Você está na página 1de 34

Paratireoide

Paratireoide

Tireoide – essencial para muitos processos metabólicos


Hormônios que aumentam intensamente a taxa metabólica do organismo
Dois hormônios metabólicos:
Tiroxina (T4)
Triiodotironina (T3)
Um hormônio da regulação de cálcio:
Calcitonina – maior armazenamento de cálcio no organismo

Paratireoide – um hormônio da regulação de cálcio


Paratormônio – maior absorção e liberação de cálcio para o organismo
Regulação de Cálcio

A concentração plasmática de cálcio é regulada com bastante


precisão pelo organismo – pouca variação:
9,4 mg/dL (2,4 mmol/L)
98,9 % armazenado nos ossos (até 2 kg de cálcio em adultos)
0,1 % no líquido extracelular
1 % intracelular

Funções do cálcio:
Transmissão do impulso nervoso; contração muscular; mineralização do
tecido ósseo; sinalização celular; coagulação sanguínea; diversos processos
metabólicos no funcionamento normal das células
Regulação de Cálcio

Três formas de cálcio no plasma sanguíneo:

Cálcio complexado com ânions (fosfato e citrato)


Atravessa os capilares; cálcio não ionizado

Cálcio complexado com proteínas plasmáticas


Não atravessa os capilares

Cálcio ionizado (Ca++)


Atravessa os capilares; forma mais relevante para a fisiologia dos tecidos
Regulação de Cálcio Cálcio plasmático
Regulação de Cálcio

Hipocalcemia – concentrações abaixo de 9,4 mg/dl (letal abaixo


de 4 mg/dl)
Provoca excitação do sistema nervoso pela maior permeabilidade do sódio –
maior permeabilidade = células mais excitáveis = tetania (contrações
musculares involuntárias e espasmódicas) e crises epilépticas

Hipercalcemia – concentrações acima de 12 mg/dl (acima de 17


mg/dl ocorre precipitação de cristais de cálcio em tecidos)
Provoca depressão do sistema nervoso e da atividade muscular – menor
permeabilidade = células menos excitáveis = diminui a contratilidade
cardíaca; falta de apetite, constipação
Regulação de Cálcio

A concentração de cálcio no organismo depende do balanço


entre três fatores:
Absorção intestinal
Aproximadamente 1000 mg de cálcio ingeridos por dia
Apenas 100 mg são absorvidos – o cálcio ionizado é mal absorvido; perda
pelas secreções gastrointestinais e descamação de células da mucosa

Excreção renal
Aproximadamente 100 mg são excretadas por dia – o cálcio ligado à proteínas
não é filtrado
Reabsorção seletiva – ponto de regulação pelo paratormônio
Baixa concentração de cálcio plasmático = maior reabsorção renal = menor
excreção na urina
Regulação de Cálcio

Armazenamento/liberação óssea
Parte inorgânica da matriz óssea – cálcio e fosfato, na forma de cristais de
hidroxiapatita Ca10(P04)6(OH)2
Precipitação dos sais de cálcio na matriz orgânica (colágeno) do tecido ósseo
– mecanismo ainda não compreendido totalmente
Em condições normais, os sais de cálcio e fosfato não se precipitam fora do
osso – inibidores de precipitação (pirofosfato)
Absorção óssea pelos osteoclastos – digestão da matriz orgânica e dissolução
dos sais

Normalmente, no adulto, a taxa de mineralização = taxa de


absorção
Quantidade de osso formada = quantidade de osso degradada
Regulação de cálcio
Regulação de Cálcio entre tecidos
Osteoclasto na
Regulação de Cálcio absorção óssea
Alimentos ricos em
Regulação de Cálcio cálcio
Regulação de Cálcio – Vitamina D

Vitamina D – aumenta fortemente a absorção de cálcio intestinal


e regula a deposição/absorção óssea

A vitamina D não é a forma ativa com efeitos fisiológicos – passa


por modificações no fígado e rins:
Ação da irradiação ultravioleta (luz solar) no 7-desidrocolesterol – formação
de vitamina D3 (colecalciferol)

Vitamina D3 na pele – conversão em 25-hidroxicolecalciferol no


fígado
Principal forma armazenada – dosagem laboratorial
Retroalimentação negativa – inibe a sua própria formação
Vitamina D
Regulação de Cálcio – Vitamina D

Formação do 1,25-diidroxicolecalciferol nos rins


Forma ativa da vitamina D – 1000 vezes mais potente que os precursores
Depende da ação do paratormônio para sua formação
Altas concentrações de cálcio impedem sua formação – feedback negativo

Sem a exposição adequada ao sol, ou sem os rins, ou sem o


paratormônio – não ocorre a formação da vitamina D ativa =
menor absorção de cálcio intestinal
Vitamina D
Regulação de Cálcio – Vitamina D

Ações da vitamina D na regulação de cálcio:


Promove maior absorção intestinal de cálcio – maior síntese de
proteínas ligantes de cálcio no epitélio intestinal
Aumenta a reabsorção de cálcio no epitélio dos túbulos renais

