Você está na página 1de 13

UNIVERSIDADE ANHANGUERA - POLO ITAGUAÍ

PEDAGOGIA

GISLENE RAMALHO VIEIRA

RELATÓRIO DO
ESTÁGIO III: GESTÃO EDUCACIONAL E ESPAÇOS NÃO
ESCOLARES

Itaguaí
2020
GISLENE RAMALHO VIEIRA

RELATÓRIO DO
ESTÁGIO III: GESTÃO EDUCACIONAL E ESPAÇOS NÃO
ESCOLARES

Relatório apresentado à Universidade


Anhanguera, como requisito parcial para o
aproveitamento da disciplina de Estágio
Curricular Obrigatório III: Gestão Educacional e
Espaços Não Escolares do curso de Pedagogia

Itaguaí
2020
SUMÁRIO

1 LEITURAS OBRIGATÓRIAS..................................................................................7
2 REGIMENTO ESCOLAR........................................................................................9
3 ATUAÇÃO DA EQUIPE DIRETIVA......................................................................10
4 PLANO DE AÇÃO.................................................................................................12
CONSIDERAÇÕES FINAIS........................................................................................14
REFERÊNCIAS...........................................................................................................15
4

INTRODUÇÃO

O objetivo deste relatório de estágio é reunir conhecimentos sobre a prática


educativa em espaços não escolares, como é essa atuação. Além disso, será
abordado aspectos relacionados ao papel da gestão escolar, as atribuições do
diretor e a importância da gestão democrática no processo educativo.
A proposta de estágio atual foi adaptada devido à pandemia e suas
consequências, das quais a prática de estágio em escolas foi impedida devido a
suspensão do ano letivo no Brasil. No entanto, através de atividades com
direcionamento teórico crítico foram propostas em substituição às visitas nas
Unidades Escolares. Os demais espaços de atuação que concernem ao campo de
estágio de espaços não escolares, também serão representados, através da
resenha crítica do artigo disponibilizado no Plano de trabalho.
Ademais, o trabalho promove também uma atividade de elaboração de um
Plano de Ação, motivando o educando a pesquisar os principais desafios que
competem à equipe diretiva da escola, desenvolvendo as melhores propostas que
viabilizem a resolução desses problemas.
Espera-se ao fim deste relatório alcançar os objetivos e enriquecer o
conhecimento adquirido nas aulas, fazendo a correspondência entre teoria e prática.
4

1 LEITURAS OBRIGATÓRIAS

O texto analisado para constituir a primeira atividade deste relatório, é o artigo


Pedagogia em ação: o papel do pedagogo e suas diversas atuações. Este se
encontra disponível no Plano de trabalho de respectivo estágio e é de autoria de
Adrian Alvarez e Marina Rigo.
Os conhecimentos sintetizados nesse texto, apontam para a necessidade de
mudar a visão unilateral do Pedagogo, para entendê-lo como profissional atuante de
quaisquer áreas que demandem transmissão de conhecimento e atendimento
pedagógico. A função do Pedagogo, conforme presente no texto é ser formador e
desenvolvedor da humanidade.
Na primeira discussão, o artigo traz o retrospecto histórico da educação no
Brasil, onde diversas modificações permearam essa trajetória. Inicialmente a
educação tinha caráter religioso, com os índios sendo catequizados pelos padres
portugueses, sendo disseminado o conhecimento jesuítico. Depois disso, o texto traz
a reforma Pombalina e a definição de uma educação laica, o que permitiu maior
controle do Estado, atendendo seus respectivos interesses. Após isso, temos o que
chamamos de manifesto dos pioneiros da escola nova, que começou a pensar nas
funções sociais da educação, o que foi consolidado anos depois com a criação da
LDBEN, que começou a reger a educação no país, dando à educação relevância
nos assuntos nacionais e estabelecendo sua função social.
Na segunda discussão, o texto aborda os campos de atuação do Pedagogo,
deixando bem claro, que o pedagogo não possui local específico de atuação, isso
depende de fatores como: se o lugar demanda de transmissão de conhecimentos,
se o lugar precisa de profissionais para realizarem atividades educativas, por
exemplo. O pedagogo, conforme o texto salienta, precisa estar em constante
aprendizado com os profissionais dos campos não escolares onde atua, já que estes
possuem uma rotina dinâmica de trabalho devido ao exercício da função por muitos
anos, além da especialidade no conhecimento que possuem sobe a área em
questão.
Por fim, o artigo para facilitar a compreensão da atuação do Pedagogo em
espaços não escolares, traz como são realizadas as atividades nos campos não
4

