Você está na página 1de 3

Caso El- Masri vs.

Antiga República Iugoslava da Macedônia


I. O que é?
a. O caso foi proveniente de uma aplicação do art. 34 da Convenção de Proteção
de Direitos Humanos e Liberdades Fundamentais contra a Macedônia, antiga
integrante da Iugoslávia
b. Início do procedimento ocorreu em 2009 em Seden na Alemanha quando o
peticionário de origem alemã (Khaled El-Masri) entrou com o pedido
II. Fatos alegados pelo autor
a. 31.12.2013 - El-Masri entrou em um ônibus em Ulm na Alemanha que ia para
Skopje. O objetivo da viagem era descansar do ambiente tumultuado que viva
em casa
b. 31.12.2013 – 15 hrs – Atravessa a fronteira entre a Sérvia e a Macedônia na
cidade de Tabanovce. Os agentes lançam uma suspeita sob a validade de seu
passaporte alemão que tinha sido emitido recentemente. Suas bagagens
foram revistadas e ele foi questionado pelos agentes da fronteira acerca de
seu propósito de viagem e possíveis conexões com diversos grupos islâmicos.
O interrogatório acabou as 22hrs.
c. Foi transferido para um hotel em Skopje onde foi mantido em “detenção” e
sem o direito de se comunicar com o mundo exterior
i. Durante sua estadia no hotel ele foi supervisionado por um grupo de 9
homens que faziam um rodízio entre eles.
ii. Seu pedido de contatar a embaixada da Alemanha foi negado e o
interrogatório continuava sendo feito em inglês, a pesar de seu baixo
domínio sobre a língua.
iii. Foi ameaçado com uma arma de fogo.
iv. No 7º dia de confinamento um oficial chegou e afirmou que se ele
confessasse sua participação com o grupo Al Quaeda ele seria
transferido para Alemanha – ele se recusou.
v. Começou uma greve de fome e ficou por uma semana assim
d. 23.01.2004 – 20hrs: o colocaram na frente de uma câmera de vídeo e o
forçaram a afirmar que estava sendo bem tratado, não tinha sido ferido e que
seria colocado em um voo para a Alemanha. Algemado e vendado ele foi
transferido para o Aeroporto Skopje.
e. Ficou em uma cadeira do aeroporto por uma hora e meia, até que foi
violentamente transferido para uma sala em separado supostamente para
realizar uma averiguação médica. Na sala, suas roupas foram cortadas para
fora de seu corpo, um supositório foi inserido em seu ânus
f. O vestiram e o transferiram para uma aeronave.
i. Aplicaram um anestésico nele.
ii. Um carimbo datado do dia 23.01.2004 encontra-se em seu passaporte
g. Detenção e interrogatório no Afeganistão – estrutura usada pela CIA que é
conhecida pelo nome “Salt Pit”
i. Inúmeros interrogatórios, ameaças, gritos e agressões físicas
h. Março – Greve de fome e deterioração de suas condições físicas
i. 10.04.2004 – após 37 dias de greve de fome foi tirado de sua cela e colocado
em uma sala de interrogatório, um tudo foi colocado em sua boa e comida foi
inserida a força
i. Ficou muito doente, foi visitado por um médico que lhe receitou
remédios
j. 16.05.2004 uma pessoa que falava alemão o visitou
k. 21.05.2004 início de uma segunda greve de fome
l. 28.05.2004 foi algemado e vendado, transportado em um container, chegou
de avião na mesma cidade na Macedônia (Skopje), o mandaram colocar a
mesma roupa que estava usando em dezembro, sua mala foi recuperada.
i. Ainda vendado e algemado foi colocado em uma aeronave,
desembarcou em um pais desconhecido, foi transportado de carro até
um local desconhecido de lá os condutores lhe devolveram seus
pertences, tiraram a venda e indicaram um caminho que ele deveria
seguir. Então chegou na fronteira com a Albânia, encontrou oficiais,
que lhe perguntaram porque ele estava lá sem o visto para a Albânia
ii. Dirigiram ele até o aeroporto Mãe Teresa e de lá foi conduzido, sem
qualquer inspeção ou controle de fronteiras, a um avião que ia para
Frankfurt
m. 29.05.2004 – 9hrs chegou em Frankfurt e ao retornar para Ulm ele contatou o
advogado M. Gnjidic, também solicitou tratamento em um centro de vítima de
torturas
III. Alegações do Governo da Macedônia
a. Relataram que no dia 31.12.2003 o autor foi mantido por policiais autorizados
apenas por algumas horas uma vez que desconfiavam da veracidade de seu
passaporte e do fato dele levar consigo uma grande quantia de dinheiro. A
fronteira de Tabanovce não possuía o sistema da Interpol, então foi preciso
requisitar auxílio em Skopje e por isso o procedimento foi mais demorado
(4:30 até as 21:30)
b. Uma vez não havia qualquer indicio contra El-Masri nos registros da Interpol,
ele foi livremente liberado
c. Consta que ele ficou 23 dias no Hotel Skopski Merak e saiu do país no dia
23.01.2004 cruzando a fronteira em Blace no território de Kosovo. Negam que
o autor tenha sido entregue a agentes da CIA
IV. Evidências que corroboram a versão do autor
a. Testes feitos nos folíciulos capilares de El-Masri mostram resultados
compatíveis com as alegações de que ele passou algum tempo em um país da
Sul Asiático e que ele passou por privação de comida por tempo estendido
b. Registros de aviação demostram que uma aeronave operada e de posse de
uma corporação norte americana, Premier Executive Transportation Services,
registrada sob o número N3130, partiu de Palma de Majorca na Espanha,
aterrissou, ficou no solo por 3 horas em Skopje e de lá partiu para Bagdá e em
seguida para Kabul no Afeganistão
c. Testemunhas que estavam no ônibus no dia 31.12.2003 afirmam que El-Masri
ficou detido na fronteira
d. Imagens tiradas logo após o retorno de El-Masri demonstram que ele perdeu
muito peso

