Você está na página 1de 4

HANSENÍASE

Lesão de pele + acometimento neural

Infecção crônica, granulomatosa, curável

Notificação compulsória SINAN, investigação obrigatória

Agente etiológico
 Mycobacterium leprae: BAAR – globias (aglomerados de bacilos em forma arredondada)
 Alta infectividade, baixa patogenicidade
 Incubação: 2-5 anos
Divisão binária simples 14/14d

Parasita intracelular obrigatório c/ predileção por céls sistema reticuloendotelial, especialmente histiócitos do SNP (cél de Schwann), céls da pele e mucosa nasal

Fatores genéticos relacionados à capacidade do macrófago destruir bacilo ou impedir multiplicação: HLA-DR2 e DR3 → paucibacilar / HLA-DQ1 → multibacilar

Resolução (resposta
celular Th1)
Invasão da musosa Disseminação Pele Ativação
Inalação dos bacilos
nasal hematogênica Nervos periféricos imunológica
Infecção (falha de
Th1)
Soluções de
continuidade da pele

Sinais e sintomas
Lesão de pele
 Máculas hipocrômicas/eritematosas
 Máculas delimitas ou infiltração difusa
 Rarefação de pelos
 Destruição de anexos
 Xerodermia

Acometimento neural
 Neurite: fibras sensitivas (sequência de térmica > dolorosa > tátil), motoras (perda de função) e autonômicas
(anidrose/xerodermia)
 Mão em garra, espessamento de nervo cervical

Podem ocorrer deformidades, mutilações e amputações consequentes à lesão neural e epitelial complexa progressiva
quando sem tratamento.

Indeterminada
Infecção •Lesão hipo/hipercrômica, hipo/hiperestésica
•Sem lesão de tronco neural
•Alteração de sensibilidade sem mácula
*Linfócitos Th2 reduzem resposta celular e produzem citocinas e anticorpos (↑imunidade humoral, que não tem
capacidade de inativar vacilos e colaboram para evolução das lesões)

Imunossuprimidos

Tuberculoide

Tuberculoide Dimorfa Virchowiana

 Poucas lesões – única


 Hipoestésica
 Anidrótica
 Pele infiltrada
 Alopécica
 Lesões em placa
 Não envolve mucosa  Infiltração de mucosa
Podem ser muitas lesões, algumas
 Neural: associado às lesões  Madarose
com caráter infiltrativo, mas não tem
Bem delimitadas, eritematosas
acometimento tão difuso.  Neural: generalizado
 Fácies leonina (infiltração da face e
pavilhões auriculares)

Na prática... Classificação da OMS:

Paucibacilares Multibacilares
Até 5 lesões de pele > 5 lesões de pele
Até 1 tronco neural acometido > 1 tronco neural acometido

Diagnóstico
 Lesão de pele com alteração de sensibilidade
 Acometimento neural com espessamento
 Baciloscopia positiva (biópsia da pele – princ. infiltrada –, análise da linfa)
 Histopatológico compatível

Diagnóstico diferencial
Pitiríase alba, pitiríase versicolor, vitiligo, nevo acrômico, etc.
Tratamento
Paucibacilares Multibacilares
6 meses 12 meses
 Rifampicina 1x/mês  Rifampicina 1x/mês
 Dapsona diária  Dapsona diária
 Clofazimina diária (EC: pele bronzeada)

Complicações
Estados reacionais
Reação imunitária inadequada

Reação tipo 1: reação reversa


 Reagudização das lesões
 Neurite – muitos nervos
 Sem quadro sistêmico
 Início do tratamento
 Mais frequente em paucibacilares; melhora da resposta imune celular leva à piora dos sintomas devido reação
exacerbada
 Tto: corticoide

Reação tipo 2: Eritema nodoso hansênico


*Eritema nodoso: Nódulos que aparecem nas superfícies extensoras dos membros (face anterior das pernas,
antebraços), extremamente dolorosos, que desaparecem sem deixar cicatriz. Principal causa: Estreptococcemia;
outras causas: reação medicamentosa, hanseníase multibacilar, sarcoidose.

 Nódulos (podem necrosar devido fenômeno de Lúcio)


 Neurite – muitos nervos
 Quadro sistêmico
 Qualquer fase de evolução da doença (1 ano antes da doença, durante tto, 1 ano depois)
 Multibacilares; exacerbação da resposta humoral
 Tto: talidomida (analgésico e anti-inflamatório cutâneo) + corticoide

Recidiva
 Poucas lesões
 Neurite – único
 Muito tempo após
 Sem resposta a corticoide

Profilaxia
Busca ativa
 Comunicantes residentes nos últimos 5 anos (aval. Completa, dermato-neurológico)
o Comunicantes não doentes = profilaxia
 Sem cicatriz ou 1 cicatriz BCG: dar 1 dose
 Duas cicatrizes BCG: sem conduta
o Lesão suspeita = tto

*indivíduos com hanseníase não precisam ficar isolados: quando iniciam tto rapidamente deixam de infectar outros

*tuberculose: pode causar eritema endurado de Bazin aparecem normalmente nas regiões posteriores e deixam
cicatriz

*eritema nodoso geralmente é asséptico, exceto na hanseníase, onde se pode encontrar bacilo
*radiografia de tórax com infiltrado intersticial poupando ápices e bases: paracoccidioidomicose

*CPK e aldolase elevadas???

Manual de atendimento à hanseníase no MS