escolares, dando noções das especificidades que cada ambiente necessita, a


linguagem a ser desenvolvida nesses locais, dentre outros conhecimentos.
4

2 REGIMENTO ESCOLAR

1. Qual a função do regimento no ambiente escolar?

É um documento que apresenta um conjunto de regras que estrutura e estabelece


todo o funcionamento e a organização da instituição de ensino. Apesar da
autonomia disposta na LDB, a escola precisa obedecer a mesma, fundamentando
suas visões e abordagens pedagógicas defendidas. O regimento escolar ainda
deve estar de acordo com os parâmetros da Base Nacional Comum
Curricular (BNCC) e com o Projeto Político Pedagógico (PPP) formulados, e da
mesma maneira como esses documentos precisam envolver todos os sujeitos
ligados ao processo educativo, o Regimento Escolar também precisa contar com
a participação de todos.

2. Quais aspectos são contemplados em um regimento escolar?

De acordo com a definição anterior de Regimento Escolar, temos que o mesmo


deve conter diversas informações: as referências sobre quem é a escola e como
ela funciona (quais são os seus níveis de ensino, em que turnos opera, qual a
carga horária dos períodos, quantos serão os dias letivos etc.); os objetivos da
instituição; os direitos e deveres da direção, do corpo docente e dos demais
funcionários, também dos alunos e de seus responsáveis; bem como as devidas
punições para as eventuais infrações; além das especificações sobre o sistema
de avaliação da instituição de ensino; A existência de projetos especiais,
abordando como os mesmos devem ocorrer na instituição, dentre outros
aspectos. Devem complementar o PPP, já que traz a organização administrativa
da escola, enquanto o primeiro, prioriza a organização pedagógica.
4

3 ATUAÇÃO DA EQUIPE DIRETIVA

1. Descreva quais são as principais atribuições do (a) diretor da escola.

O diretor é responsável pela organização de todos os processos, seja na


articulação da equipe e nas tomadas decisões. Dentre suas principais atribuições
temos: administrar os recursos e o funcionamento do corpo da escola, coordenar
o projeto pedagógico e participar da comunidade. Especificamente, o diretor ele
cuida de os funcionários da escola, procura saber o funcionamento está sendo de
maneira correta, a situação da secretaria, limpeza da escola, entre outros. É
necessário o diretor sempre observar o que está sendo realizado dentro do
ambiente escolar. Porém ele deve se encontrar sempre na parceria com o vice,
coordenador e supervisor para uma equipe diretiva que visa um ensino e
aprendizagem de qualidade na escola. Ele que representa a escola, mas precisa
de todo o apoio de sua equipe para manter um ambiente organizado.

2. Descreva a atuação desse profissional quanto ao atendimento aos alunos


e aos docentes.

O diretor exerce uma importante função no cotidiano escolar. Entre suas


obrigações, podemos destacar a rotina no setor administrativo e financeiro, o
trabalho em prol do desenvolvimento pedagógico, a coordenação do corpo
docente e até a integração família-escola. Seu papel corresponde ao de um líder,
podendo influenciar a todos de maneira positiva ou negativa. Desse modo, ele é
de extrema importância para o dia a dia de uma instituição escolar. Isto é, ele
deve desenvolver suas habilidades constantemente, com o objetivo de favorecer
a qualidade da educação oferecida pela escola, assim como estimular as equipes
que nela trabalham e a integração entre todos, inclusive pais e responsáveis. No
atendimento aos docentes deve verificar e oferecer suporte aos desafios
apresentados no desenvolvimento das atividades pedagógica, já no atendimento
4

aos alunos deve promover o encontro e integração dos pais aos ambientes e
eventos escolares.
4