18.01.2006 - Comitê Temporário acerca de Rendição extraordinária  encaminhada com


base no relatório de Claudio Fava sobre a existência de prisões da CIA na Europa
Arcabouço legal doméstico
- Constituição da Macedônia (1991)
- Código Penal e de Processo Penal da Macedônia

Arcabouço de Direito Internacional


- Convenção de Viena sobre Relações Consulares (1963)
- Convenção internacional de proteção a pessoas que desapareceram forçadamente
-Comissão de Direito Internacional de 2001 – Artigos relacionados com a responsabilidade
dos Estados por erros
- Assembleia Geral das Nações Unidas sobre tortura e punições sub-humanas, cruéis e
degradantes (2002)
- Resolução 1433 da Assembleia parlamentar do Conselho da Europa (2005) – sobre a
ilegalidade da manutenção de presos em Guantánamo
- Comissão Europeia de Democracia e Lei (Veneza) – opiniões sobre obrigações legais dos
membros do Conselho da Europa acerca da manutenção de “prisões” secretas e transporte
internacional de prisioneiros (2009)
- Relatório das Nações Unidas acerca da promoção e proteção de direitos humanos e
liberdades fundamentais no combate ao terrorismo

Jurisprudência
- Corte de apelação da Inglaterra e Gales: Abbasi v. Secretaria de Estado sobre assuntos
internacionais e da commonwealth (EWCA Civ 1598)
- Corte de Apelação do EUA: Falen Gherebi v. George Walker Bush
- Comitê das Nações Unidas contra a tortura: Agiza v. Suécia

Fontes públicas acerca da violação de direitos humanos decorrentes de acontecimentos em


estabelecimentos prisionais operados pelos EUA pós 11 de setembro
- Materiais provenientes de Organizações sobre Direitos Humanos:
Detenção de suspeitos em Guantanamo
“Presunção de culpa dos EUA”
Tortura feita em suspeitos da Al-Quaeda

Fontes acerca do procedimento e estabelecimento de critérios sobre os meios de prova

Violações alegadas: arts. 3º, 5º, 8º e 13 da CONVENÇÃO (Convenção de Proteção de Direitos


Humanos e Liberdades Fundamentais)