P. 1
patologia_sistema_nervoso

patologia_sistema_nervoso

|Views: 215|Likes:
Publicado porKellynhah88

More info:

Published by: Kellynhah88 on Feb 05, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/10/2014

pdf

text

original

SISTEMA NERVOSO CENTRAL Exame macroscópico

• Localização da substância branca (SB) e da substância cinzenta(SC) • Associação das lesões com SB e SC • Distribuição das lesões • Simetria • Alterações da cor • Alterações da consistência

SISTEMA NERVOSO CENTRAL ALTERAÇÕES PÓS-MORTAIS, NÃO-LESÕES E LESÕES DE POUCA MPORTÂNCIA

• • • •

Autólise Melanose Lipidose da pia-aracnóide Ossificação da dura-máter

ESTRUTURA HISTOLÓGICA DO SNC • • • • • • Neurônios Células da glia (neuróglia) astrócitos oligodendrócitos micróglia epêndima

REAÇÕES GERAIS DO SNC À AGRESSÃO Neurônio • Cromatólise (eg. lesão axonal, doenças metabólicas, virais etc.) • Vacuolização (TSEs eg. scrapie, BSE,- doenças do armazenamento), • Neurônio vermelho (isquêmico), • Degeneração Walleriana

1

de cobre) • Desmielinização.ie. Epêndima Mielina • Hipomielinogênese • Exs: PSC .comunicante Constitucional MALFORMAÇÕES Hidranencefalia • Deficiência de cobre (congênita.tremor congênito. tardia) • Infecções virais transplacentárias (BVD) Hipoplasia do cerebelo (células imaturas) • Vírus da panleucopenia felina (Parvovírus dos gatos)-ataxia cerebelar • Vírus da BVD • Vírus da PSC 2 . BVD. macrófagos espumosos).REAÇÕES GERAIS DO SNC À AGRESSÃO REAÇÕES GERAIS DO SNC À AGRESSÃO Micróglia (pseudo-glia) • Proliferação (microgliose) • Neurôniofagia • Ativação (Células "gitter".aqueduto mesencéfalico Tipos Comunicante (ventrículos + espaço subaracnóide) N. Astrócito • Proliferação celular • Proliferação fibrilar • Hipertrofia (gemistócito) Oligodendrócitos • Satelitose MALFORMAÇÕES • • • • Anencefalia .(hipoplasia prosencefálica) Hidrocefalia Patogenia . def.

golpe e contragolpe) TRAUMA E LESÕES QUE OCUPAM ESPAÇO Doença do Disco intervertebral (Hérnia de disco) • Raças condrodistróficas (Dachshund e Pequinês) • 1 ano • Prolapso de disco intervertebral degenerado • Vértebras da região tóraco-lombar e cervical TRAUMA E LESÕES QUE OCUPAM ESPAÇO • • • • • • Tumores de vértebra e meninges Osteomielite vertebral Fraturas de vértebras Cistos parasitários Hemorragias Neoplasias parenquimatosas DISTÚRBIOS CIRCULATÓRIOS Edema • Alterações macroscópicas do edema • Seqüêlas • Tipos (vasogênico. citotóxico e intersticial) Congestão • Inflamação • Babesiose cerebral 3 .TRAUMA E LESÕES QUE OCUPAM ESPAÇO • Anatomia : estrutura óssea. tecido muscular e adiposo • Concussão (difusa) • Contusão (focal .

contusões. bomba de Na e K) Ex: isquemia • Intersticial (hidrocefalia) DISTÚRBIOS CIRCULATÓRIOS Hemorragia • Trauma • Septicemias • Toxemias • HIC Distribuição das hemorragias • Epidural. tumoral DOENÇAS DEGENERATIVAS DO SNC • • • • • Nomenclatura: Encefalomalácia Leucoencefalomalácia Polioencefalomalácia Mielomalácia 4 . subdural. bacteriana.Tipos de edema • Vasogênico (ruptura da barreira hematoencefálica) – hematomas. embolia. • E. fibrocartilaginosa. leptomeningiana. infarto • Septicemia por Haemophillus sommnus • Streptococcus spp. parenquimatosa ou medular DISTÚRBIOS CIRCULATÓRIOS Trombose. coli. infarto. inflamação • Citotóxico (intracelular) – alteração no metabolismo celular (deficit energético. • Embolias: gordura.

