Você está na página 1de 3

O processo de transformação: Input e Output (Entrada e Saída)

http://www.administradores.com.br/artigos/academico/o-processo-de-transformacao-
input-e-output-entrada-e-saida/78698/

O processo produtivo consiste na transformação de entradas (Input) (de materiais e


serviços) em saídas(output) (de outros materiais e serviços).
Transformação é o uso de recursos para mudar o estado ou condição de algo para produzir
saídas. A maioria das operações produz tanto produtos como serviços. Os processos de
transformação podem ser de vários tipos:
De materiais - processam suas propriedades físicas (forma, composição, características),
localização (empresas distribuidoras ou de frete) ou posse (empresas de varejo).
De informações - processam a forma da informação (ex. contadores), localização (ex.
empresa de telecomunicações) ou posse (ex. consultoria, serviços de notícias, etc).
De consumidores – processam condições físicas (ex. médicos), de localização
(acomodação: ex. hotéis), de estado psicológico (indústria do entretenimento), etc.

Os insumos que são recursos a serem transformados diretamente em produtos, podem ser
classificados em três categorias:
insumos externos - aqueles que possuem caráter de informação e fornecem dados sobre as
condições externas ao sistema de produção, tais como informações sobre: política;
legislação; economia; sociedade; tecnologia;
insumos de mercado - também possuem caráter de informação, no entanto, fornecem
informações sobre: concorrência; produtos; desejos dos clientes;
insumos primários/recursos primários - são os insumos que sustentam diretamente a
produção e a entrega de bens e serviços, podendo ser públicos ou não, tais como:
Recursos Físicos – Máquinas, Equipamentos, Matérias – primas,
Recursos Energéticos e Recursos Naturais; Recursos Humanos; Recursos Econômicos -
Financeiros;
As saídas são basicamente duas:
fabricação ou manufatura de produtos, quando se trata de uma saída tangível, que pode
ser estocada e transportada ou
geração ou prestação de serviço, quando a saída é intangível, consumida simultaneamente
com a sua produção, onde é indispensável a presença do consumidor e não pode ser
estocada ou transportada.

Eficiência

A melhor forma de se executar uma atividade; fazer corretamente os procedimentos


atingindo o resultado desejável.

Eficácia
O importante é o resultado – atingiu o objetivo foi eficaz, como na figura acima: atingiu o
alvo.

É possível ser eficaz sem ser eficiente?

Sim, por exemplo, um time de futebol jogou bem, mas não conquistou a vitória, não
finalizou de forma adequada, resumindo não venceu, não fez gols. Muitas vezes, um time
joga muito mal, mas faz um gol, dessa forma atingiu o resultado e foi eficaz conquistando
a vitória.

A Gestão de Processos é imprescindível para que o conjunto de atividades reflita de forma


positiva na essência da organização e na qualidade do trabalho final.

Gerir os diferentes processos de um negócio é uma tarefa essencial para o sucesso da


empresa, mas nem sempre os gestores conseguem gerir efetivamente esses projetos,
muitas vezes pelas dúvidas em cada um dos passos da gestão.

Quando um processo é bem diferenciado, ele terá grande potencial para atingir os
resultados que a empresa espera e muitos benefícios para os envolvidos na realização.

Para gerir os processos de forma efetiva, confira a seguir 4 pontos críticos que precisam de
atenção:

Atividades
A atividade na definição de Gestão de Processos é a ação executada, ou seja, é a ação que
dá suporte aos objetivos da empresa. Podemos simplificar relacionando as atividades a “o
quê” será feito e “como” isso será feito ao longo dos processos.

Tarefas
As tarefas são processos só que em um nível superior de detalhamento. Dessa forma, as
tarefas demonstram as atividades sequenciais, e também as interdependentes, e os fluxos
de trabalho suficientes e necessários para que cada processo da organização seja
executado.

Processos
Os processos são as atividades sequenciais que agregam valor, recebe entradas,
transformando-as em resultados para a empresa. Os processos devem ter o começo e o
fim determinados, além de contar como ações lógicas e claras para gerar os resultados de
forma independente.

Muito dos processos dentro de uma empresa têm procedimentos repetitivos e até mesmo
um pouco de projeto, e é por isso que muitas pessoas acabam confundindo processos com
projetos. Mas, os projetos, na verdade, podem ser criados para realizar um processo de
forma mais eficiente e abrangente. Lembre-se que no processo não há início ou fim do
processo, mas sim início e fechamento das tarefas, que podem ser reiniciadas a qualquer
momento quando for necessário.
Veja a seguir alguns exemplos de processos que muitos confundem com projetos:

Pagamento de fornecedores;
Venda de produtos;
Compra de materiais.

Macroprocesso
O macroprocesso é o meio pelo qual a organização reúne os grandes conjuntos de
atividades para gerar valor e cumprir a sua missão. Dentro do macroprocesso estão as
funções de organização, e é essencial que elas estejam sempre alinhadas aos objetivos
organizacionais da sua empresa.

Para exemplificar, confira o exemplo a seguir:

Preparação de bolo
Atividade:
Quais ações são necessárias?
Qual o objetivo a ser alcançado?
Como será feito?
O que é preciso para realizar as ações?
Resultado

Macroprocesso:
Comercialização de bolos

Processo:
Fazer o bolo

Tarefas:
Separar cada ingrediente, misturar os ingredientes, fazer a cobertura, assar, etc.