Você está na página 1de 3

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA BAHIA

2ª TURMA RECURSAL DOS JUIZADOS ESPECIAIS

Processo nº. : 0102389-26.2015.8.05.0001


Classe : RECURSO INOMINADO
Recorrente(s) : ALLIANZ SEGUROS S/A
Recorrido(s) : RENOVADORA JCD
RITA MARCIA PARANAGUA FERREIRA
Origem : 3ª VSJE DO CONSUMIDOR (IMBUÍ MATUTINO)
Relatora Juíza : MARIA AUXILIADORA SOBRAL LEITE

VOTO EMENTA
RECURSO INOMINADO. CONSUMIDOR. SEGURO. SINISTRO
OCORRIDO. RECUSA INJUSTIFICADA DA SEGURADORA EM PAGAR A
INDENIZAÇÃO. AUSÊNCIA DE JUSTA CAUSA CONTRATUAL. RECUSA
FUNDAMENTADA NA EXISTÊNCIA DE RESTRIÇÃO JUDICIAL NO
REGISTRO DO VEÍCULO JUNTO AO DETRAN. RESTRIÇÃO QUE JÁ
EXISTIA EM DATA ANTERIOR À DATA DA CONTRATAÇÃO DO SEGURO.
PRÉVIA CIÊNCIA DA SEGURADORA ACERCA DO FATO. VEDAÇÃO DO
VENIRE CONTRA FACTUM PROPRIO. INDENIZAÇÃO DEVIDA,
SENTENÇA MANTIDA.

1.O Recorrente insurge-se contra sentença que julgou procedente o


pedido formulado na exordial, nestes termos: “ Portanto, à vista do exposto, JULGO
PROCEDENTE O PEDIDO FORMULADO, nos seguintes termos: 1) Condeno a parte
acionada a pagar à parte Acionante, a título de indenização, a quantia de R$ 30.350,00
(trinta mil trezentos e cinquenta reais), com incidência de juros de mora à taxa de 1% ao mês
desde a citação e correção monetária a partir do arbitramento até o efetivo pagamento.”

2. Ingressou a parte autora em juízo contra a seguradora ré,


alegando que houve a recusa ao pagamento da indenização securitária após a
comprovação do evento , consistente no roubo de seu veículo, pleiteando
portanto a condenação da ré no pagamento do valor correspondente à
indenização prevista em contrato.
A despeito das alegações da parte demandada, que
fundamenta a recusa ao pagamento da indenização no fato de existir restrição
judicial do bem junto ao DETRAN, esta não merece prosperar, não constituindo
, por conseguinte, em razão suficiente para legitimar a sua postura contratual.

Como bem salientado pelo magistrado sentenciante, a data do


registro da restrição do veículo fora feita em 22/05/2014, sendo que a data em
que efetivada a contratação do seguro foi em 18/09/2014, posterior, portanto,
ao registro da alienação. Se não houve qualquer manifestação contrária da
seguradora quando da contratação do seguro, tendo esta ciência da restrição
que gravava o bem, a postura contratual de negar indenização securitária após
a comprovação do evento segurado se revela contraditória, abusiva, e viola a
legítima expectativa das partes de que irão cumprir para com o seu dever
contratual, consoante a doutrina do venire contra factum próprio.

6. Nesta senda, diante da ausência da comprovação de


qualquer fato impeditivo, modificativo ou extintivo do direito da parte
autora, ante a ausência de justa causa contratual que fundamente a
recusa do pagamento securitário, mister seja mantida a sentença que
condenou a seguradora ré ao pagamento da indenização.

7. ISTO POSTO, voto no sentido de CONHECER DO RECURSO E


NEGAR-LHE PROVIMENTO, para manter a sentença objurgada pelos próprios
fundamentos. Custas processuais e honorários advocatícios pelo recorrente,
quearbitro em 20% sobre o valor condenatório.
Salvador, Sala das Sessões, 07 de Julho de 2016.
BELA. MARIA AUXILIADORA SOBRAL LEITE
Juíza Relatora
BELA. ISABELA KRUSCHEWSKY PEDREIRA DA SILVA
Juíza Presidente
PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA BAHIA
2ª TURMA RECURSAL DOS JUIZADOS ESPECIAIS

Processo nº. : 0102389-26.2015.8.05.0001


Classe : RECURSO INOMINADO
Recorrente(s) : ALLIANZ SEGUROS S/A
Recorrido(s) : RENOVADORA JCD
RITA MARCIA PARANAGUA FERREIRA
Origem : 3ª VSJE DO CONSUMIDOR (IMBUÍ MATUTINO)
Relatora Juíza : MARIA AUXILIADORA SOBRAL LEITE

ACÓRDÃO
Acordam as Senhoras Juízas da 2ª Turma Recursal dos
Juizados Especiais Cíveis e Criminais do Tribunal de Justiça do Estado
da Bahia, MARIA AUXILIADORA SOBRAL LEITE – Relatora , CÉLIA MARIA
CARDOZO DOS REIS QUEIROZ e ISABELA KRUSCHEWSKY PEDREIRA
DA SILVA, Presidente, em proferir a seguinte decisão: RECURSO
CONHECIDO E IMPROVIDO. UNÂNIME, de acordo com a ata do julgamento.
Custas processuais e honorários advocatícios pelo recorrente, que arbitro em
20% sobre o valor da condenação.
Salvador, Sala das Sessões, 07 de Julho de 2016.
BELA. MARIA AUXILIADORA SOBRAL LEITE
Juíza Relatora
BELA. ISABELA KRUSCHEWSKY PEDREIRA DA SILVA,
Juíza Presidente