade

… Controlar os resultados dos estudos (ampliação,


(ampliação retificação...),
retificação )

… Poupar
p esforços
ç desnecessários ao aprendizado
p do aluno,,

… Graduar dificuldades,

… Contribuir para a apreensão do fundamental e do acessório,


Funções do professor

… Favorecer na construção da autonomia intelectual.

… I
Investir
i na iinstrução
ã e na formação,simultaneamente
f ã i l

… Estimular e cooperar para a formação integral do aluno.


aluno

… Conhecer os alunos para estimulá


estimulá-los
los na superação dos limites.

… Fomentar ideais e atitudes positivas diante da vida, da profissão e da


sociedade.
Compromisso
p social e ético dos professores
p

… Trabalho docente – exercício profissional do


professor.
f

… Atividade
v dade fundamentalmente
u da e a e e social
soc a por
po contribuir
co bu
com a formação cultural e científica das pessoas.
Compromisso social e ético dos professores

O compromisso social é expresso na competência:

Teórica – domínio do assunto/área

Técnica – saber fazer

Política – tomada de posição frente aos interesses


sociais em jogo na sociedade
Qual a responsabilidade do professor ?

… PPreparar os alunos
l para a cidadania
id d i ativa
ti e
participante na família, nas associações de classe,
na vida
id cultural
lt l e política.
líti
Como o p
professor contribui ?

… PPromovendo
d as condições
di õ e os meios i (conhecimento,
( h i métodos,
é d
organização do ensino...) que assegurem ao aluno:

- o domínio dos conhecimentos básicos,


- as habilidades e,
e
- o desenvolvimento das capacidades físicas e intelectuais.

… Objetivo – capacitar o aluno para o enfrentamento dos


desafios do cotidiano no trabalho e nas lutas pela
democratização da sociedade.
Avaliação:
ç aprender
p com os erros

… M d tradicional
Modo d l

… Necessidade de informar significativamente sobre as


causas dos erros, transformando o próprio texto das
observações
b em motivos de
d aprendizagem.
d

… Necessidade de qualidade e clareza na informação


dada aos alunos sobre a correção.
A importância
p das perguntas
p g

… FFormular
l perguntas que estimulem
i l a reflexão,
fl ã o pensamento
crítico e autônomo

… Estimular e desafiar o pensamento do aluno

… Evitar perguntas cujas respostas sejam mecânicas (decoradas)

O desafio para o professor não é educar alunos inteligentes


e sim desenvolver os pontos fracos e as deficiências dos
alunos.
Fatores negativos
g no ato da correção
ç

… Pouco (ou nenhum fornecimento de informações)

… Informações pouco inteligíveis ao aluno

… Efeito de punição com o uso da caneta vermelha

… Demora no retorno dos resultados

… I
Incoerência
ê i quanto
t ao nível
í ld de exigência
i ê i

Lembrar que o objetivo da avaliação é contribuir no processo de


ensino
i aprendizagem
di e não
ã “vigiar
“ i i e punir”.
i”
Planejamento
j Educacional

… É uma atividade que orienta a tomada de


decisões da escola e dos professores em relação
às situações docentes de ensino e aprendizagem,
visando alcançar os melhores resultados possíveis.
Níveis
a) Macro-sistema – programas de Governo.

• Descontínuos
• E t b l id à revelia
Estabelecidos li de
d propostas
t pedagógicas
d ó i
concebidas pelos educadores
b) Micro-sistema

• Resistência e/ou rejeição em vincular ações a um


planejamento com o mínimo de base científica

• Descompromisso de
D d educadores
d d frente
f à educação
d
das novas gerações
Projeto
j p
pedagógico
g g ou Plano da escola

… É um plano administrativo-pedagógico
administrativo pedagógico onde se explicita:
explicita

• a concepção pedagógica do corpo docente


• as bases teórico-metodológicas da organização didática
• a contextualização social,
social econômica,
econômica política e cultural da
escola
• a caracterização
ç dos alunos (e ( famílias))
• os objetivos educacionais (gerais e específicos)
• a estrutura curricular
• o sistema de avaliação do plano
• a estrutura organizacional e administrativa
Plano de ensino

… É um roteiro
i organizado
i d das
d unidades
id d didáticas
didá i para um ano ou
semestre.

… Também conhecido como Plano de curso

Plano de aula

* forma predominante de organização do processo de ensino

* detalhamento do plano de ensino (unidades e subunidades)


Esquema
q para
p elaboração
ç do plano
p de ensino

I- DADOS DE IDENTIFICAÇÃO
Ã

• Nome da instituição
• Nome do curso (ano, termo, semestre)
• Nome da disciplina
• Número de aulas semanais
• Carga horária total
• Nome do p
professor responsável
p
II – EMENTA

Refere-se à síntese das grandes unidades dos


conteúdos
… III – OBJETIVO(S)

a) Geral(is)

O que se pretende alcançar no período, através da disciplina

b) Específico(s)
E ífi ( )

RRepresenta(m)
t ( ) o(s)
( ) detalhamento(s)
d t lh t ( ) do(s)
d ( ) objetivo
bj ti geral(is)
l(i ) e
deve(m) resultar em ações concretas.
A redação é iniciada com o verbo no infinitivo (geral e
específico)
IV- CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Representa o desdobramento da ementa e é meio para o


alcance dos objetivos.

V- METODOLOGIA OU PROCEDIMENTOS
OPERACIONAIS

São indicativos das ações a serem desenvolvidas pelo professor


f
e alunos, em cada etapa do processo ensino-aprendizagem.
VII – RECURSOS
Elenco dos recursos didático-pedagógico e ambientais, necessários
ao desenvolvimento das atividades específicas

VIII – AVALIAÇÃO
Número, tipo e critérios adotados

IX – RERERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
Apresentação dos materiais (livros, apostilas, sites, CDs, vídeos...)
consultados
lt d e indicados
i di d aos alunos.
l
Deve ser apresentada em ordem alfabética, de acordo com as
normas da escola ou ABNT
D
Deve ser dividida
di idid em Básicas
Bá i e Complementares.
C l
Métodos e técnicas pedagógicas
p g g

… Método
Refere-se aos p
papéis
p e posturas
p assumidos pelo
p
professor e alunos durante a situação de ensino.

a) Ativos ou passivos
b) Analítico-sintético ou indutivo-dedutivo
Técnicas

Refere-se:
f

• a forma como o método será desenvolvido,

• Ao “como” (meios) os professores e alunos


desempenharão seus papéis.

Não existe uma técnica melhor que outra e sim a


mais adequada ao assunto, em termos de
aprendizagem.
As pessoas que se dedicam à educação são
possuídas pela “sã
sã loucura
loucura” (Paulo Freire)
Freire).

Olham a realidade e recusam-se a aceitar o que


parece não ter saída.

Sonham e lutam por uma sociedade onde todos


caibamos.
Obrigado pela atenção e pela paciência!

Tenhamos todos uma boa prova


prova.

Marcos Spindola