4 PLANO DE AÇÃO

Os alunos desta escola estão apresentando o hábito de


Descrição jogar comida fora, onde foi percebido pela equipe da
da situação- cozinha, um aumento considerável no volume de lixo
problema alimentício diário, o que transposto para o mensal, se
torna urgente propor estratégias para resolver essa
problemática.
A fim de diminuir o volume de comida desperdiçado,
Proposta de serão efetivadas atividades pedagógicas listadas a
solução seguir:

- Aulas direcionadas à importância da alimentação para


todas as turmas;
- Criação de uma eleição para que os alunos decidam o
cardápio da semana, escolhendo-o dentre opções
formuladas pela escola, definindo assim o prato diário;
- Reformulação do cardápio atendendo os critérios
nutricionais.
 Reduzir o volume de comida desperdiçado;
Objetivos do  Aprender bons hábitos alimentares;
plano de ação  Fortalecer a autonomia dos alunos através do
direito de escolha.

A abordagem metodológica inclui a metodologia ativa de


Abordagem Aprendizagem Baseada em Problemas, onde os alunos
teórico- poderão refletir sobre o problema, pensando em como
metodológica solucioná-lo, e as teorias consultadas para
embasamento, envolvem os estudos de Hipócrates
onde afirma que: “que teu alimento seja teu remédio e
que teu remédio seja teu alimento”.
 Vídeos ilustrativos para serem reproduzidos
Recursos nas aulas
Eleição para o cardápio escolhido;
4

Dieta escolar nutricional.


Com todas as atividades e principalmente com a
Considerações dinâmica de votação para escolha do próprio cardápio,
Finais espera-se uma conscientização das crianças, a fim de
reduzir o volume de comida desperdiçado.
4

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Na conclusão deste relatório foi observado que o Pedagogo não pode


ser rotulado como profissional especialista da escola, visto que com os
conhecimentos obtidos na Graduação de Pedagogia, o mesmo está apto a
desenvolver atividades de cunho educativo nas mais diversas áreas, desde
que necessitem de contribuição de caráter pedagógico.
Através das atividades realizadas, foi possível compreender o conceito
de Gestão Escolar abordado pelas pesquisas adicionais (materiais presentes
em Referências), onde foi compreendido que esta é de suma importância e
precisa ser democrática, valorizando todos os conhecimentos de todos os
profissionais e pessoas envolvidas no processo escolar, onde até mesmo a
opinião e a participação da comunidade são relevantes, já que a elaboração
dos documentos da escola, tais como PPP e Regimento Escolar, precisam ter
a participação de todos os sujeitos do convívio escolar.
Além disso, temos na construção do plano de ação, a oportunidade de
treinar as habilidades de resoluções de problemas, bem como conhecimentos
de mediação e gestão escolar diretiva.
4

REFERÊNCIAS

BARDIN, Laurence. Análise de Conteúdo. Tradução de Luis Antero Reto e


Augusto Pinheiro. Lisboa, Portugal: Edições 70, 2002

BASTOS, João Batista (org.). Gestão democrática. Rio de Janeiro: SEPE, 1999

BRASIL. Ministério da Educação. Lei de Diretrizes e Bases da Educação


Nacional. Lei n.º 9.395/96. Brasília: 1996.

PALHARES, José Augusto. Reflexões sobre o não-escolar na escola e para


além dela. Rev. Port. de Educação, Braga ,  v. 22, n. 2, p. 53-84,    2009 .  

SANTOS, Antônio Raimundo dos. Metodologia científica: a construção do


conhecimento. Rio de Janeiro: DP&A editora, 1999

SEVERO, José Leonardo Rolim de Lima. Educação não escolar como campo
de práticas pedagógicas. Rev. Bras. Estud. Pedagog., Brasília, v. 96, n. 244, p.
561-576, Dez.  2015 

TIAGO, Eliete. Formação de professores e prática pedagógica. Recife:


Fundação Joaquim Nabuco, Ed. Massagana, 2006.