Você está na página 1de 3

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MOÇAMBIQUE NOME DO DOCENTE: Clara José Macovela

DISCIPLINA: Direito de Trabalho


FACULDADE DE DIREITO
1° SEMESTRE
TIPO DE AVALIAÇÃO

QUESTÕES

1. Uma das características do Direito de Trabalho é o reconhecimento de que certas relações


trabalho subordinado possuem especificidades que justificam regimes próprios. Comente
a afirmação na vertente positiva e negativa tendo atenção o princípio de igualdade

R: Logo em antemão importa frisar que, sim, tendo em conta que o artigo 2 da lei do trabalho já
aborda as varias vertentes para aplicação da lei, nesta senda, cada regime comporta suas
especificidades, sem se esquecer da contrato de prestação de trabalho e as demais
especificidades.

2. A mulher pela sua natureza, apresenta no âmbito do Direito de Trabalho mais direitos que os
homens. Concorda com a afirmação apresenta os fundamentos que sustentam a sua posição .

R: Desde logo importa dizer que sim, tendo em conta que a mulher goza de alguns direitos
especiais que a nossa lei de trabalho já faz alusão no artigo 11, outrossim, são direitos que estão
previstos no artigo citado anteriormente com mais atenção a questão relativa gravides,
concretamente o período da gravidez e após que o legislador ordinário acautela.

CASOS PRÁTICOS

1. Mariamo, trabalhadora da empresa Frangos da Cidade, tem 17 anos, e estuda na Escola


Secundária de Nampula no curso noturno. No presente ano Mariamo ficou gravida do Pedro
seu colega de turma. A partir de então Mariamo começou a chegar tarde ao serviço e com um
aspecto bastante desgastado e já não consegue cumprir com as suas tarefas diárias.

A Mariamo tem um contrato de trabalho de dois anos, ate então trabalhou somente 8 meses
faltando 14 meses de trabalho.
O Sr. Dinis chefe do Departamento dos Recursos Humanos da empresa, apercebendo-se
do facto procura uma forma de rescindir o contrato de trabalho com a Mariamo, neste
contexto procura a si estudante de Direito da Faculdade de Direito da Universidade Católica
de Mocambique , para que o oriente juridicamente.
Resolva o caso expondo todos os aspectos juridicamente relevante.

R: Logo em antemão, importa frisar que a Mariamo, não obstante estar pejada ela tem alguns
deveres impostos ao trabalhador concretamente o que está adstrito na alínea a) do artigo 58
da lei do trabalho, uma vez que começou a chegar tarde ao serviço, nesta ordem de ideias, a
Mariamo violou inequivocamente alguns deveres profissionais concretamente o previsto na
alínea a) do nº 1 do artigo 66 da lei do trabalho, nesta senda o departamento dos recursos
humanos pode fazer uso de uma das formas de cessação do contrato de trabalho previsto no
artigo 124 da lei do trabalho que melhor se adequa a nossa hipótese para fazer cessar a relação
laboral não obstante ter um contrato de trabalho de dois anos, até então trabalhou somente 8
meses faltando 14 meses de trabalho.
Nesta esteira de pensamento, aconselharia o departamento dos recursos humanos a
resciscindir o contrato do trabalho com justa causa, vide art. 127/ 1 da lei do trabalho, pelo
facto de violar alguns deveres fundamentais levantados anteriormente, sem prejuízo de
observar alguns direitos que podem advier como indemnização ao trabalhador.

2. Elizabeth exercia função de confiança em uma empresa de medicamentos que possuía


filiais em várias cidades de Moçambique. Depois de dez anos trabalhando em Maputo, seu
empregador resolveu transferi-la para Nampula. Insatisfeita, Elizabeth procurou advogado a
fim de levar a sua reclamação ao tribunal alegando alteração ilícita do contrato de trabalho.
Fale de todos aspectos relevantes no caso.
R: Desde logo a transferência do trabalhador comporta alguns requisitos, a
transferência está pode ser temporária ou definitiva.
A Elizabeth tem sim razão em querer chegar a outras instâncias para reaver o seu direito
violado, visto que a entidade empregadora não observou os requisitos imprescindíveis para
transferir um trabalhador, sendo uma transferência temporária a e entidade empregadora deveria
fundamentar a sua transferência com base nos requisitos previstos no artigo 75/1 da lei do
trabalho e sem esquecer de comunicar ao órgão competente da administração de trabalho,
outrossim, sendo uma transferência definitiva uma vez que a hipótese nada diz acerca do tipo de
transferência, essa só poderia ocorrer depois de se verificarem alguns elementos como acordo
mutuo entre a entidade empregadora e a trabalhadora, caso implique algum prejuízo serio como a
separação do trabalhador com a sua família nos termos do artigo 75/3 da lei do trabalho, outro
facto não menos importante, a transferência do trabalhador só pode ocorrer nos casos de
mudança total ou parcial da empresa nos moldes do artigo 75/2 da lei do trabalho.

3. Duarte é motorista da empresa Eletricidade de Moçambique a contratado para trabalhar


durante 1 ano e 6 meses e aufere um salário de 20.000,00Mts, na sexta feira foi ao DD, com a
viatura do serviço, acompanhar alguns colegas que iriam fazer algumas actividades ligada a
instalação eléctrica chegando ao local o proprietário ofereceu algumas cervejas e petisco.
Após terem resolvido o problema beberam e permaneceram no local até ao dia seguinte.
Na segunda feira quando Duarte regressa a empresa, é comunicado pelo chefe dos transporte que
esta despedido, pelo facto de ter consumido álcool em pleno horário de trabalho. Muito irritado
Duarte agrediu os colegas e partiu os vidros do carro.
Faça análise jurídica do caso. (5,0V)
R: Desde logo é importante salientar que a entidade empregadora não observou os meios legais
para chegar a despedir o trabalhador. Sabemos nos que o despedimento é a sanção mais grave
imposta ao trabalhador nos termos da alínea f) do artigo 63 da lei do trabalho salvo entendimento
ao contrário.
Duarte é despedido pelo facto de ter consumido álcool em pleno horário de trabalho, apesar
disso, a medida aplicada não é gradual e não foi fundamentada nos termos do artigo 64/1 da lei
do trabalho, nesta senda o despedimento pela infracção cometida pelo Duarte não seguiu as
formalidades que a lei exige nos termos do nº 2 do artigo 67 da lei do trabalho, contudo é nula.
Sucede porém, que Duarte desferiu alguns golpes aos seus colegas em detrimento da fúria que
pesava sobre o despedimento, nessa senda partiu também os vidros de carro, contudo este pode
incorrer a um tipo legal de crime por desferir alguns golpes aos colegas e posteriormente chamar
a responsabilidade civil dos danos relativos ao vidro da viatura.