por enxofre. digestório Angiopatia no encéfalo (+ tronco encéfalico). H2O). Pb. de tiamina) • Encefalite por BHV-5 • Ingestão de melaço (talvez excesso de enxofre) • Macro: edema e necrose do cortex cerebral Polioencefalomalácia dos ruminantes Micro: • necrose neuronal com distribuição laminar. forragem e rações Patogenia: lesão vascular Macro: necrose (tipo) Polioencefalomalácia dos ruminantes • Metabolismo da tiamina (B1) • Intoxs. áreas de necrose de liquefação e células “gitter” Diagnóstico: • Lesões (epidemiologia e clínica) e resposta ao tratamento com tiamina • • • • • Doença do edema 4 – 8 semanas de idade Etiologia: Escherichia coli Patogenia: angiopatia Edemas subcutâneo. • Necrose bilateral simétrica no tronco encefálico 5 .Leucoencefalomalácianças (Intoxicação por milho mofado) • • • • Fusarium moniliforme (fumonisina) Milho. cavidades. superaguda por Phalaris spp. meninges. • Mudanças bruscas de pasto ruim p excelente • Ingestão de cadáveres (def.

Vias de penetração no SNC • Neurógena. Streptococcus suis.INFLAMAÇÕES DO SNC • • • • • • • • Encefalite Mielite Ependimite Plexo-coroidite Meningite Meningoencefalite Encefalomielite Mieloencefalite Etiologia * O agente é visível. sinusite. pseudo-raiva. eg. E. osteomielites. encefalite eqüina. Haemophilus spp. * O agente. raiva. raiva. produz inclusões nas células do SNC. vírus da PSC. herpesvírus.eg. E. vírus da encefalomielite eqüina. • Hematógena (+ comum). • Inflamação direta. produz lesões relativamente específicas ou lesões inespecíficas com distribuição regional sugestiva. Toxoplasma gondii. Cryptococcus neoformans. Ex Streptococcus spp. eg. embora não visível. Exsudatos mais comuns no SNC • Fibrinosa: + bacterianas. pseudoraiva (Aujeszky). cinomose. Haemophilus sp. ex.eg. coli. Exceto: FCM • Fibrinopurulenta: bacteriana ou fúngica. • Granulomatosa: fungos e bactérias superiores. listeriose. eg. eg. Sarcocystis neurona e nematódeos. HBV-5 * O agente.. Exs: listeriose Importância • Infecções transmissíveis e fatais Exs: raiva. traumatismo do crânio • Extensão de foco adjacente. embora não visível. otites. coli. Mycobacterium bovis. • Não-supurativa: + vírus 6 .

sinusites. meningoencefalites fibrinopurulentas por E. • Leptomeningites.Exsudatos mais comuns no SNC Inflamações piogênicas • Epidurais . coli. osteomielite. replicar em miócitos → SNP → SNC (SNP – órgãos – gl salivar ) • • • • • INFECÇÕES VIRAIS Raiva Macro: s/ lesões (hiperemia das leptomeninges e broncopneumonia e distensão da bexiga) Meningoencefalite Meningomielite Ganglionite não-supurativa Manguitos perivasculares mononucleares). gliose (+micróglia) degeneração neuronal. encefalites e mielites embólicas. • Subdurais.fratura. excreção na saliva. Streptococcus suis. extensão de sinusites. Nas céls de Purgkinje Material colhido: •Porção caudal do hemisfério cerebral ou telencefálico •Fragmento do tálamo •Fragmento do cerebelo cortado ao longo do verme cerebelar •Medula cervical (+ gânglio de gasser ou trigêmio) – ganglioneurite. INFECÇÕES VIRAIS Raiva • Bovinos – morcego hematófago Desmodus rotundus • Patogenia: Mordida. Raras . ganglioneurite e corpúsculos de Negri (70%) princ. vacuolização e inclusão (histopatológico) 7 . Haemophilus • Intramedular = listeriose.

olho) • Patogenia: aerógena – mos e monócitos respiratórios e tonsilas (replicação) – linfáticos e sanguíneos – tec. linfóide. epitelial (nervo óptico. vacina. transporte. • Histopatológico + confirmação p/ isolamento viral. mudança de alimentação e intempéries Infecção pelo HBV-5 • Lesão: ausente.Cinomose • Morbilivírus • Pantrópico – linfóide. necrose da substância cinzenta e inclusões eosinofílicas em astrócitos e neurônios. status spongiosus e inclusões (astrócitos+) Infecção pelo HBV-5 • Uma variante do HBV-1 Patogenia: • PE mucosa nasal e trato olfatório (trigêmio) → Ligação a receptores específicos nas células epiteliais do sítio da infecção e por via neural → gânglios sensoriais da região → SNC (não bem esclarecido) • 2 meses a 3 anos • Estresse. hemorrágico ou com cavitações. Bovinos (pele – mordeduras e escarificação por suínos ) 8 . digestivo e reprodutor Patogenia: • intranasal (contato direto ou aerossol)→ replica no respiratório superior → tonsilas e Ln locais via linfática→ replica na nasofaringe→ invade neurônios olfativos bipolares e outras terminações nervosas→ cérebro e ME. córtex amarelado ou acinzentado. • Viremia – úlceras TGI e broncopneumonia e peritonite • Meningoencefalite não-purulenta. desmame. PSEUDO-RAIVA (Aujeszky) • Herpesvírus suíno-1 • Suíno – fonte primária • Respiratório. castração. linfóides (replicação) – 8-9 ds → epitélios e SNC – doença de acordo com imunidade • Lesão: desmielinização.