Em alta concentração, no tecido ósseo – maior absorção óssea e


liberação de cálcio
Em baixa concentração, no tecido ósseo – maior mineralização
do tecido e armazenamento de cálcio
Os dois mecanismos exatos ainda são desconhecidos – os principais efeitos na
mineralização/absorção óssea são diretos pelo paratormônio
Paratormônio

Paratormônio – sintetizado pelas glândulas paratireoides


Normalmente, 4 glândulas pequenas na parte posterior da tireoide
Mesmo com a retirada de mais de metade das glândulas, as funções podem
se reestabelecer
Peptídeo de 84 aminoácidos
Armazenado em vesículas – liberação contínua com 6 a 7 pulsos a cada hora
Metabolizado pelos rins e fígado
Órgãos alvo: rins (reabsorção de cálcio) e ossos (liberação de cálcio)
Hormônio peptídeo – atuação via receptores de mensageiros secundários
(AMPc)
Paratireoide
Paratormônio Paratormônio
Paratormônio e
Paratormônio concentração de cálcio
Paratormônio

Paratormônio nos rins:


Aumenta a reabsorção de cálcio nos túbulos renais
Maior reabsorção de cálcio para a circulação = menor excreção de cálcio na
urina

Maior reabsorção também de magnésio e hidrogênio


Menor reabsorção de sódio, potássio, fosfatos e aminoácidos

Necessário para a formação da vitamina D ativa nos rins:


Maior reabsorção de cálcio nos túbulos renais
Maior absorção de cálcio no epitélio intestinal
Porção ascendente
Paratormônio espessa
Paratormônio Início do túbulo distal
Paratormônio

Paratormônio nos ossos:

Absorção rápida de cálcio – osteólise


O paratormônio aumenta a atividade de uma bomba de cálcio nos osteócitos
– rápida remoção de sais de cálcio imediatamente junto às células que estão
mineralizando os ossos
Ocorre dentro de minutos da ação do paratormônio

Absorção lenta de cálcio – ativação de osteoclastos


Não atua diretamente nos osteoclastos – mas ocorre o recrutamento e
proliferação dessas células
Efeitos mais lentos, por dias ou semanas
Paratormônio

Regulação de paratormônio:
Bastante sensível ao cálcio – mesmo uma leve baixa da concentração de
cálcio ativa a secreção da paratireoide

Hipertrofia das glândulas na hipocalcemia por longos períodos


Aumento das glândulas também no raquitismo (baixa vitamina D), gestação e
lactação

Redução em: alta ingestão de cálcio; alta ingestão de vitamina D; absorção


óssea por outros fatores (ex.: desuso do membro)
Regulação do
paratormônio
Calcitonina

Calcitonina – causa a menor liberação de cálcio dos ossos para o


plasma sanguíneo
Peptídeo com 32 aminoácidos
Efeitos oposto ao do paratormônio – mas com intensidade muito menor
Sintetizado e secretado pelas células parafoliculares da tireoide - 0,1 % da
tireoide
Redução da atividade de osteoclastos e da osteólise
Menor formação de osteoclastos = menor absorção óssea

Também com efeitos opostos ao paratormônio no túbulos renais


– mas de pouca importância
Calcitonina Células parafoliculares
Calcitonina

Motivos do baixo efeito da calcitonina:

Calcitonina causa menor liberação de cálcio = paratireoide libera


paratormônio = o efeito seguinte do paratormônio é muito mais
forte

Calcitonina atua principalmente nos osteoclastos – demora mais


para apresentar efeitos
Reabsorção óssea e formação em equilíbrio nos adultos
Efeito maior durante o crescimento – menor absorção óssea
Regulação de Cálcio – Disfunções

Hipoparatireoidismo
Baixa secreção de paratormônio = menor absorção de cálcio dos ossos
Tratamento geralmente da combinação de vitamina D com ingestão de cálcio
– o paratormônio é caro e degradado rapidamente

Hiperparatireoidismo primário
Disfunção da glândula e alta secreção de paratormônio = maior absorção de
cálcio dos ossos
Geralmente por tumores ou hiperplasia nas glândulas – mulheres são mais
predispostas devido às alterações na gestação e lactação
Atividade extrema dos osteoclastos = enfraquecimento dos ossos e
osteopatias
No hiperparatireoidismo com maior concentração de cálcio plasmático –
maior excreção renal e propensão à formação de cálculos renais
Regulação de Cálcio – Disfunções

Hiperparatireoidismo secundário
Devido à hipocalcemia por baixa ingestão de cálcio, vitamina D ou disfunção
renal = estimulando a produção de mais paratormônio

Raquitismo – baixa absorção de cálcio decorrente da falta de vitamina D


Regulação de Cálcio – Disfunções Raquitismo
Regulação de cálcio
Paratireoide

Capítulo [Paratormônio, Calcitonina, Metabolismo de Cálcio...]


do GUYTON; HALL. Tratado de Fisiologia Médica.

Slides das aulas