Você está na página 1de 3

Amanda Calefi Nogueira – Semio Neural

 Síndromes Medulares
1- Secção transversa completa
2- Síndrome do cone medular
3- Hemisecçao medular
4- Síndrome siringomiélica
5- Síndrome das colunas brancas posteriores
6- Síndrome medular central
7- Síndrome anterior da medula

→ Secção transversa completa

Mais comum no trauma


Interrupção dos tratos motores, sensitivos e autonômicos
Lesão das raízes nervosas no segmento da secção

Fase aguda: CHOQUE MEDULAR


 Paralisia flácida,
 arreflexia,
 perda total da sensibilidade,
 ausência de função autonômica
o (bexiga atônica, relaxamento de esfíncter).
 Retenção urinária e fecal – arreflexia do detrusor e paralisia do peristaltismo.
Fase crônica
 Paralisia espástica (i.e., com hipertonia),
 hiperreflexia,
 perda total da sensibilidade,
 alterações autonômicas (sudorese exagerada, piloereção exacerbada, alterações vasculares cutâneas,
hipertonia vesical e dos esfíncteres).
Sinal de Babinski e reflexos profundos hiperativos

LEMBRETE: ESPASTICIDADE
 Hipertonia elástica: espasticidade; aumento do tônus é velocidade e comprimento dependente (sinal do
canivete); indica disfunção da motricidade voluntária no SNC (córtex motor primário e/ou trato corticoespinal = trato
piramidal).
 Hipertonia plástica: associada a lesão do sistema extrapiramidal (núcleos da base) - pode ter sinal da roda
denteada.

→ Síndrome do cone medular


 Tumores, vascular, fratura da bacia (lesão do plexo sacral)
 Disfunção intestinal, da bexiga urinária e sexual
o Incontinência anal
o Paralisia flácida da bexiga
o Impotência sexual
 Anestesia em cela
 Abolição dos reflexos anais
Amanda Calefi Nogueira – Semio Neural

 Preservação dos reflexos profundos dos membros inferiores.

→ Hemissecção medular
 Traumatismo raquimedular; compressão extrínseca lateral (neoplasias)
 Ausência de sensibilidade profunda/motricidade ipsilateral – comprometimento dos tratos piramidais e
grácil
 Ausência de sensibilidade superficial contralateral – comprometimento do trato espinotalâmico
SÍNDROME DE BROWN-SÉQUARD-
 Paresia espástica ipsilateral;
 hiperreflexia ipsilateral;
 perda das sensibilidades proprioceptivas e vibratórias ipsilaterais;
 perda do tato discriminativo ipsilateral;
 perda da sensibilidade termo-algesica contralateral;
 lesão das raízes nervosas no nível e ipsilateral à lesão.

→ Síndrome siringomielica
 Siringomielia; hematomielia; tumores extramedulares.
 Síndrome do canal central da medula espinhal
 Lesão no segmento da medula que provoca uma isquemia que atinge o canal central da M.E.
 Não tem nenhum efeito autonômico
 Perda da sensibilidade superficial bilateral e simétrica no nível da lesão (dissociação siringomiélica =
alteração da sensibilidade superficial e preservação da profunda)
 Maior incapacidade quando lesão atinge corno anterior da medula e leva a uma síndrome do neurônio
motor inferior também suspensa.

→ Síndrome das colunas brancas posteriores

 Síndrome dos funículos posteriores


 Tabes dorsalis = complicação tardia da Lues (sífilis)
 Perda da sensibilidade profunda (cinestesia e vibração) bilateral com ataxia decorrente da perda sensorial
(dissociação tabética= alteração da sensibilidade profunda e preservação da superficial)
 Disfunção intestinal, da bexiga urinária e sexual
 Dificuldade ou impedimento da marcha devido à ataxia sensitiva
 Dificuldades motoras para atividades dos membros superiores pela ataxia
 Piora das funções motoras no escuro

→ Síndrome medular central


 Mais comum em trauma automobilístico na traseira
 Quadriparesia – pior nos membros superiores
 Parte da motricidade está lesada

→ Síndrome medular anterior


Lesão por hiperflexão
Perda motora completa e perda da discriminação à dor e temperatura abaixo do nível da lesão
Altera a motricidade e sensibilidade superficial abaixo do nível da lesão
Amanda Calefi Nogueira – Semio Neural

 QUANDO SUSPEITAR?
Disfunções neurológicas que não incluam
 Face
 Funções cognitivas
 Sentidos especiais
Disfunções neurológicas que apresentem
o Nivel sensitivo ou motor;
Predominantemente com características centrais
Ocasionalmente periférica
o Acometimento alternado sensibilidade superficial e motricidade
o Envolvimento bilateral suspenso
o Disfunção esfincteriana ( vesical e anal)

 COMO DIAGNOSTICAR?
Suspeitar
Localizar – exame neurológico
Observar – exame de imagem
Analisar – exame do LCR, exame de imagem, abordagem da lesão, outros.