neuroniofagia e manguitos (raras inclusões intranucleares) • Bov. petéquias e necrose focal. polioencefalomalácia e raiva. neurônios vermelhos.doenças musculares 9 . Aguda p/ Pb Encefalomielite viral dos equinos • Agentes: Alphavírus – Leste (EEE). necrose de decúbito. águas paradas ou alimentos deteriorados ( fósforo) • Patogenia: as toxinas são absorvidas (linfática e sanguínea) agindo sobre terminações nervosas periféricas = bloqueio de acetilcolina = paralisia flácida progressiva→ parada respiratória Botulismo (“doença da vaca caída”) • Lesões: ausentes ou inespecíficas (deg. • Diferenciais: listeriose. Gordurosa.PSEUDO-RAIVA (Aujeszky) • Lesões: congestão das leptomeninges • Meningoencefalomielite não-purulenta com ganglioneurite.raiva. into. neuroniofagia.contato direto ou indireto c/ suínos (ingestão de carcaças) • HBV-5. HBV-5. edema. Necrose na SC. intoxicação por NaCl e Pb. soro. sal. líquido ruminal e intestinal (toxina). ov. DOENÇAS BACTERIANAS DOENÇAS BACTERIANAS Botulismo (“doença da vaca caída”) • Toxinas do Clostridium botulinum (neurotoxinas – C e D) • Forma vegetativa desenvolve-se em anaerobiose (cadáveres em decomposição. Oeste (WEE) e Venezuela (VEE) • Mosquitos • Patogenia: replicação em células reticuloendoteliais do Ln regional → (PI de 3 ds a 3 sem) febre ou depressão (recuperação) ou encéfalo = encefalite necrosante • Lesão: ausente ou hiperemia. hidropericárdio. manguitos perivasculares e microgliose. e hemorragias no coração) • Material: fígado. cães e gatos .

hiperemia de leptomeninges. intrauterina ou aerógena Infecções micóticas e parasitárias do SNC Micóticas • Cryptococcus neoformans Parasitárias • Neospora caninum • Encefalomielite eqüina por protozoário Sarcocystis neurona • Toxoplasmose (T. • Fatores predisponentes: estado imunológico e estresse • OBS: bactérias – exposição oral. genital. microabscessos no TE e infiltrando as meninges • • • • MENINGITE ESTREPTOCÓCICA • Streptococcus suis tipo I (1 –6 semanas) e II (6-14 semanas) • Septicemia → Meningocoroidite fibrinopurulenta . cerebelo e ME. gondii) • Coenurus cerebralis (Cysticercus cellulosae (+músculo de suínos) • Strongylus vulgaris Neoplasias • "Colesteatoma" (granuloma de colesterol do plexo coróide) • Meduloblastoma • Astrocitoma • Oligodendrioglioma • Ependimoma • Papiloma e carcinoma de plexo coróide • Meningioma • Metástases 10 . nervos cranianos. umbilical. canal medular e necrose de liquefação do cérebro. turvamento e ↑ do LCR.Listeriose Listeria monocytogenes Ruminantes SNC. septicemia (mastite rara – zoonose) Patogenia: trauma → nervo trigêmio → tronco encefálico • Lesões: não comuns.

ENCEFALOPATIAS ESPONGIFORMES TRANSMISSÍVEIS (TSE’s) SCRAPIE (Paraplexia enzoótica dos ovinos) • Scrapie (ovinos e caprinos) BSE (bovinos) • Teoria sobre o agente • Agente infeccioso (PRÍON) deriva-se de pt da membrana celular sensível à proteases (PrPc) → PrPc sofre uma mudança de conformação = uma pt insolúvel. cérebro e tecidos linforreticulares • Prurido • Diagnóstico histopatológico e Imuno-histoquímica BSE (Doença da Vaca Louca) • Inglaterra. 1986 •Longos períodos de incubação (média 4-5 anos) • Contaminação por uso de farinha de carne e osso (proibição do uso em 1988) • Comportamento. resistente à proteases e patogênico de príon (PrPcs) → transformaria mais pts normais em anormais • Proteinaceous infectious particle • Ovinos e caprinos •Animais adultos (42 meses) • Placenta. sensibilidade e locomoção • Macro •Micro 11 .

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->